Doenças mentais podem ser reflexo de vidas passadas…

No Brasil, estima-se que 23 milhões de pessoas precisam de algum atendimento em saúde mental. Pelo menos 5 milhões sofrem com transtornos graves e persistentes.

20130826092119365768ePara a medicina tradicional, uma questão genética, complexa, que pode ser, talvez, causada por alterações químicas no cérebro. E que, apesar de tantos estudos, ainda não se sabe ao certo a causa deles. Mas para os médicos espíritas, os transtornos mentais têm, sim, explicações. Essa área da medicina, inclusive, é a que mais se distancia da medicina tradicional. Questões emocionais desta e de outras vidas entram em jogo. “O transtorno mental é um resquício do passado”, define o presidente da Associação Mineira dos Médicos Espíritas, Andrei Moreira, apontando aí as vidas passadas como ponto de partida para essa discussão.

Uma vez que as interpretações para os males mentais são diferentes para os médicos espíritas, na série do Estado de Minas, A saúde à luz do espiritismo, que começou ontem (clique e leia), o tema a ser tratado nesta segunda reportagem é referente a essas explicações sobre os males da mente. De acordo com dados da Organização Mundial de Saúde, as doenças mentais e neurológicas atingem aproximadamente 700 milhões de pessoas no mundo. No Brasil, estima-se que 23 milhões de pessoas precisam de algum atendimento em saúde mental. Pelo menos 5 milhões sofrem com transtornos graves e persistentes.

Segundo o psiquiatra e diretor-técnico do Hospital André Luiz, Roberto Lúcio Vieira, a psiquiatria é a área da medicina em que os ensinamentos espíritas mais conseguem aparecer. Isso porque, segundo ele, além de levar em consideração questões genéticas, assim como a medicina tradicional, os médicos espíritas, diante de um paciente com transtorno mental grave, levam em conta as vidas passadas. “O adoecer é o caminho para cura. Temos percebido que muitos males, como os quadros graves de esquizofrenia, geralmente são de espíritos que, em outras vidas, abusaram muito do poder que tinham, cometeram homicídios ou tentaram o suicídio várias vezes. Quando eles adoecem nesta vida, é porque bateu a culpa da vida anterior”, explica Roberto.

Por que adoecemos?

Também membro da Associação Mineira Médico Espírita, Roberto, em um artigo escrito no portal da entidade, diz que a doutrina espírita tem mostrado que os processos mentais seriam frutos da atividade espiritual, com repercussão na estrutura física cerebral. “Sendo assim, o cérebro seria apenas o instrumento. No entanto, para ocorrer essa integração entre a essência espiritual, sua manifestação e a estrutura física, é necessária a existência de um elemento que seja intermediário, tanto na função quanto em sua composição. Esse corpo é chamado espiritual ou perispírito”, define.

MATÉRIA
O perispírito, de acordo com o conhecimento espírita, é envoltório fluídico que uniria a alma humana ao corpo físico e, através do qual, o espírito atuaria na matéria. Mas, antes de mais nada, é preciso compreender que, para o espiritismo, somos seres em constante evolução e estar encarnado é o processo para evoluir. No livro a Cura e Auto-Cura, uma visão médico espírita, do homeopata Andrei Moreira, ele explica que a reencarnação é a lei biológica natural, “instrumento da evolução, em que o ser experimenta o contato com a diversidade e desenvolve aptidões necessárias ao progresso.” Ele diz que a reencarnação devolve ao homem o fruto de suas escolhas, “em mecanismos naturais de reencontros, saúde ou doença.”

20130826092455184815eO médico psiquiatra Jaider Rodrigues diz que usa recursos da ciência acrescidos da compreensão espírita no tratamento dos pacientes (foto: Maria Tereza Correia/EM/D.A Press)
Segundo explica o psiquiatra espírita Jaider Rodrigues, o paciente da psiquiatria é visto por dois viés: “Levamos em conta a influência espiritual, que pode ser do próprio paciente, ou seja, questões do próprio espírito e, também, as influências externas, que podem ser de outros espíritos que passam a influenciar no quadro mental do paciente”, explica, acrescentando que todos os casos são passivos de auxílio. “Usamos os recursos da ciência, acrescidos da compreensão espírita.”

