Fenômeno Linhas de Ley

Nikola Tesla usou estas Linhas Ley para realizar sua famosa torre, que daria a energia livre para todos, e tinha seu o laboratório em Shoreham NY sobre uma delas.

AS LINHAS LEY O QUE É?
Pode-se dizer que as linhas ley existem em diversas formas, com diferentes graus de refinamento de várias formas de energia. As linhas ley são padrões energéticos que correm tanto em cima como embaixo da Terra. Elas circunavegam a Terra numa variedade de caminhos baseados em leis matemáticas, leis geométricas, essência vibracional, força geológica e campos eletromagnéticos e mineralógicos. Elas mudam e se movem, e têm sido utilizadas numa infinidade de modos através de éons do espaço-tempo. Nas eras de maior entendimento, épocas de maior tecnologia, elas foram percorridas como auto-estradas, utilizando-se a intensificação de energias muito refinadas. Através de tal entendimento, as linhas ley tinham a capacidade de ser usadas como condutores de transferência de energia e para comunicação. Desde a queda da Atlântica, sua utilização amplificada cessou, e perdeu-se a capacidade de sustentar este modo de uso. Como resultado, a rede refinada não está mais intacta, de modo que as linhas ley estão partidas em algumas áreas, rasgadas em outras, e as auto-estradas e caminhos parecem não fazer sentido. Elas não se conectam mais completamente através do globo.

A essência básica das linhas ley decorre de uma fonte natural. Elas são correntes de energia telúrica. À medida que elas se refinaram, algumas foram codificadas e construídas em novos paradigmas, os quais chamam-se de quinta e sexta dimensão. Estas substituíram as antigas, mas nem todos as descobriram ainda. E isto é apropriado.
Pode-se dizer que o sistema de linhas ley atua como o sistema nervoso do planeta vivo. O planeta também possui o que pode ser chamado de linhas axiotonais, meridianos e chacras.

As linhas ley não são constantes, muitos fatores podem causar sua mudança. Muitos fatores se somam ao seu complexo conteúdo energético, ou à falta dele. Pressão tectônica, magma, energia solar, ocorrência natural de campos eletromagnéticos postos em ação por minerais como o quartzo e até a decomposição de matéria orgânica, tudo isto cria calor e carga elétrica. Estas energias se acumulam e fluem através dos caminhos de condutividade da Terra, tanto sobre a crosta terrestre quanto ligeiramente acima ou embaixo dela. As regiões e locais da Terra, ricos em metal natural ou em teor de mineral condutivo, atraem a corrente destes fluxos eletromagnéticos. Quase todos os templos de geometria sagrada construídos pelos asiáticos, romanos, gregos, egípcios e maias têm linhas ley passando por eles. Algumas dessas estruturas foram construídas sobre as linhas ley, outras atraíram-nas para si. Muitos pontos nas linhas ley formam vórtices espirais.

Resultado de imagem para linha ley

OS VÓRTICES E AS LINHAS LEY

Os vórtices se formam por várias razões. Geralmente se entende que a causa é a intersecção de linhas ley. Eles também ocorrem em pontos de pressão tectônica, em vulcões, ao redor de montanhas íngremes e piramidais, ao redor de estruturas construídas pelo homem com base na [geometria sagrada]. Vórtices ocorrem naturalmente em grandes depósitos minerais, leitos basálticos, batólitos graníticos, confluência de rios, e em quedas d’água. Tudo isto projeta plasma subatômico, íons carregados e campos eletromagnéticos. Esta construção natural de energia começa a girar por natureza e assim forma-se um vórtice. É preciso esclarecer que vórtices não são portais e que não evoluem para portais, embora do seu ponto de vista possa parecer que sim, porque todos os portais atraem um vórtice para si. Os vórtices podem se tornar motores de distribuição da essência diamantina chamada akasha, e de energias de dimensões mais elevadas recebidas através dos portais. Nem todos os vórtices abrigam um portal, mas todos os portais têm um vórtice.
Seu termo “Ley” é uma palavra relativamente recente criada para descrever simplesmente uma linha reta que conecta dois pontos, mas tem um significado muito mais amplo. Define-se linhas ley como o aspecto cristalino consciente do fluxo eletromagnético – linhas e correntes que cruzam o planeta em forma de rede. Linhas ley são fluxos “treinados” de energia eletromagnética e, para fins de comparação, pode-se dizer que elas atuam como o sistema nervoso de Gaia. Na sua linguagem, as correntes que passam pelo solo são chamadas de linhas do dragão. Como tanto as linhas ley quanto as linhas do dragão são de natureza elétrica, elas correm por caminhos de condutores elétricos naturais.

