Profecias dos Últimos Séculos – Parte 3

Profecias I Ching…

Profecias I Ching

 O que é o I Ching?

O I Ching, ou Livro das Mutações, é um dos mais antigos textos clássicos chineses que ainda podem ser lidos. Antigamente este livro de sabedoria era chamado apenas pelo ideograma I, que significa entre outras coisas “mudança” ou “mutação”. Depois foi acrescentado o “Ching” (Clássico).
O I Ching é composto de 64 hexagramas, que também podem ser considerados combinações entre os oito trigramas básicos (céu, trovão, água, montanha, terra, vento, fogo e lago).
O I Ching já foi considerado um livro de magia e adivinhação e por pouco escapou da grande queima de livros feita pelo tirano Ch’in Shih Huang Ti. Apesar de ser interpretado pelo sábio Wang Pi como livro de sabedoria, na dinastia Han o I Ching era percebido como um oráculo.
A consulta oracular do I Ching é feita com 50 varetas (originalmente era utilizada a planta sagrada “mil-folhas”). Uma das varetas é separada e as outras são manuseadas para a obtenção da resposta. As varetas usadas na consulta oracular eram guardadas numa caixa de madeira virgem, embrulhados em seda também virgem.
No Japão, a consulta do I Ching é feita com o uso de três moedas, ao invés de varetas.
A atual bandeira da Coréia do Sul é representada por um círculo representando o Absoluto, ou a unidade essencial de todo um ser, com o Yang azul na parte inferior e o Ying vermelho na parte superior. Na mesma bandeira observamos quatro trigramas do I Ching (céu, água, terra e fogo). Os símbolos do I Ching estiveram presentes também na bandeira do Vietnã do Sul e Cochinchina.
Além do I Ching previram ou teriam previsto algo grandioso para a data semelhante em 2012 o mago Merlin; a Bíblia; Sibyl, oráculo romano; Delfos, na Grécia; Web Bot Project (programa que faz previsões a partir do que é escrito na Internet); entre outros profetas. 

O que é o Timewave Zero?

O Timewave Zero, também conhecido com Teoria da Novidade, é uma fórmula matemática que utiliza o fluxo da novidade, definido como o aumento da interconexão do universo, de acordo com seu autor, Terence McKenna.
Terence McKenna (1946-2000) estudou por décadas o xamanismo e a transformação espiritual. Depois da morte de sua mãe em 1971, Terence, seu irmão Dennis, e três amigos viajaram à Amazônia colombiana. Durante as experiências religiosas na selva os irmãos McKenna desenvolveram a sua “Teoria da Novidade”.
A partir de estudos dos hexagramas do I Ching o autor, explorador e cientista norte-americano desenvolveu um programa de computador chamado “Timewave Zero”. Os símbolos do I Ching foram transformados em códigos binários e equações para o “Timewave Zero”.
McKenna chegou à conclusão que o I Ching tem um comportamento alternando entre picos altos e baixos. Na data dos picos altos ocorreram as grandes tragédias da humanidade.
O gráfico do programa de McKenna mostra os grandes períodos de novidade que correspondem com os principais deslocamentos da evolução biológica e cultural da humanidade. Ele acreditava que os eventos de outros tempos estão recorrentemente relacionados com os acontecimentos do presente e futuro, assim como a visão cíclica de tempo dos maias.
O último grande pico foi por volta de 1968, ano de profundas mudanças culturais no mundo ocidental. Inicialmente o ponto final dos tempos no gráfico do “Timewave Zero” foi indicado para o meio de novembro de 2012. Após reparar no fim do 13º baktun do calendário maia, McKenna ajustou sua data para 21 de dezembro de 2012.
Os críticos da Teoria de McKenna alegam que suas projeções são mais numerológicas do que matemáticas e que falhas em sua teoria podem ser comprovadas. O Timewave Zero é propriamente uma combinação de numerologia e matemática. Ele foi formado a partir da interpretação de McKenna de análises do I Ching, que é justamente o Livro das Mutações. Toda a teoria de McKenna é desenvolvida em novidades e mudanças.
McKenna acreditava que o universo é um sistema vivo. Este ser conduz o aumento e a conservação da complexidade nas formas materiais. Para McKenna o cérebro humano está dentro da complexa organização do universo conhecido até então. Além disso, as novidades e complexidades crescem com o tempo, mesmo com os constantes recuos.
Estas idéias foram concebidas e aprimoradas por Terence McKenna do princípio dos anos 70 até sua morte no ano 2000. De acordo com o gráfico do Timewave Zero os grandes períodos de novidade ocorreram: há 4 bilhões de anos, quando a terra foi criada; há 65 milhões de anos quando os dinossauros foram extintos; há aproximadamente 10.000 anos atrás após o fim da Era do Gelo; no século XVIII nas revoluções sociais e científicas; durante os anos 1960; no período de 11 de setembro; crise financeira de novembro 2008; em outubro de 2010; e a última, em 21 de dezembro de 2012.