Jaider lembra do caso de uma paciente que lhe chamou a atenção. Muito bonita e, com no máximo 30 anos, essa mulher, de BH, desenvolveu um quadro de esquizofrenia grave, sem motivo aparente. “Ela entrou em um quadro psicótico e tivemos que interná-la no Hospital André Luiz, pois estava agressiva, falava coisas sem sentido. Durante as sessões mediúnicas que fazemos para os pacientes, apareceu um espírito dizendo ter sido escravo na vida anterior e contou que aquela mulher, na sua última vida, tinha sido casada com um senhor de engenho e abusava muito dos escravos, com requinte de crueldade. Nesta vida, esses espíritos a perturbaram”, conta, dizendo que o espírito avisou ainda que seria difícil livrá-la dessas influências externas, e que por mais que os médicos fizessem, nada ia adiantar. “Por um tempo, ela conseguiu melhorar. Mas não durou muito e faleceu”, lamenta Jaider.

reincarnationProcesso de evolução
Geralmente, os transtornos quando se manifestam, é a culpa do que se fez em outra vida, como apontam os estudos espíritas. Mas, de acordo com os médicos, não se trata de um castigo divino. Faz parte do processo de evolução daquele espírito. Ouvir vozes, de acordo com Jaider, pode ser, sim, um espírito falando. A obsessão, de acordo com o precursor do espiritismo, Alan Kardec, é a ação persistente que um espírito mau exerce sobre um indivíduo. “Apresenta caracteres muito diversos, desde a simples influência moral sem perceptíveis sinais exteriores até a perturbação completa do organismo e das faculdades mentais”, diz em seu livro, o Evangelho segundo o espiritismo. Ele diz que a obsessão ocorrerá toda vez que alguém, encarnado ou desencarnado, exercer sobre o outro constrição mental negativa.

De acordo com Kardec, há vários tipos de obsessão, sendo o mais grave o de subjugação, em que o obsessor interfere e domina o cérebro do encarnado. A subjugação pode ser psíquica, física ou fisiopsíquica. Assim, as doenças mentais ou físicas podem, sim, de acordo com o conhecimento espírita, sofrer influências externas. Um dos tratamentos indicados são os passes, idas ao centro espírita e sessões de desobsessão, em que os médicos médiuns ajudam os espíritos desencarnados e encarnados envolvidos no processo a receber esclarecimentos, para que ambos tenham bases sólidas para mudar hábitos e atitudes, condicionando-se a atitudes mentais mais saudáveis. Segundo escreveu Francisco Cândido Xavier, ao psicografar a obra de André Luíz, Mundo maior, “o processo obsessivo não é, na realidade, uma doença, é simplesmente um reflexo de mentes doentias que se unem. Ele não é uma causa, é o efeito de um ‘mal’ anterior”.

avalonREBELDES
Nesses casos de transtornos mentais, além do conhecimento espírita, medicamentos são usados. Kardec acreditava que somente medicação não traria alívio. No Hospital André Luiz, em BH, que tem 45 anos de funcionamento, sendo referência para casos psiquiátricos, os pacientes, de acordo com o diretor, Roberto Lúcio Vieira, são de todas as crenças, sendo o diferencial da unidade o tratamento espiritual. Segundo ele, há no hospital 350 funcionários que trabalham voluntariamente. “Com autorização do paciente ou da família, aplicamos os conhecimentos do espiritismo.” De acordo com ele, algumas doenças psiquiátricas, geralmente, são de indivíduos mais rebeldes.

É o caso, por exemplo, da depressão, que afeta cerca de 35 milhões de pessoas no Brasil. “É uma doença que demarca a grande rebeldia do espírito”, diz Roberto. Segundo Jaider, geralmente, é o espírito não se contentando com a vida que Deus lhe deu. “É como se dissesse ‘já que não tenho a vida que quero, não aceito a vida que tenho’. Se o paciente der espaço, a gente estimula a relação com Deus e o hábito da oração”, conta. Os pensamentos negativos também contribuem para o quadro.

Outro mal apontado pelos médicos é o de Alzheimer. Segundo Roberto, assim como a medicina tradicional vem tentando entender essa doença que afeta a memória do paciente, o espiritismo também busca suas explicações. Um dos esclarecimentos para a causa da enfermidade é que a grande maioria dos portadores da doença foi culturalmente pobre durante a vida, se prendeu a questões materiais e dificuldades de relacionamento. “Quando ocorre o Alzheimer, é como se fosse uma oportunidade para que essa pessoa chegue mais “limpa” espiritualmente no outro plano. E para os familiares, é uma prova de paciência.”

past-lives-spiral-300x239Uma nova visão 

Transtorno mental
Os médicos espíritas passaram a perceber, por meio de estudos e casos clínicos, que muitos pacientes que desenvolvem algum transtorno mental sofrem influência da sua vida anterior. No caso da esquizofrenia grave, por exemplo, tem-se percebido que esses espíritos, em vidas passadas, cometeram alguma transgressão às leis divinas e, nesta vida, sentiram o peso da culpa. O paciente pode, sim, sofrer ainda influência de outros espíritos que tiveram alguma ligação com ele nas outras vidas.