A eletricidade ocorre naturalmente na Terra de diversas fontes. Água em movimento – como cachoeiras, chuva e ondas quando quebram – produz cargas, da mesma forma que a decomposição de matéria orgânica, pressão tectônica, vulcões, aquecimento solar e ventos. A própria crosta da superfície da Terra – com seus gases condutores de eletricidade, metais, cristais minerais semicondutores, matéria orgânica molhada e eletrólitos – oferece um excelente meio de se manter e produzir correntes elétricas. A mineralogia da camada abaixo da superfície realiza esse serviço. Íons carregados são atraídos para o solo e esta concentração iônica aumenta a intensidade das correntes telúricas através do efeito eletrodo. Assim como todas as formas de energia consciente, esta corrente elétrica pode ser direcionada. Os primeiros a fazer isto foram os sacerdotes cientistas de Atlântica, cuja origem é as Plêiades. Os padrões de energia telúrica, ou linhas do dragão, foram cientificamente detectados e mapeados, inspirados esotericamente e dotados de vontade consciente para correr em rotas específicas.
O sacerdote cientista Atla-Ra descobriu que se fizesse estas energias correr pelos seus cristais e transdutores magnéticos Arcturianos, estes poderiam ser amplificados, refinados e separados em formas de freqüências cristal-elétricas trançadas e polarizadas, capazes de criar campos antigravitacionais quando girassem em vórtices contrabalançados. Na tecnologia da Idade Dourada da Atlântida, estas linhas cristal-elétricas conscientes tornaram-se tão refinadas tecnicamente, que eram usadas para construir um labirinto de túneis para comunicação e transporte, e cruzadas para formar campos de energias para vários propósitos.
Elas foram ajustadas para correr dentro de fábricas para energizar a força de trabalho e nos campos agrícolas para estimular o crescimento das plantas e das plantações. Isto se conseguia, fazendo-se com que elas caminhassem por dutos transmitidos e amplificados por estações de força cristalina e geradores telúricos naturais, como a ilha Skellig Michael. No primeiro caso, elas eram usadas para ajudar na transmissão de ondas elétricas cristalinas para a utilização em casas de força.

EVIDÊNCIAS QUE COMPROVAM A EXISTÊNCIA DAS LINHAS LEY

LinhasLey3A mais antiga evidência a respeito de pesquisadores das linhas de Ley encontra-se no Ashmolean Museum of Oxford. Nele estão expostas um conjunto de 5 pedras mais ou menos do tamanho de um punho, esculpidas em 1400 AC, que representam precisamente os sólidos de Platão descritos no Timeus (que só seriam estudados oficialmente mil anos depois, na Grécia segundo as autoridades). Apesar destas estruturas serem extremamente delicadas e precisas, oficialmente, estas pedras são consideradas “projéteis de algum tipo não definido de boleadeira”.

LinhasLey4No British Museum também estão em exposição esferas de metal (de ouro e bronze) vietnamitas com respectivamente 20 e 12 pontos, que se encaixam e rolam umas sobre as outras, marcando uma combinação de 62 pontos e 15 círculos. Estas esferas possuem cerca de 2.500 anos de idade. Apesar destas esferas servirem como objeto de estudo dos sólidos de Platão e da combinação de pontos dentro de uma superfície esférica, oficialmente elas são “objetos de uso religioso não especificado”.

Combinando os dois principais sólidos de Platão, temos uma grade composta de 120 triângulos como a figura ao lado. Esta esfera metálica vazada foi encontrada por arqueólogos em ruínas na cidade de Knossos (durante a Idade Média, diversas imagens como esta apareciam em textos de alquimia e ela era chamada de “Esfera Celestial” por eles). Sua função era ser deixada ao sol para estudos da projeção das sombras sobre a esfera central. Com isto, os gregos (e egípcios e posteriormente os Pitagóricos, Alquimistas e Templários) conseguiram medidas precisas de distâncias no planeta, que só foram igualadas em precisão neste século, com os mapeamentos por satélite. Oficialmente, este é uma “esfera ornamental, de função desconhecida”