Leia mais: https://2012aeradeouro.webnode.com.br/products/profecias-i-ching/

Profecias dos Papas…

Profecias dos Papas

O que é a Profecia dos Papas?

A Profecia dos Papas, atribuída a São Malaquias, é uma lista de 112 frases curtas em latim. Esta profecia descreve cada um dos papas católicos romanos, e alguns antipapas (pessoas que se auto-intitularam papas de forma não canônica, geralmente em oposição a um determinado Papa ou durante algum período no qual o título de Papa estava vago). A lista começa com o Papa Celestino II (eleito em 1143) e é concluída com o último Papa, chamado por São Malaquias de “Pedro o Romano”. No pontificado do último Papa a cidade de Roma será destruída. A Profecia dos Papas é composta por 112 frases, correspondentes a 112 pontificados, que prevêem fatos relacionados a cada um desses papas. De acordo com a Profecia dos Papas, o atual Papa, Bento XVI, será o penúltimo Papa da Igreja Católica Romana.

Quem é o autor da Profecia dos Papas?

A Profecia dos Papas é atribuída a São Malaquias, Arcebispo de Armagh, Irlanda, que teve uma visão dos papas futuros numa viagem a Roma, a qual foi recebido pelo Papa Inocêncio II. Durante a estadia, São Malaquias teria registrado sua visão numa seqüência de frases enigmáticas. Este manuscrito foi depositado então no arquivo romano, e esquecido até sua redescoberta em 1590. A profecia foi publicada primeiramente em 1595 por Arnold de Wyon, um historiador beneditino, como parte de seu livro Lignum Vitæ. Arnold de Wyon era também chamado de Monge de Pádua, que também se intitula profeta e, possivelmente teria acrescentado anotações às profecias de São Malaquias. Entretanto, a biografia de São Malaquias escrita pelo abade Bernardo de Claraval não faz nenhuma menção da profecia dos Papas. As edições mais recentes da Enciclopédia Católica sugerem que as profecias são falsificações produzidas no século XVI. Outros especialistas acreditam que a Profecia dos Papas foi criada por Nostradamus ou outro profeta e creditadas a São Malaquias. O objetivo era preservar tanto o autor quanto a profecia. Independente de ser ou não o autor da Profecia dos Papas, são atribuídas a São Malaquias outras profecias como a precisão da data da morte de São Bernardo e a previsão que a Irlanda seria oprimida pelos ingleses, e, quando libertada, o país teria um papel importante na recuperação da fé na Inglaterra.

Qual é a interpretação da Profecia dos Papas?