Mal de Alzheimer
Assim como a medicina tradicional estuda as causas do Mal do Alzhemeir, a doutrina espírita começa a perceber que as pessoas portadoras do mal, geralmente, foram pessoas apegadas a bens materiais e muito vaidosas, que precisam do desapego, do “esquecimento”, marca da doença, para evoluir e fazer uma limpeza na alma.

Depressão
Para os médicos espíritas, a depressão atinge aqueles espíritos rebeldes, que não estão satisfeitos com a vida que Deus lhe deu. Assim, se abrem para os pensamentos negativos e as influências externas que podem contribuir para o agravamento
do quadro. Fonte

20130826092742436925oPor que adoecemos? Saiba a explicação do espiritismo..

Médicos espíritas explicam que a resposta para as enfermidades, que há tempos incomoda a humanidade, está na alma de cada um de nós.

O paciente é um ser completo, com suas queixas, dores e doenças. Traz consigo experiências desta e de outras vidas, o que, para o doutor à sua frente, pode ser a chave fundamental para entender os males ali sentidos. A doença passa a ser então a própria cura, e já não é mais vista como o oposto de saúde. É assim, com base em estudos de médicos encarnados e desencarnados, que a medicina à luz do espiritismo vem se fortalecendo cada vez mais no país. São enfermos e médicos, que encontraram na doutrina espírita diferentes interpretações para toda e qualquer enfermidade . Tudo tem uma explicação. E, segundo essa visão, é na alma de cada um de nós que estão as respostas para uma pergunta que há tempos incomoda a humanidade: por que adoecemos?

Bem diferente da medicina tradicional, os médicos espíritas dizem quebrar paradigmas ao considerar, em seus consultórios, o espirito daquele paciente que pede ajuda. Seja para uma gripe, um transtorno mental ou até mesmo um câncer, os médicos que seguem a doutrina explicam que, ao contrário da medicina tradicional, não consideram no enfermo apenas o corpo com o seu organismo. O espírito e suas vivências dizem muito para o diagnóstico. Para conhecer e entender um pouco dessa visão médica, que não descarta a tecnologia atual e muito menos os conhecimentos da ciência, o Estado de Minas começa hoje a série de reportagens A saúde à luz do espiritismo, abordando as interpretações que médicos, muitos deles médiuns, têm sobre os males que nos cercam. Polêmico, o assunto, que pode contrariar muitas crenças, é acima de tudo uma visão de fé.

De acordo com dados do último censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE), em 10 anos, os adeptos à doutrina espírita cresceram 65% no Brasil, passando de 2,3 milhões de brasileiros em 2000, para 3,8 milhões em 2010. O aumento mais expressivo foi observado no Sudeste, cuja proporção passou de 2% para 3,1% entre 2000 e 2010, crescimento de mais de 1 milhão de pessoas (de 1,4 milhão em 2000 para 2,5 milhões em 2010). O estado com maior proporção de espíritas em 2010 era o Rio de Janeiro (4%), seguido de São Paulo (3,3%), Minas Gerais (2,1%) e Espírito Santo (1%). Entre os adeptos, estão ginecologistas, psiquiátricos, homeopatas, pediatras, psicólogos e outros tantos profissionais de saúde que, com o consentimento de seus pacientes, trazem para os seus consultórios o conhecimento espírita.

20130826093200899489u“Atendemos pessoas de todas as crenças. Só aconselhamos o espiritismo quando isso é pedido pelo paciente” – Andrei Moreira, médico homeopata e espírita (foto: MARIA TEREZA CORREIA/EM/D.A PRESS)

Há 18 anos, foi fundada no país a Associação Médico Espírita (AME – Brasil). Segundo conta a presidente, Marlene Nobre, apesar da existência da entidade, não há um número certo de quantos médicos atendem seguindo a doutrina, mas, calcula-se que haja milhares em todo o território brasileiro. “É um paradigma no modelo de saúde. É uma luta de conceitos e de mudanças, porque enxergamos o homem integral: espírito e matéria”, diz. Marlene é ginecologista e representante da AME Internacional. Ela conta que, o doutor que opta por trabalhar seguindo a doutrina espírita, cursa a faculdade de medicina como outro qualquer, mas o seu diferencial é se dedicar a estudar, a fundo, o espiritismo. “Estudamos muito. São estudos de médicos encarnados (vivos) e desencarnados, como os do médico sanitarista André Luíz”, revela.