Os antepassados da seita que chamam-se Druidas eram descendente do Atla-Ra. Estes sacerdotes cientistas da Era Dourada da Atlântida eram homens e mulheres devotos e sábios que compreendiam a necessidade de conciliar a lei científica com a energia do divino. Isto era chamado de A Lei do Um e é semelhante ao que hoje denominam-se de Campo Unificado, embora o entendimento atual do mesmo não inclua o sagrado. Alé disso, a ciência integral não deve, não pode omitir o sagrado!
O Atla-Ra aprendeu que algumas das energias ley cristal-refinadas eram capazes de manter uma intenção e campo de percepção. Uma rede global desta categoria de energia ley foi instalada quando o sacerdote-cientista descobriu como usar os nós naturais de força como estações de transmissão e amplificação desta energia para conservar uma suficiência autogerada. Quando essas ley se integraram com pontos ápice de infinidade, o aspecto divino impregnou-se na consciência da sua energia. Este Atla-Ra, com a ajuda dos Mestres pleiadianos, arcturianos e os de Sírius B, criou rotas específicas de energia ley divina conectando os principais pontos de chacras do planeta. Estas podiam ser programadas com freqüências de som e cor, para aumentar a tranqüilidade e o bem-estar dos templos. Elas podiam se cruzar para criar vórtices de energia sagrada. Skellig Michael é uma dessas áreas, e embora seja uma sombra remanescente da sua capacidade original de multi-ley, ela se mantém a mais intacta nos tempos atuais.
Então, na verdade havia muitos tipos de sistemas de linhas ley na Atlântida. Alguns eram totalmente utilizados para força cristal-elétrica de várias formas; outros – aqueles que ainda funcionam, embora em fragmentos – eram as linhas ley de consciência divina. Realmente, os sobreviventes mais resistentes deste sistema são as linhas ley. Na verdade, o fato de se manterem assim intactas deve-se, em grande parte, ao trabalho dos Druidas que fugiram da Atlântida, antes da sua extinção, indo para mosteiros existentes na Grã-Bretanha, Europa, Egito e Og. As mais prolíficas foram as seitas da Grã-Bretanha e da França, que usavam aspectos antigravitacionais das linhas ley e som para ajudar na formação de círculos de pedras.
linhas leyA linha ley sobreviveu por uma infinidade de razões. Ela foi amplificada por círculos de pedra e pelas próprias catedrais que foram construídas no seu caminho, com base na geometria sagrada. No começo ela não era chamada de linha ley Miguel. Era conhecida como Linha Atlas na Atlântida, e Linha Toth no Egito e em Og. Seu nome pagão foi mudado para Miguel e Maria pelas sociedades secretas de sábios para protegê-la da Igreja. Os Franco-Maçons, que construíram catedrais capazes de amplificar a energia ley, utilizavam sempre a geometria sagrada. Quase todas as Catedrais e Monumentos Gregos foram construídos na base phi, o segmento áureo, diretamente nos nós de força ao longo das linhas ley.
As linhas ley não são constantes. Com o tempo elas mudam e se alteram. E então, aquilo que antes era um sistema resistente, agora está bem diminuído e fragmentado. Atualmente, o sistema de linhas ley é uma simples sombra do que era antigamente, e não circunavega mais o planeta. Entretanto, a corrente telúrica o faz, e muitas partes dela são realmente linhas ley em sua natureza, e atualmente este sistema está sendo reparado, especialmente pelos seres de Sirius B e por muitos de vocês, nos seus aspectos multidimensionais. Assim como nós de força inseridos em locais sagrados, as linhas do dragão também são capazes de ser imbuídas com energias da espécie humana e de locais sagrados, e se transformar em linhas ley refinadas.
Falando em termos gerais, o padrão de fluxo das linhas ley é bem específico. Elas sobem as montanhas abobadadas acima do Equador espiralando no sentido anti-horário, e descem no sentido horário. Elas correm para cima em linhas retas, em montanhas de forma piramidal. E sobem de forma espiralada os picos cônicos. É por isto que os picos das montanhas contêm frequências muito altas. Quando estas correntes passam através de estruturas construídas com base na geometria sagrada, ou através daquilo que chamam-se de locais sagrados, as correntes absorvem e irradiam luz mais elevada. Quando isto acontece, as linhas ley assumem uma natureza de consciência refinada, com capacidade para memória codificada. Os pontos de força das linhas ley conectam-se energeticamente com o sistema de grade e formam uma matriz geométrica que, por sua vez, pode atrair para si energias de dimensões mais elevadas. Estas se transformam em pontos de meridianos e, em alguns casos, em chacras da consciência viva da Terra.

