Conscienciologia, Ciência da Consciência

A tarefa do esclarecimento é cirúrgica, patrocina reciclagens profundas, modifica, de fato, intimamente, a conscin de modo visceral, prático e objetivo. ~Vieira, Waldo~

A conscienciologia é uma nova ciência elaborada por Waldo Vieira, ex-integrante das fileiras do Espiritismo, hoje estudioso independente. Esta esfera científica estuda a consciência enquanto instância que transcende as fronteiras da entidade existencial e material, e a observa sob um ponto de vista que vai além dos sentidos convencionais e aborda também as percepções extra-sensoriais.

A ciência Conscienciologia foi proposta em 1986 por Waldo Vieira (brasileiro) , um médico e pesquisador da consciência de renome internacional. O Dr. Vieira apresentou oficialmente a Conscienciologia, como uma nova ciência, ao público, em geral, e à comunidade científica, através do seu livro “Projeciologia: Um Panorama das Experiências da Consciência Fora do Corpo Humano”. Mais tarde, Vieira publicou os fundamentos para a Conscienciologia num segundo tratado de sua autoria “700 Experimentos da Conscienciologia” (1994).

A Conscienciologia é o termo que foi proposto por Waldo Vieira para definir a nova ciência dedicada ao estudo da consciência, que, dentre outros termos, é aquilo o que se denomina por alma, espírito, essência, eu, individualidade, personalidade, pessoa, self, ser ou sujeito.
Conforme as pesquisas deste médico, que devota toda sua existência aos estudos teóricos e práticos da esfera consciencial, suas expressões ultrapassam os limites do cérebro material e, portanto, independem do organismo humano.

A Conscienciologia estuda a consciência tendo em conta todos os seus atributos, fenômenos, capacidade de se manifestar fora do corpo físico (experiências fora do corpo, viagem astral), e o facto de ter sequência de vidas (reencarnação).

Esta evidência pode ser percebida nas experiências que comprovam a saída do espírito do âmbito material, nas vivências fora do corpo. A Conscienciologia difere das ciências convencionais na sua fundamentação científica, baseada num novo e mais avançado paradigma filosófico, ela segue adiante da própria Parapsicologia, pois não se baseia nos princípios newtonianos-cartesianos, inspirados na lógica física, que tem suas raízes nos elétrons e na matéria. A Conscienciologia baseia-se no paradigma consciencial, que considera a realidade como sendo multidimensional.
As ciências convencionais abordam a consciência como sendo um produto do cérebro físico e limitam-se a metodologias materialistas na condução das suas pesquisas. Sob o ponto de vista multidimensional, esta abordagem materialista adotada pela ciência convencional é inadequada para o estudo da consciência, por não atender aos seus princípios fundamentais – a verdadeira natureza da consciência ultrapassa grandemente os limites da realidade física.
Os pesquisadores deste campo partem sempre do Princípio da Descrença, levando em conta a experiência de cada um enquanto instrumento metodológico básico na aquisição do saber extrafísico. Esta ciência não tem a intenção, portanto, de converter a maioria das pessoas a sua verdade, procurando sempre esclarecê-las.
Para Vieira, a Conscienciologia parte do princípio de que a manifestação da consciência vai além do cérebro físico e que é independente do corpo humano. Portanto, a Conscienciologia propõe o estudo da consciência através de uma abordagem integral, considerando o holossoma, a multidimensionalidade, as bioenergias e a possibilidade da consciência se projetar para fora do corpo humano de maneira autoconsciente.
 O holossoma é o conjunto dos quatro veículos de manifestação (corpos) usados pela consciência para se manifestar: o soma (corpo físico), o energossoma (corpo energético, duplo etérico, corpo bioplásmico), o psicossoma (corpo astral) e o mentalsoma (corpo mental).
O corpo físico seria extinto com a morte física, após a qual a consciência se manifestaria exclusivamente em dimensões extrafísicas empregando seus demais corpos até que, por forças naturais ou não, ela volte a constituir um novo corpo físico (reencarnação). A consciência teria, portanto, um aspecto multiexistencial.
A natureza multidimensional da consciência, fica evidenciada durante o fenômeno da experiência fora do corpo (projeção da consciência) quando ela pode se manifestar de forma lúcida em outras dimensões de espaço-tempo além da dimensão física que conhecemos, empregando os corpos não físicos que constituem o seu holossoma.
Além de estar sujeita as forças básicas da natureza, a consciência também interage por meio de bioenergias (energia vital, prana, orgonio, chi) com outras consciências, com outros seres vivos, com o ambiente. Por meio das bioenergias a consciência interfere e sofre interferências do meio.
A consciência seria intimamente regida por uma ética maior que permeia todo o universo, denominada cosmoética. A cosmoética não se limitaria aos conceitos de “certo” e “errado”. Ela é orientada pela evolução da consciência, em qualquer dimensão de manifestação. Assim, não se pergunta se uma idéia ou ação é certa, mas se é a favor da evolução das consciências.