TEORIAS
André Luíz, cujos os estudos são base para o conhecimento dessa linha médica, segundo acreditam os espíritas, foi médico sanitarist, que viveu no Rio de Janeiro até os 40 anos. Depois de desencarnado, como dizem os espíritas, ele entrou em contato com o médium Chico Xavier, que psicografou obras de André. Somado a isso, os médicos-espíritas também se baseiam nos princípios do francês Alan Kardec, precursor do espiritismo no mundo. “A partir desses conhecimentos e com a ajuda de espíritos encarnados e desencarnados, estamos tentando construir novas teorias”, conta Marlene.

Um dos princípios é o de que a consciência do ser humano é imaterial. “E não é o cérebro que a produz, mas o espírito. Essa teoria muda inteiramente o que se pensa hoje sobre as coisas do inconsciente”, diz, explicando ainda que não é o cérebro que produz o pensamento. Isso é resultado de muitos estudos e daquilo que surge com as pesquisas. A saúde e a doença, por exemplo, estão no espírito e não na matéria, como enxerga a medicina tradicional. “Levamos em consideração a vida passada daquele paciente. Por exemplo, uma criança com leucemia. Temos visto que, em muitos casos, esse espírito precisa passar por essa evolução nesta vida. Nesse caso, para os médicos espíritas, o tratamento com quimioterapia e outros recursos são feitos, mas é indicado, para o paciente com família que segue a doutrina e ou a aceita, a ida ao centro-espírita e os passes, além da água fluidificada.”

Ao adoecermos, de acordo com os especialistas, a doença não é um instrumento de punição, como muitos preferem vê-la. “Na realidade, é um recurso de aprendizado, na sábia pedagogia divina, convidando-nos não a perguntar “por que adoecemos?”, mas a formular a adequada questão: “para que adoecemos?”, ensina o psiquiatra e diretor-técnico do Hospital André Luiz, Roberto Lúcio Vieira.

TODAS AS CRENÇAS
Os tratamentos à luz do espiritismo não abandonam os remédios tradicionais e tampouco as tecnologias, mas são gratuitos. Segundo comenta o presidente da Associação Mineira dos Médicos Espíritas, Andrei Moreira, médico homeopata e espírita, para o paciente que quer se tratar com base nos conhecimentos espíritas, o especialista geralmente indica um centro-espírita, água fluidificada e o passe – para alguns casos há sessões de desobsessão . “Não quer dizer que para todos serão assim. Atendemos pessoas de todas as crenças. Só aconselhamos o espiritismo quando isso é pedido pelo paciente”, conta. Em Minas, a entidade tem 27 anos e funciona no Bairro Nova Granada, no andar superior da Clínica Renascimento, onde há médicos, psiquiatras, psicólogos, homeopata, fonoaudiólogo e nutricionista.

“Mas existe um trabalho paralelo. Na associação, temos grupos de profissionais que promovem encontros com pacientes e tratam vários problemas no lado espiritual, como o câncer, por exemplo. Já na clínica, é como um lugar qualquer de saúde. Temos pacientes evangélicos, espíritas, católicos e de todas as outras crenças. Não convertemos ninguém”, diz. A homeopatia, por exemplo, é um dos caminhos que muitos doutores da área apostam e muitos pacientes, principalmente os espíritas, preferem. Autor de seis livros que abordam o espiritismo em várias vertentes, Andrei escreve em sua obra, Cura e Auto-Cura, uma visão médico espírita, que a doença pode ser entendida como uma mensagem da alma e que, por meio dela, pode-se chegar a um maior conhecimento de nós mesmos. “Quando a dor e o sofrimento aparecem é porque o equilíbrio precisa ser refeito”, defende.