LinhasLey6AS LINHAS LEY E O CORPO HUMANO

Cada linha ley, cada lugar sagrado, pode afetar e afeta o campo eletromagnético humano. Além disto, os arcos e ângulos de luz dos planetas e estrelas alimentam e influenciam as áreas de concentração de energia telúrica (que são chamados de vórtices elétricos ou externos) e, dependendo do alinhamento deles, podem realmente criar portais que atraem para dentro, ou aberturas que recebem luz-energia de fótons de luz estelar e solar, bem como das malhas de rede planetárias e de dimensões mais elevadas.

Se aceitarmos o postulado de que certos pontos de energia mais elevada existem neste planeta, e que eles realmente têm uma matriz cristalizada que projeta um padrão geométrico específico, então também podemos entender que estas fontes vivas de energia se comunicam através de oscilações harmônicas de energia. Por exemplo, se tivermos um diapasão na clave de Dó e tocarmos uma nota Dó num piano, a vibração musical desse piano também vai criar uma vibração nesse diapasão, por causa da lei que os cientistas chamam de oscilação harmônica. As oscilações harmônicas entre pontos de força da Terra e das dimensões mais elevadas também estão “afinadas” assim, de modo a ressoar aos harmônicos compatíveis.
Assim como o corpo humano tem sistemas sensoriais e órgãos que mantêm a saúde do corpo físico, o mesmo acontece com as linhas ley. As linhas ley mantêm a saúde da Terra física. Acima dos órgãos do corpo, têm linhas de meridianos que secionam o corpo e, ao fazerem isto, contribuem para o bem-estar do ser, que então transmite essa energia em diferentes formas, alimentando os órgãos, alimentando os sentidos e a consciência. Da mesma forma que o corpo humano passa por mudanças, assim também a Terra se diversifica e muda. O sistema de linhas ley muda e se adapta em características. Com a anunciada Ascensão planetária já em curso, e a chegada da “formatura” da Terra, não só o sistema de sensitividade da Terra, mas também o do ser humano vão se ajustar.
Acima do sistema de meridianos do corpo humano, está o que chamamos de linhas axiotonais. As linhas axiotonais são linhas distintas que conectam o corpo emocional, o corpo mental, o corpo causal, etc… ao corpo ascendido. E assim acontece com a Terra. A Terra também tem linhas axiotonais definidas por qualidades espirituais e celestiais, mais uma vez baseadas na matemática sagrada. Estas tocam certas áreas das linhas ley – tocam mas não se apoiam sobre delas. Mas intersecionam. Especialmente nos lugares em que as linhas ley estão rasgadas, partidas e desconectadas, as linhas axiotonais agem como pontes, pontes de uma dimensão para outra, para vencer abismos no conhecimento, para vencer abismos na história, para vencer os vazios da energia que se esgotou ou se desfez.
Quando visita-se uma conjunção de energia ley, ou um local sagrado, ou um complexo de vórtices, absorve-se sua mensagem única, sua geometria única. Cada um carrega em seu campo a energia de cada lugar sagrado, de cada ponto de força e de cada ponto da grade em cada continente que visitou. E têm a capacidade de conectar essas energias a si mesmos e uns aos outros. Aqueles chamados Guardiões da Terra, que foram levados a visitar tais lugares, podem se visualizar conectando-os com a Grade 144, e desta forma ajudar a conectá-los com a grade em evolução. E, neste processo, conectam e ativam a si mesmos.
O segmento de linha ley foi impregnado de luz divina e atraído a pontos de força e a pontos de alinhamento cósmico há cerca de 18.000 anos atrás. Como mencionado antes, a Linha Ley era chamada originalmente de Cinto de Atlas, antes de lhe ser dado um nome judaico-cristão. Mas a fonte de energia é a mesma. Ah, mas houve sabedoria Divina na mudança de nome! Quantas Catedrais Cristãs, construídas com pura geometria sagrada exatamente sobre os vetores e pontos de alinhamento cósmico desta corrente transcendental, teriam sido construídas desta forma, se essa linha ley fosse considerada pagã? Com certeza a igreja controladora teria proibido isto. E agora, apesar do seu controle, existem templos incríveis nos locais perfeitos para amplificar as energias de dimensões superiores, energias que não são presas a nenhum dogma religioso, a não ser ao puro Amor celestial.
A oscilação harmônica, permite que tais harmônicos mineralógicos sejam a fonte da conexão vibracional entre esses lugares. Esses harmônicos ocorrem não só na mineralogia, mas também por meio da geometria e do quociente de luz.
A verdade tem um meio de evoluir nos corações de todos que bucam, apesar das limitações do patriarcado ou de qualquer outro dogma restritivo. Todos somos a família do homem.