Segundo Vieira, o estudo da Conscienciologia com base nesses pressupostos constitui um paradigma consciencial, um novo modelo de idéias, distinto, portanto, do paradigma adotado pelas ciências tradicionais. Ainda segundo o autor, o escopo da Conscienciologia é o estudo da consciência do vírus (a forma mais simples de consciência) ao Serenão, a consciência mais evoluída existente em nosso planeta.
A conscienciologia analisa a consciência integralmente, abordando sua existência antes do renascimento material e também as vidas que se sucedem à morte do corpo físico. Cada ser é uma consciência, incluindo os que habitam outras esferas do Universo. Parte-se, portanto, da certeza de que há vida após a morte.
A expressão ‘conscienciológico’ foi utilizada pela primeira vez em 1978 pelo filósofo, jurista e educador brasileiro Miguel Reale, no seu livro Filosofia do Direito. Um ano depois, Vieira cunhou a palavra ‘Conscienciologia’ na obra Projeções da Consciência: Diário de Experiências Fora do Corpo Físico, de 1979.
Waldo criou, em 1988, o Instituto Internacional de Projeciologia, convertido em 1994 no Instituto Internacional de Projeciologia e Conscienciologia (IIPC), entidade sem nenhum objetivo lucrativo, a qual se destina a investigar e disseminar estes novos conhecimentos. A esfera da Projeciologia tem como meta compreender as vivências fora do corpo físico.
Para conduzir a investigação em dimensões extrafísicas, a Conscienciologia apoia-se na capacidade que cada ser humano tem de deixar o seu corpo físico com lucidez. A experiência fora do corpo é, então, a maior ferramenta de trabalho do conscienciólogo, permitindo-lhe o acesso à dimensão extrafísica e assim traçar conclusões acerca da sua natureza multidimensional.
A tecnologia moderna ainda não é suficientemente avançada para detetar, analisar e estudar as dimensões mais subtis onde a consciência se pode manifestar. Assim, uma das principais premissas da Conscienciologia é a pesquisa participativa. Em outras palavras, requer que o investigador seja, simultaneamente, o cientista e o objeto de estudo, usando as suas vivências diárias, dentro e fora do corpo, como experiências laboratoriais.
Com base na experiência de muitos projetores lúcidos oriundos dos quatro cantos do mundo, foi possível chegar a alguns princípios fundamentais que constituem a base da Conscienciologia:
  1. A consciência é multidimensional, ou seja, ela é capaz de se manifestar em diferentes dimensões.
  2. A consciência é multiveicular, isto é, possui diversos veículos de manifestação, estando cada um deles preparado para atuar na sua respectiva dimensão, ou seja, a consciência usa o corpo físico para se manifestar na dimensão física, o psicossoma (corpo astral, corpo espiritual) para se manifestar na dimensão extrafísica e o mentalsoma (corpo mental) para se manifestar na dimensão mental.
  3. A consciência é multiexistencial, isto é, já existia antes do nascimento físico e continuará a existir depois da morte física. De facto, ela alterna entre períodos passados na dimensão extrafísica e na dimensão intrafísica, acumulando experiências que lhe permitirão evoluir como consciência.
  4. A consciência está envolvida num processo de evolução. A Conscienciologia propõe uma escala fundamental de evolução que vai desde as mais básicas expressões conscienciais de vida, até ao tipo de consciência mais evoluída ainda em processo de seriação existencial.
A Conscienciologia não só identifica e estuda os níveis de evolução ao longo desta escala, mas também proporciona estratégias e técnicas para a consciência motivada poder alcançar, eficientemente, um novo patamar evolutivo.
A Conscienciologia estuda a consciência “inteira”, considerando todos os seus corpos, dimensões e existências, em um enfoque integrado. A consciência é a nossa realidade maior, mais do que a energia e a matéria, outras de nossas realidades. Nossa consciência não é o corpo físico nem um subproduto do cérebro humano. Na realidade, podemos nos manifestar além do corpo humano e, portanto, do cérebro. Esse fato pode ser verificado através das experiências fora do corpo.
A consciência pode se manifestar a partir de 4 estados básicos:
Estado consciencial intrafísico. Corresponde ao estado de consciência na dimensão física, imersa na matéria vitalizada do corpo físico.
Estado consciencial extrafísico. Corresponde ao estado de consciência na dimensão extrafísica, após ter desativado o corpo físico (morte biológica) ou antes do renascimento.
Estado consciencial projetivo. Corresponde ao estado de consciência projetado para fora do corpo físico, aquele em que o indivíduo se encontra temporariamente com seus veículos de manifestação em descoincidência.