Tratamentos

Água fluidificada
A água fluidificada é a água normal, acrescida de fluidos curadores. No espiritismo, entende-se por água fluidificada aquela em que fluidos medicamentosos são adicionados à água. É a água magnetizada por fluidos. Em geral, são os espíritos desencarnados, que, durante as sessões de fluidoterapia, fluidificam a água, mas a água pode ser magnetizada tanto pelos fluidos espirituais quanto pelos fluidos dos homens encarnados, sendo necessário, para isso, da parte do indivíduo que vai realizar a fluidificação, a realização de preces e a imposição das mãos, a fim de direcionar os fluidos para o recipiente em que se encontra a água. É voltada para o equilíbrio de alguma enfermidade física ou espiritual.

Passe
O passe é uma transfusão de fluidos de um ser para outro.
É considerado a “transfusão de energias fisiopsíquicas”. Beneficia a quem o recebe, porque oferece novo contingente aos fluidos já existentes. É visto como “equilibrante ideal da mente, apoio eficaz de todos os tratamentos”. Os objetivos são os da cura, alívio e reequilíbrios orgânico e psíquico. Os meios utilizados são os da transfusão de energias pela imposição das mãos do médium.

Sessões de desobsessão
É um procedimento terapêutico para libertar uma pessoa obsedada do seu obsessor. Envolve uma série de condutas, tendo em vista livrar o obsedado de sua prisão mental. A técnica básica do tratamento da obsessão fundamenta-se na doutrinação dos espíritos envolvidos, encarnados e desencarnados. Doutrinar, significa instruir em uma doutrina. É isso que se vai fazer com o paciente, com sua família, se necessário, e com o espírito que lhe atormenta. Fonte

Tratamento pelo Técnica de Hipnoterapia…

Vidas Passadas e a Lei da Atração…

vidas-passadas-e-a-lei-da-atracaoMuitos amigos e clientes têm me perguntado sobre a Lei da Atração e isso gerou uma investigação da questão das Vidas Passadas, pois a maioria das pessoas entende que numa sessão aparecerão as situações que geraram o karma que estão vivendo. Se por acaso o sofrimento é com o companheiro ou companheira é esperado que descubramos uma vida em que aconteceu um grande desacerto, um abandono, uma terrível traição, enfim, algo que justifique o sofrimento atual. Porque o pensamento linear está preso à Lei da Causa e Efeito como um castigo.
Posso dizer que culpa é até uma palavra pouco usada, já que hoje em dia entendemos ser absolutamente necessário nos libertarmos dela, porém o sentimento como vibração persiste na egrégora das pessoas, mesmo daquelas que acham que não têm.

Quando as pessoas me procuram, sempre explico que existe uma condução espiritual para o trabalho e que nos será revelado aquilo que temos capacidade de compreensão e isso se deve exatamente à Lei da Atração, pois essa lei não se aplica apenas a um processo mental simplista que gera resultados, mas a tudo na nossa vida.

Vejo que muitas pessoas estão presas a conceitos superficiais da Lei da Atração imaginando que se tiverem pensamentos positivos tudo se resolve a contento, mas não é bem assim que acontece na prática. Pelo simples motivo que poucos de nós vibram em uníssono, pensamentos, palavras e atitudes. Aliás, poucas são as pessoas que realmente acreditam em suas palavras e refletem as mesmas em atitudes.

Às vezes é até fácil falar em coisas positivas, no entanto, os sentimentos que geram os pensamentos continuam vibrando em ondas cheias de dor, mágoas que conscientemente não queremos ter, mas temos…
Vidas Passadas respeitam a mesma condição. Não adianta apenas pensar que pagamos contas de atos do passado. Muitas vezes é mostrado que hoje enfrentamos os maiores desafios em nossas próprias sombras, pois o motivo não está no outro, mas em nós mesmos.
Vou usar o caso de Antonio para exemplificar o que isso significa.

Ele, um engenheiro formado por uma conceituada universidade daqui de São Paulo me procurou para entender porque sua vida profissional não dava certo. Comprometido com o trabalho, exigente e detalhista em seus projetos, tinha inclusive dificuldade para receber seus serviços. Sofria demais tentando encontrar segurança, buscando empregos fixos que sustentasse o seu padrão de vida espartano. Mesmo assim as coisas não fluíam… Assim ele imaginava que em vidas passadas deveria ter destruído cidades, matado pessoas, e sacrificado a felicidade de alguém. Ele não falou em culpa, mas esse sentimento estava embutido em suas palavras.