fonte:espiritosublime.blogspot.pt

c9380-linhaley

LINHAS LEY – A “CHAVE” PARA DESBLOQUEAR A MATRIX…

A redescoberta das LINHAS LEY neste século está revelando os cordões luminosos que formam a grade planetária, a luz da matriz energética criando, envolvendo e mantendo o planeta Terra; alinhadas com as placas tectônicas – este é um fato científico – liberam poderosas energias magnéticas; e sua onda têm afetado nossos corpos.
Nossos antepassados sabiam e usavam a energia eletromagnética nessas linhas para contatar os espíritos, e a cura na roda da medicina. Os indígenas, druidas, povos orientais, aborígenes da Austrália – as consideravam como “linhas do sonho” – afirmam que o conhecimento veio dos deuses do céu.

O livro Código Da Vinci foi baseado em Rennes-le-Château na França, também localizado em uma Linha Ley. Está documentado que Alexandre, o Grande, foi guiado por Aristóteles para assumir o controle dos principais centros destas intersecções das Linhas Ley usados pelas forças obscuras. É por isso que ele colocou Ptolomeu para governar o Egito – os romanos destruíram a Biblioteca de Alexandria, antes de tomar todo o conhecimento dela, e iniciar a “Idade das Trevas”. 
Durante os tempos medievais qualquer um que tivesse um conhecimento hermético foi designado herege e morto. 
Para impedir o conhecimento, apenas os membros da realeza e os mosteiros eram alfabetizados.

Ao longo da história todas as estruturas megalíticas foram estrategicamente construídas sobre essas linhas. Pirâmides de Gizé, Stonehenge, o Templo de Salomão, Parthenon, Oráculo de Delfos, Rennes Le Chateau, Catedral de Notre Dame, Zigurate, o Vaticano, Capitolio nos USA, Meca, Catedral de Sophia, Pirâmides astecas, Triângulo das Bermudas, incluindo todas as centrais nucleares, bases militares e stadiums- que também são usados para aproveitar energias- como baterias gigantes!

Muitas das seções onde duas ou mais Linhas Ley se cruzam são marcadas com obeliscos, como em Washington, Vaticano, e Agulha de Cleópatra, no Central Park. Estas linhas eletromagnéticas são como veias de Gaia, e recebem as energias do Sol que se conecta e afeta todos os seres vivos no planeta.

Nikola Tesla usou estas Linhas Ley para realizar sua famosa torre, que daria a energia livre para todos, e tinha seu o laboratório em Shoreham NY sobre uma delas.

Claro que existem forças escuras informadas sobre elas, sociedades secretas; Hitler – que trabalhou com Maria Orsitsch, famosa médium que mais tarde se tornou líder da Sociedade Vril. Ela recebia mensagem de alienígenas. Em 1945, Maria Orsitsch e TODO o Círculo Vril desapareceram misteriosamente, o que levou alguns escritores e místicos acreditarem que tenham fugido para Aldebaran.

Dias antes da última Lua de Sangue em 28 de Setembro de 2015, o Papa passou por importantes pontos de Linhas Ley. Fez um discurso no Capitólio, depois em Nova York passou da Times Square até a Agulha de Cleópatra no Central Park, e terminou sua viagem no Sino da Liberdade – Liberty Bell, na Pensilvânia.

O laboratório suíço “Cern” e o “Brookhaven Lab” em Nova York, ambos estão em Linhas Ley e ambos têm um Colisor de íons que impactam diretamente essas linhas de energia. O Cern Lab é o pai da Internet, e se você olhar para o Colisor, vai notar que se parece muito com a web. No local do Cern há uma grande cúpula com uma abertura no topo, igual a cúpula da Basílica em Roma, a do Capitolio, e da torre de Nikola Tesla. Além disso, este laboratório tem uma grande estátua da deusa Hindu da destruição – “Kali”, saudando, bem na frente de sua entrada.

Em discursos, JFK e Eisenhower, advertiram o público sobre o esforço concentrado de tecnocratas para manipular campos eletromagnéticos da Terra usando essas tecnologias, e controlar nossos pensamentos e emoções artificialmente.
E nesses pontos de energia a elite tecnocrática também mantém bases e todas as suas decisões aproveitando-se da sua energia.