Estado de consciência contínua. Corresponde ao estado de consciência completamente lúcido, no qual a pessoa percebe todo o processo de separação dos corpos, a soltura do energossoma, do psicossoma, podendo chegar à soltura do mentalsoma ou à projeção mental.
Para se manifestar a partir desses 4 estados conscienciais básicos, a consciência utiliza seu conjunto de corpos, ou seja, o holossoma:
  • Soma: corpo humano.
  • Energossoma: corpo energético.
  • Psicossoma: corpo emocional.
  • Mentalsoma: corpo mental.
Na vigília física, esses veículos estão coincididos. Na vida não-física (extrafísica), quando estamos projetados ou no estado extrafísico, ocorre a descoincidência entre esses veículos de manifestação consciencial, levando-nos a nos manifestar em múltiplas dimensões, além da dimensão física.
A consciência é multiexistencial. A vida humana atual é apenas uma dentre as várias existências da consciência. Já vivemos muitas vidas no passado e viveremos muitas outras no futuro. Em Conscienciologia, essa série de existências da consciência recebe o nome de seriéxis.
A base de manifestação de todas as consciências é constituída por 3 componentes indissociáveis, a que denominados de PENSENE: a idéia ou pensamento (PEN), a emoção ou sentimento (SEN) e a energia (ENE).
A consciência penseniza o tempo todo, ou seja, elabora pensamentos e emite energias sadias ou patológicas, conforme seu estado consciencial. Assim, interage emitindo e recebendo pensenes, em qualquer dimensão (física ou extrafísica) em que se encontre. Tal fato reforça a importância de conhecer mais a fundo seu padrão de pensamento, para identificar padrões externos e ser capaz de perceber quais os seus pensenes e quais os dos outros com os quais está interagindo. Daí a importância de promover a higienização ou a profilaxia dos próprios pensenes, para manifestar-se de modo mais sadio e maduro no local ou ambiente onde atua.
A partir dessas abordagens de estudo da consciência, a Conscienciologia oportuniza a potencialização de várias posturas prioritárias à evolução:
  1. Entendimento da indestrutibilidade da consciência.
  2. Vivência de emoções e sentimentos racionalizados.
  3. Melhoria da capacidade de discernimento.
  4. Reconhecimento de si próprio como agente catalisador da evolução de todos.
  5. Organização racional das próprias idéias.
  6. Ampliação do nível de originalidade do seu trabalho pessoal.
  7. Obtenção de um nível máximo de desrepressão.
Especialidades
A Conscienciologia, ciência multidisciplinar e multidimensional, exige análise acurada de suas especialidades e sub-especialidades. O quadro sinóptico a seguir, mostra as interrelações dessas especialidades, considerando como critério de ordenação, a abrangência espacial em 6 Ordens Lógicas. A elaboração do quadro sinóptico constitui-se de maneira análoga a um estudo anatômico, através do qual vamos situando espacialmente cada elemento (especialidade) em relação aos outros (partes) e ao todo (Conscienciologia).
Em resumo, a Conscienciologia fornece respostas lógicas e práticas para as questões básicas da vida – Quem somos? De onde viemos? O que viemos fazer aqui? Para onde vamos? – de forma a clarificar a nossa realidade enquanto consciências em evolução e para nos possibilitar um processo evolutivo com maior lucidez e eficiência.
O pesquisador considera o estudo da conscienciologia fundamental para o aperfeiçoamento evolutivo do Homem, bem como para o cultivo de uma melhor qualidade de vida, uma vez que seu objeto de estudo transcende a vida material e inclui em suas investigações valores morais e espirituais, inerentes à consciência.
Estas investigações ainda são consideradas controvertidas e polêmicas pela ciência convencional. A conscienciologia é, assim, muito criticada pelos cientistas mais conservadores, principalmente porque ainda bebe nas fontes da Metapsíquica, despreocupada de maiores rigores científicos.
Seus estudos estão concentrados, hoje, no CEAEC – Centro de Altos Estudos da Consciência – criado por Waldo Vieira para este fim, em Foz do Iguaçu, em 1995. A partir daí outros institutos semelhantes se disseminaram por todo o país e também em outros países.
O CEAEC
Instituição de ensino e pesquisa mantida por voluntários das mais diversas culturas e origens, interessadas na ampliação do saber e na produção de conhecimentos. Este é o Centro de Altos Estudos da Conscienciologia (CEAEC), primeiro campus conscienciológico, organização científica, sem fins lucrativos, não-governamental, apartidária e não-religiosa, criada em 15 de julho de 1995 e dedicada a cursos e pesquisas na área da Conscienciologia ciência focada no estudo integral da consciência (cada um de nós).