Geralmente a Profecia dos Papas é interpretada entre o que foi escrito com os lugares de nascimento dos Papas e eventos de seus pontificados. Por exemplo, na primeira linha está escrito “Ex Castro Tiberis” (Do Castelo do Tibre). O Papa Celestino II nasceu em Città di Castello (Cidade do Castelo), cidade fica na região de Úmbria cortada pelo rio Tibre. Recentemente a Profecia dos Papas ganhou notoriedade com as conexões apontadas entre as profecias e os papas recentes. Na linha correspondente ao Papa João Paulo II a frase é “De Labore Solis” (Do Trabalho do Sol). O papa nasceu no dia de um eclipse solar. Alguns especialistas apontam que Pedro o Romano não será o último Papa da Igreja Católica, mas O último Papa em Roma. Existem dúvidas da última linha, descrevendo Pedro o Romano. Alguns estudiosos dizem que esta linha foi escrita após 1820, e, portanto, não deveria ser considerada parte da profecia original. Se Bento XVI é o penúltimo Papa, quem seria o último Papa? Pedro o Romano estaria relacionado com os eventos de 21 de dezembro de 2012? A conferir. A numeração dos papas da lista é diferente da numeração oficial do Vaticano. Bento XVI aparece como o 267º papa, mas na verdade é o 265º. A razão ainda desconhecida é interpretada como a inclusão de dois antipapas inadequadamente.

O último Papa. O que diz a Profecia dos Papas?

A 112º linha pode ser traduzida como:
“Na última perseguição à sagrada Igreja Romana reinará Pedro o Romano, que alimentará as suas ovelhas com muitas tribulações; passadas as quais a cidade das sete colinas (Roma) será destruída e o juiz terrível julgará o seu povo. Fim.”

Confira a baixo a Lista Completa da Profecia dos Papas.

Vídeos relacionados à Profecias dos Papas:

Leia mais: https://2012aeradeouro.webnode.com.br/products/profecias-dos-papas/
Lista completa da Profecia dos Papas
• Ex Castro Tiberis – Do Castelo do Tibre – Papa Celestino II (1143-1144) – Guido di Castello • Inimicus Expulsus – Inimigos Expulsos – Papa Lúcio II (1144-1145) – Gherardo Caccianemici dell’Orso • De Magnitudine Montis – Procedente de Montemagno – Beato Eugênio III, O.Cist. (1145-1153) – Bernardo Pignatelli • Abbas Suburranus – O Abade de Suburra – Papa Anastácio IV (1153-1154) – Conrado Suburra • De Rure Albo – De um Campo Branco – Papa Adriano IV, O.S.A. (1154-1159) – Nicholas Breakspear •Ex Tetro Carcere – De um Horrível Cárcere – Antipapa Vítor IV, antipapa (1159-1164) – Ottaviano de Monticello • Via Transtibertina – Via Mais Além do Tibre – Antipapa Pascoal III, antipapa (1164-1168) – Guido da Crema • De Pannonia Tusciae – Da Hungria a Toscana – Antipapa Calisto III, antipapa – Jean de Struma • Ex Ansere Custode – Da Guarda do Ganso – Papa Alexandre III (1159-1181) – Rolando Bandinelli • Lux in Ostio – A Luz em Óstia – Papa Lúcio III,´O.Cist. (1181-1185) – Ubaldo Allucingoli • Sus in Cribo – O Porco na Peneira – Papa Urbano III (1185-1187) – Uberto Crivelli • Ensis Laurentii – A Espada de Lourenço – Papa Gregório VIII, O.S.B. (1187) – Alberto de Morra • De Scholia Exiet – Saído de Uma Escola – Papa Clemente III (1187-1191) – Paolo Scolari • De Rure Bovensi – Do Campo dos Bois – Papa Celestino III (1191-1198) – Giacinto Orsini • Comes Signatus – O Conde Assinalado – Papa Inocêncio III (1198-1216) – Giovanni Lotario, Conde de Segni •Canonicus Ex Latere – Canônico do Ladrilho – Papa Honório III (1216-1227) – Cencio Savelli • Avis Ostiensis – A Ave de Óstia – Papa Gregório IX (1227-1241) – Ugolino, Conde de Segni • Leo Sabinus – O Leão Sabino – Papa Celestino IV, O.S.B. (1241) – GodogredoCastiglioni• Comes Laurentius – O Conde de São Lourenço – Papa Inocêncio IV (1243-1254) – Sinibaldo, Conde de Fieschi •Signum Ostiense – O Signo de Óstia – Papa Alexandre IV (1254-1261) – Rinaldo, Conde de Segni • Jerusalem Campaniae – Jerusalém Campânia – Papa Urbano IV (1261-1264) -JacquesPantaléon • Draco Depressus – O Dragão Arruinado – Papa Clemente IV (1265-1268) – Guy Le Gros Folques •Anguineus Vir – O Homem da Serpente – Beato Gregório X, O.Cist. (1271-1276) – Teobaldi Visconti • Concionator Gallus – O Pregador Francês – Santo Inocêncio V, O.P. (1276) – Pierre de Tarentaise • Bonus Comes – O Bom Conde – Papa Adriano V (1276) – Ottobono, Conde de Frieschi• Piscator Tuscus – O Pescador Toscano – Papa João XXI (1276-1277) – Pedro Julião • Rosa Composita – A Rosa Dissimulada – Papa Nicolau III, O.S.B. (1277-1280) – Giovanni Gaetano Orsini o Ex Telonio Liliacei Martini – Do Tesoureiro de Martinho dos Lírios Martinho IV (1281-1285) – Simon de Brion • Ex Rosa Leonina – Da Rosa Leonina – Papa Honório IV (1285-1287) – Giacomo Savelli• Picus Inter Escas – O Pássaro Entre os Alimentos – Papa Nicolau IV, O.F.M. (1288-1292) – Girolamo Masci• Eremo Celsus – Elevado da Solidão – São Celestino V, O.S.B. (1294) – Pietro da Morrone • Ex Undarum Benedictione – Das Ondas do Benedito – Papa Bonifácio VIII (1294-1303) – Benedetto Caetani • Concionator Patareus – O Pregador de Patara – Beato Bento XI, O.P. (1303-1304) – Niccolò Boccasini • De Faciis Aquitanicis – Das Faixas da Aquitânia – Papa Clemente V (1305-1314) – Bertrand de Got• De Sutore Osseo – Do Sapateiro de Ossa – Papa João XXII (1316-1334) – Jacques Duèse• Corvus Schismaticus – O Corvo Cismático – Nicolau V, antipapa (1328-1330) – Pietro Rainalducci • Abbas Frigidus – Abade Frio – Papa Bento