Quando explico que autoconhecimento é importante, não estou falando apenas de meditação e de outras técnicas que ensinam como melhorar nossa qualidade de vida mas de um mergulho em nossas reais intenções. Percebo no meu trabalho que as pessoas costumam acobertar suas falhas até de si mesmas. Fecham as portas do inconsciente e jogam fora a chave. Num movimento de autoproteção. Dizem ao mundo que querem fazer tudo certo, mas não aceitam o erro como parte do processo de aprendizado. Falta humildade de assumir falhas e coragem de retomar caminhos.

Como ensinam os Mestres, a aceitação é um caminho importante de cura.
Na sessão de Antonio, ao contrário do que ele esperava, apareceu seguindo a Lei Universal da Atração, uma vida em que ele era filho de um homem muito rico e que não precisava fazer nada para ganhar a vida. Com isso foi perdendo o interesse pelas coisas do mundo já que não tinha que conquistar nada. Sua apatia foi criando uma casca de proteção recheada de inércia. Desse modo, ele não necessitava de nada do mundo, não precisava do aprendizado, nem da movimentação que a vida exige de todos nós. Ele criou um afastamento das pessoas e de tudo ao seu redor.
Ao contrário do que pensou nada foi mostrado no sentido de destruição, de pessoas mortas, batalhas. Ele não estava sendo punido por atitudes externas.

O que esse homem vivia era o fruto de seu plantio anterior no solo de sua mente superconsciente. Ele havia na vida passada se fechado, se afastado do mundo. Disse para a sua parte divina que não precisava de nada. Criou um mundo de negação. Ao mesmo tempo, continuava exigente, gostava de coisas caras, sabia apreciar o belo, mas hoje não tinha mais dinheiro para comprar nada disso.
A negação é uma atitude muito triste. Precisar de coisas em excesso também o é. Neste raciocínio precisamos equilibrar nossos quereres. A sociedade de consumo diz o tempo todo que precisamos de coisas. Você pode observar em sua própria vida, quando vai ao shopping: tudo é lindo, tudo é novidade e nossas roupas, nossa casa parece um antiquário….

  • O que fazer?
  • Não querer coisas?
  • Viver na simplicidade?

No aprendizado espiritual aprendemos que é necessário um equilíbrio em nossa vida. Nosso desenvolvimento espiritual é para aprender a dar valor ao que de fato tem valor, pois a vida é feita de constantes escolhas. Claro que não precisamos de tudo o que vemos de bonito a nossa volta. Inclusive, muitas coisas devem ficar exatamente onde estão.
Os Mestres ensinam que devemos carregar as coisas boas como lembranças felizes em nossas mentes, mas para isso precisamos criar um espaço dentro de nós.

Na sessão de aconselhamento que se seguiu conversando com o Antonio nos deparamos com outras importantes questões que ele não mencionou como o fato de não conseguir permanecer em seus relacionamentos afetivos porque se sentia cobrado… Ele também me confidenciou que detestava morar com sua família já que era um homem feito e acreditava que o certo na sua vida seria viver sozinho.
Raiva e culpa se misturavam em seus sentimentos. Afinal, não há nada de errado alguém querer se sustentar e ser dono de sua vida. Mas porque que isso não se abria para ele?

Conversamos muito sobre sua postura em diversas facetas de sua vida que não cabe aqui mencionar. Enfim, chegamos juntos à conclusão que a cura de tudo isso que ele estava sentindo seria mesmo a aceitação da sua vida e ir tirando a raiva do coração, porque enquanto ele sentisse essa revolta sem nome vibrando no peito, as pessoas e o mundo refletiriam exatamente essa vibração.

Saindo da sessão, resolvi escrever esse artigo porque ficou claro que a Lei da Atração só poderá trazer amor, prosperidade e coisas boas para nossa vida quando estivermos vibrando essa luz. Enquanto apenas desejarmos essa cura sem mergulhar profundamente para limpar nossa alma, nada disso acontecerá e a Lei da Atração será apenas mais um modismo da auto-ajuda. Fonte

Apometria como instrumento na Psicoterapia, tratamento de doenças mentais e espirituais…

O que é Apometria?

Apometria é um conjunto de princípios e técnicas de tratamento espiritual baseado no desdobramento e na dissociação dos múltiplos corpos e níveis do ser humano. Trata as personalidades de vidas passadas e desdobramentos da vida atual, chamada de subpersonalidades. Desfaz também trabalhos de magia, trata e encaminha espíritos obsessores, auto-obsessões e energias diversas. Como se fosse uma desobsessão mais objetiva e direta.