O CEAEC reúne profissionais que trabalham sob o vínculo do voluntariado, dedicando-se ao estudo da consciência em evolução, com realização de pesquisas e oferta de cursos teóricos e práticos à comunidade, sobre as mais variadas temáticas.
Trata-se de um Balneário Bioenergético, localizado no Bairro Cognópolis, na cidade de Foz do Iguaçu, Paraná, Brasil, ambiente que favorece a utilização lúcida das energias conscienciais e o desenvolvimento dos atributos mentais devido à sua riqueza ecológica. Entre as inúmeras atividades que o CEAEC oferece, é possível destacar as dinâmicas e cursos de imersão parapsíquicas, laboratórios de autopesquisa e diversas atividades relacionadas com a Enciclopédia da Conscienciologia, como as Oficinas do Holociclo e as Tertúlias Conscienciológicas ministradas pelo prof. Waldo Vieira. Além disso, o CEAEC fornece hoje, em conjunto com o Programa Amigos da Enciclopédia, suporte integral ao desenvolvimento da Enciclopédia da Conscienciologia.
Abaixo entrevista dada por Waldo Vieira, Propositor da Conscienciologia, a Tom Martins, no Programa “Ciência e Consciência” da TV Complexis. Tema: Conscienciologia e Projeciologia gravado no CEAEC.
Conscienciologia segundo Waldo Vieira – Ciência e Consciência

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s