XII, O.Cist. (1334-1342) – Jacques Fournier• Ex Rosa Atrebatensi – Da Rosa dos Atrébates – Papa Clemente VI, O.S.B. (1342-1352) – Pierre Roger•De Montibus Pammachii – O Lutador dos Montes – Papa Inocêncio VI (1352-1362) – Étienne Aubert• Gallus Vicecomes – O Visconde Francês – Papa Urbano V, O.S.B. (1362-1370) – Guillaume de Grimoard• Novus de Virgine Forti – Forte da Virgem Nova – Papa Gregório XI (1370-1378) – Pierre Roger de Beaufort• De Inferno Pregnani – Do Inferno de Prignano – Papa Urbano VI (1378-1389) – Bartolomeo Prignano• De Cruce Apostolica – Da Cruz Apostólica – Clemente VII, antipapa (1378-1394) – Robert de Genève• Cubus de Mixtione – Cubos Sujeitos à Mistura – Papa Bonifácio IX (1389-1404) – Pietro Tomacelli • Luna Cosmedina – A Lua Cosmedina – Bento XIII, antipapa (1394-1423) – Pedro de Luna• De Miliore Sidere – De Uma Estrela Melhor – Inocêncio VII (1404-1406) – Cosimo Migliorati• Nauta de Pontenigro – Marinheiro da Ponte Negra – Gregório XII (1406-1415) – Angelo Correr• Flagellum Solis – O Flagelo do Sol – Alexandre V, O.F.M., antipapa (1409-1410) – Pietro de Candia • Cervus Sirenae – O Cervo da Sereia – João XXIII, antipapa (1410-1414) – Baldassare Cossa• Corona Veli Aurei – A Coroa do Véu de Ouro – Papa Martinho V (1417-1431) – Oddone Colonna • Schisma Barcinonicum – O Cisma de Barcelona – Clemente VIII, antipapa Gil Muñoz • Lupa Caelestina – A Loba Celestina – Papa Eugênio IV, O.S.A. (1431-1447) -GabrieleCondulmer• Amator Crucis – O Amante da Cruz – Félix V, antipapa (1439-1449) – Amadeu VIII de Savóia• De Modicitate Lunae – Da Pequenez da Lua – Papa Nicolau V, O.P. (1447-1455) – Tommaso Parentucelli• Bos Pascens – O Boi que Pasta – Papa Calisto III (1455-1458) – Alfonso Bórgia• De Capra et Albergo – De Cabra e Albergue – Papa Pio II (1458-1464) – Enea Silvio Piccolomini• De Cervo et Leone – Do Cervo e do Leão – Papa Paulo II (1464-1471) – Pietro Barbo• Piscator Minorita – O Pescador Menor – Papa Sisto IV, O.F.M. (1471-1484) – Francesco della Rovere•Praecursor Siciliae – O Precursor da Sicília – Papa Inocêncio VIII (1484-1492) – Giovanni Battista Cibò• Bos Albanus in Portu – Boi de Albano no Porto – Papa Alexandre VI (1492-1503) – Rodrigo de Bórgia• De Parvo Homine – Do Homem Pequeno – Papa Pio III (1503) – Francesco Todeschini• Fructus Jovis Juvabit – O Fruto de Júpiter Comprazerá – Papa Júlio II, O.F.M. (1503-1513) – Giuliano della Rovere• De Craticula Politiana – A Grelha de Poliziano – Papa Leão X (1513-1521) – Giovanni de Medici• Leo Florentius – O Leão de Florença – Papa Adriano VI (1522-1523) – Adriaan Florensz Boeyens•Flos Pilae Aegrae – A Flor das Colunas Vacilantes – Papa Clemente VII (1523-1534) – Giulio de Medici • Hyacinthus Medicorum – O Jacinto dos Médicos – Papa Paulo III (1534-1549) – Alessandro Farnese • De Corona Montana – Da Coroa do Monte – Papa Júlio III (1550-1555) – Giovanni Maria Ciocchi del Monte • Frumentum Floccidum – O Trigo Insignificante – Papa Marcelo II (1555) – Marcello Cervini •De Fide Petri – Da Fé de Pedro – Papa Paulo IV (1555-1559) – Gian Pietro Carafa• Aesculapii Pharmacum – O Remédio de Esculápio – Papa Pio IV (1559-1565) – Giovanni Angelo de Medici• Angelus Nemorosus – O Anjo de Bosco – São Pio V, O.P. (1566-1572) – Antonio Ghislieri• Medium Corpus Pilarum – O Corpo no Meio das Esferas – Papa Gregório XIII (1572-1585) – Ugo Boncompagni • Axis in Meditate Signi – O Eixo no Meio do Emblema – Papa Sisto V, O.F.M. Conv. (1585-1590) – Felice Peretti • De Rore Coeli – Do Orvalho do Céu – Papa Urbano VII (1590) – Giambattista Castagna• De Antiquitate Urbis – Da Cidade Antiga – Papa