Algumas Técnicas Apométricas

Desdobramento espiritual
Essa técnica é realizada através de pulsos magnéticos, que teriam o poder de criar nos planos sutis determinadas emanações mento-magnéticas capazes de, pela vontade do operador, dissociar os níveis de consciência de uma pessoa, para que seja possível seu tratamento. Os corpos espirituais também poderiam ser incorporados em mediuns e estes podem manifestar as enfermidades e desarmonias existentes, para assim trata-las. Alguns segmentos afirmam que não são os níveis de consciência que incorporam, mas apenas as projeções desses níveis, que seriam as personalidades de vidas passadas e as subpersonalidades(dissociações da personalidade atual). É através do desdobramento da consciência, dos corpos, níveis e subníveis que se realizam grande parte das técnicas da Apometria.

Pulsos Magnéticos
São manifestações da vontade dos operadores da técnica apométrica. Para que se torne possível o desdobramento da consciência em múltiplos níveis, os doutrinadores emitem pulsos magnéticos, através de contagem progressiva, até ocorrer o desdobramento dos corpos espirituais para posterior tratamento. Os pulsos são emanações energéticas que expressam a força de vontade dos doutrinadores em dissociar os níveis. Os pulsos são ritmados e realizam-se através de estalos de dedo com contagem de 1 a 7. O estalo cria uma irradiação sonora que veicula a força do pensamento dos trabalhadores espirituais.

Dialimetria
A dialimetria consiste em emitir pulsos magnéticos no corpo etérico e astral até que estes se tornem maleáveis e flexíveis a ponto de se tornarem bastante permeáveis às energias irradiadas pelo operador. Com o afrouxamento intermolecular das partículas de matéria etérica e astral, os corpos espirituais se tornam menos densos e podemos fazer fluir a energia com muito mais facilidade, sem acumulações e bloqueios energéticos.

Técnicas de Sintonia Psíquica com os Espíritos
Quando houver uma diferença de gradação energética entre o médium e o espírito, é possível, através de pulsos magnéticos, realizar uma sintonia entre ambos, a ponto de permitir o contato por meio de diálogo e tratamento.

Dissociação do Espaço-Tempo                                                                                                                          

Essa técnica consiste na utilização da condição atemporal e inespacial do Universo. Tempo e Espaço são referenciais objetivos de nossa mente concreta. Essas dimensões podem ser dissociadas no plano espiritual e relativizadas. Passado e futuro encontram-se em estado potencial no presente, o único momento eterno que existe. Sendo assim, podemos romper a barreira do tempo através do comando mental e conduzir um espírito ou uma energia ao passado ou ao futuro. Esta técnica não deve ser realizada sem uma motivação plenamente ancorada no Bem e na caridade desinteressada. É possível levar um espírito a ver seu próprio futuro e assim descobrir o que lhe acontecerá caso insista em agir de determinada forma. Alguns espíritos podem ser acometidos por visões e sentimentos catastróficos de seu futuro e podem se deparar com situações das quais jamais imaginaram que ocorresse. É o Principio de Causa e Efeito sendo sentido diretamente. Dessa forma, podemos mostrar-lhe que seu comportamento terá consequências, mas estas podem ser evitadas. Algumas entidades podem até mesmo ver o exílio planetário. É uma forma de fazer-lhes compreender o quanto seus atos podem ser maléficos para que sintam a necessidade de transformação.

Cromoterapia Mental
 Na Apometria, médiuns e doutrinadores se utilizam da irradiação de luzes coloridas sobre a pessoa em atendimento. Para utilizar a cromoterapia mental, basta mentalizar a cor e projeta-la sobre a energia, o nível, a personalidade, o espírito obsessor, etc. Cada cor têm uma propriedade específica. A Cromoterapia mental é vista pelos apômetras como mais eficiente que a cromoterapia de luzes visíveis, pois o tratamento mental ocorre num plano sutil e canaliza as energias que estariam mais próximas da Fonte e da “essência” vibratória de cada cor.

  • Amarelo – Conscientização
  • Azul – Acalma e tranquiliza
  • Verde – Cura moléstias no corpo espiritual
  • Violeta – Transmutação
  • Prata – Desfazer magia negra ou energias negativas; ajuda a retirar aparelhos parasitas no corpo astral
  • Rosa – Estimular o afeto e amor incondicional
  • Branco – Faz diagnóstico e protege o ambiente de trabalho

Principais Conceitos de Apometria

Desdobramento
Diz-se da capacidade do espírito de se dissociar em muitas partes, quantas for necessário, até que seja possível descobrir onde está a anomalia ou o desequilibro nos níveis de consciência.   O espírito é Uno e indivisível, não pode ser dividido em hipótese alguma, porém seus veículos de expressão, ou seja, as formas que ele encontra para a sua manifestação podem ser divididas infinitamente. O desdobramento na Apometria não se refere apenas a projeção do corpo astral ou do corpo mental. Na Apometria, o desdobramento toma um sentido mais amplo. É encarado como a capacidade do ser de expandir-se infinitamente, sem ao mesmo tempo perder a sua Unidade. Esta possibilidade é utilizada com finalidade terapeutica, identificando os desequilibrios em cada uma das facetas do Ser.

Níveis de Consciência
O espírito é Uno em essência, mas múltiplo em manifestação. Assim, pode se manifestar em todos os planos, formas, tipos, épocas, etc. Cada uma dessas manifestações é chamada de “nível”. Porém, há alguns níveis principais e naturais, que formam a constituição setenária do espírito, suas sete manifestações fundamentais nos sete planos de consciência, os chamados sete corpos. Assim, os níveis de consciência podem incorporar nos médiuns e revelar aspectos das experiências que criaram as fixações dos níveis.

Personalidades Múltiplas (Personalidades de Vidas Passadas)
Alguns pesquisadores da Apometria, como J. S. Godinho, Camila Sampaio e outros, falam das projeções dos níveis de consciência como personalidades múltiplas. As Personalidades Múltiplas seriam personalidades que todos tivemos em vidas passadas. Elas tem nome, forma, costumes, crenças, comportamentos, experiências e podem agir de forma mais ou menos autônoma no plano espiritual. A independência das personalidades de vidas passadas proporcional a energia que a personalidade atual confere, de forma inconsciente, às tendências da personalidade múltipla. Se, por exemplo, uma pessoa foi um padre ortodoxo numa outra encarnação e ela hoje entra na Igreja e passa a manifestar-se com tendencias fundamentalistas, ela está dando energia ao padre e este pode a estar obsediando. Nesse sentido, não apenas os espíritos, mas tambem as personalidades múltiplas podem incorporar nas pessoas. Na visão de alguns apômetras, há casos de incorporação dessas personalidades que os psiquiatras chamam de “Transtorno Dissociativo de Identidade”.

Subpersonalidades
Trata-se de um termo originário de algumas abordagens de Psicologia, Psicologia Transpessoal e Psicossíntese. J S Godinho define as subpersonalidades como “desdobramentos do bloco de ego, consciência, ou projeções da atual personalidade. Podem agir com total consciência de si mesmas, embora essa ação não seja percebida pela consciência física.” Subpersonalidades seriam dissociações da personalidade da vida atual. Essa dissociação pode ocorrer num momento específico da história pessoal do indivíduo. Ela pode ser originada por diversos fatores, como traumas, sofrimentos, dores, apegos, costumes, vícios, idéias fixas, compulsões, etc. Hans Tendam explica como podem ser tratadas as sub-personalidades, através da sua técnica de “estados de ego”, chamadas atualmente de Personismo. As Sub personalidades podem ser comparadas ao conceito de “complexo” de C. G. Jung, que são representações autônomas inconscientes que agem independentemente da vontade da pessoa, criando divisões internas que passam a lutar umas contra as outras. As subpersonalidades podem se opor a vontade consciente do sujeito e podem até mesmo contrastar com outras subpersonalidades, criando uma fragmentação da personalidade.

Incorporação Anímica
No Espiritismo e na Umbanda há uma noção de incorporação que difere da Apometria. A incorporação apométrica pode ser de dois tipos: a incorporação mediúnica e a incorporação anímica. Na primeira o médium manifesta os atributos da entidade espiritual como se tivesse incorporado o espírito. O médium passa a agir como ele e supostamente reproduz fielmente seus comportamentos e seu modo de ser. Na incorporação anímica (que talvez nem deveria ser chamada de incorporação), o médium apenas visualiza o espírito no plano astral e pode conversar com ele sem que este use o corpo do médium para se expressar. Alguns chamam essa faculdade de “projeção mental”. O médium estaria observando os planos sutis e tendo contato com as energias que nele contém. Essa forma de contato espiritual é mais recomendada na Apometria, pois o vidente seria mais independente.Fonte

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s