Gregório XIV (1590-1591) – Niccolò Sfondrato • Pia Civitas in Bello – Cidade Piedosa na Guerra – Inocêncio IX (1591) – Giovanni Antonio Facchinetti • Crux Romulea – A Cruz Romana – Papa Clemente VIII (1592-1605) – Ippolito Aldobrandini •Undosus Vir – O Homem Agitado – Papa Leão XI (1605) – Alessandro Ottaviano de Medici • Gens Perversa – Gente Perversa – Papa Paulo V (1605-1621) – Camillo Borghese • In Tribulatione Pacis – Na Tribulação da Paz – Papa Gregório XV (1621-1623) – Alessandro Ludovisi •Lilium et Rosa – O Lírio e a Rosa – Papa Urbano VIII (1623-1644) – Maffeo Barberini • Jucunditas Crucis – A Exaltação da Cruz – Papa Inocêncio X (1644-1655) – Gian Battista Pamphili •Montium Custos – O Guardião dos Montes – Papa Alexandre VII (1655-1667) – Fabio Chigi• Sidus Olorum – A Estrela dos Cisnes – Papa Clemente IX (1667-1669) – Giuglio Rospigliosi • De Flumine Magno – Do Grande Rio – Papa Clemente X (1670-1676) – Emilio Altieri • Bellua Insatiabilis – A Besta Insaciável – Beato Inocêncio XI (1676-1689) – BenedettoOdescalchi • Poenitentia Gloriosa – A Penitência Gloriosa – Papa Alexandre VIII (1689-1691) – Pietro Ottoboni• Rastrum in Porta – O Rastro na Porta – Inocêncio XII (1691-1700) – Antonio Pignatelli • Flores Circumdati – Flores em Círculo – Clemente XI (1700-1721) – Giovanni Francesco Albani • De Bona Religione – De Boa Religião – Inocêncio XIII (1721-1724) – Michelangelo Conti • Miles in Bello – O Soldado no Combate – Bento XIII, O.P. (1724 – 1730) – Piertro Francesco Orsini • Columna Excelsa – A Coluna Elevada – Papa Clemente XII (1730-1740) – Lorenzo Corsini • Animal Rurale – O Animal dos Campos – Bento XIV (1740-1758) – Prospero Lambertini •Rosa Umbriae – A Rosa das Sombras – Papa Clemente XIII (1758-1769) – Carlo Rezzonico• Ursus Velox – O Urso Veloz – Papa Clemente XIV, O.F.M. Conv. (1769-1774) – Giovanni Vincenzo Antonio Ganganelli •Peregrinus Apostolicus – O Peregrino Apostólico – Papa Pio VI (1775-1799) – Giovanni Angelo Braschi • Aquila Rapax – A Águia Arrebatadora – Papa Pio VII, O.S.B. (1800-1823) – Gregorio Barnaba, Conde de Chiaramonti • Canis et Coluber – O Cão e a Serpente – Papa Leão XII (1823-1829) – Annibale Sermattei della Genga • Vir Religiosus – O Varão Religioso – Papa Pio VIII (1829-1830) – Francesco Saverio, Conde de Castiglioni• De Balneis Etruriae – De Balnes, Etrúria Papa Gregório XVI, O.S.B. Cam. (1831-1846) – Bartolomeo Alberto Cappellari • Crux de Cruce – A Cruz da Cruz – Beato Pio IX, T.O.R. (1846-1878) – Giovanni Maria Mastai Ferretti • Lumen in Caelo – A Estrela no Céu – Papa Leão XIII (1878-1903) – Leão XIII – Vincenzo Gioacchino Pecci • Ignis Ardens – O Fogo Ardente – Papa Pio X (1903-1914) – Giuseppe Sarto • Religio Depopulata – A Religião Despovoada Papa Bento XV (1914-1922) – Giacomo della Chiesa • Fides Intrepida – A Fé Intrépida – Papa Pio XI (1922 -1939) – Achille Ratti •Pastor Angelicus – O Pastor Angélico – Papa Pio XII (1939-1958) – Eugenio Paccelli •Pastor et Nauta – Pastor e Navegante – Beato João XXIII, T.O.R. (1958-1963) – Angelo Giuseppe Roncalli• Flos Florum – A Flor das Flores – Papa Paulo VI (1963-1978) – Giovanni Battista Enrico Antonio Maria Montini• De Medietate Lunae – Da Lua de Neutralidade – Papa João Paulo I (1978) – Albino Luciani• De Labore Solis – Do Trabalho do Sol – Papa João Paulo II (1978-2005) – Karol Jozef Wojtyla• De Gloria Olivae – Da Glória da Oliveira – Papa Bento XVI (2005-) Joseph Alois Ratzinger• Petrus Romanus – Pedro Romano – ?
Leia mais: https://2012aeradeouro.webnode.com.br/products/profecias-dos-papas/

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s