Através de qualquer um dos 144 hologramas planetários está o potencial de nossa transfiguração de humanos a Seres de Luz também conhecido como Ascensão. Quando um número suficiente estiver consciente e desperto nenhuma máquina é páreo para nós. 
Se você não conhece o jogo, então está à mercê dos que planejam.

Se você está lendo isso é porque você está destinado a desbloquear as verdades mais escondidas.

Estamos ligados a campos eletromagnéticos da Terra e nosso coração é a nossa bateria.
Amor e empatia para a humanidade é a Chave para níveis mais elevados de consciência.

Sistema no planeta 

A TERRA / GAIA E AS LINHAS LEY

A Terra também tem linhas axiotonais definidas por qualidades espirituais e celestiais, mais uma vez, baseadas na matemática sagrada. Estas tocam certas áreas das linhas ley – tocam mas não se apoiam sobre elas, mas interseccionam. Especialmente nos lugares em que as linhas ley estão rasgadas, partidas e desconectadas, as linhas axiotonais agem como pontes, pontes de uma dimensão para outra, para vencer abismos no conhecimento, para vencer abismos na história, para vencer os vazios da energia que se esgotou ou se desfez.

Quando visita-se uma conjunção de energia ley, ou um local sagrado, ou um complexo de vórtices, absorve-se sua mensagem única, sua geometria única. Cada um carrega em seu campo a energia de cada lugar sagrado, de cada ponto de força e de cada ponto da grade em cada continente que visitou. E têm a capacidade de conectar essas energias a si mesmos e uns aos outros. Aqueles chamados Guardiões da Terra, que foram levados a visitar tais lugares, podem se visualizar conectando-os com a Grade 144, e desta forma ajudar a conectá-los com a grade em evolução. E, neste processo, conectam e ativam a si mesmos.

O segmento de linha ley foi impregnado de luz divina e atraído a pontos de força e a pontos de alinhamento cósmico há cerca de 18.000 anos atrás. Como mencionado antes, a Linha Ley era chamada originalmente de Cinto de Atlas, antes de lhe ser dado um nome judaico-cristão. Mas a fonte de energia é a mesma. Quantas Catedrais Cristãs, construídas com pura geometria sagrada exatamente sobre os vetores e pontos de alinhamento cósmico desta corrente transcendental, teriam sido construídas desta forma, se essa linha ley fosse considerada pagã? Com certeza a igreja controladora teria proibido isto. E agora, apesar do seu controle, existem templos incríveis nos locais perfeitos para amplificar as energias de dimensões superiores, energias que não são presas a nenhum dogma religioso, a não ser ao puro Amor celestial. A oscilação harmônica, permite que tais harmônicos mineralógicos sejam a fonte da conexão vibracional entre esses lugares. Esses harmônicos ocorrem não só na mineralogia, mas também por meio da geometria e do quociente de luz.

CONCLUSÃO

É estranho e fascinante cientistas comprovarem algo que há muito tempo é dito e desacreditado. Existe uma sutil ligação entre esses portais dimensionais e as Linhas de Ley, essas que por sua vez, já são alvo dos místicos há muito tempo. São considerado por eles como Centros de poder ou magia e são encontrados tanto na Terra quanto no corpo humano. Nos Ensinamentos Wiccanos, a própria Terra é uma criatura viva e consciente. Em outras palavras, é habitada por um SER ESPIRITUAL, do mesmo modo que nossos corpos são habitados por uma ALMA/ESPÍRITO. A Terra se alimenta da radiação de outros corpos planetários ao seu redor. Sua natureza física é como a natureza física das criaturas que nela vivem. Está sujeita a doenças, envelhecimento e declínio. Hoje, os rios, córregos e oceanos (sistema sanguíneo) estão cheios de toxinas criadas pelos seres humanos (do mesmo modo como vírus e bactérias criam toxinas em nossos próprios corpos). A Terra está muito adoentada e pede para ser curada. De acordo com os Ensinamentos Wiccanos, a Terra possui CHAKRAS, exatamente como o corpo humano. Segue-se uma lista desses centros, como compiladas pelos Ocultistas Ocidentais:

1 – A colina sagrada de Arunachala, no sul da Índia.
2 – A região trans-himalaia do Deserto de Gobi.
3. – Cairo, Egito.
4 – Glastonbury, na Inglaterra.
5 – Antigo local da Suméria, no Baixo Eufrates.
6 – Monte Shasta, na Califórnia.
7 – Uma montanha a cerca de 100 milhas do litoral do Peru, na região dos Andes, imediatamente oposta a Arunachala.

A “Luz é Invencível” traz mais esse assunto que nos faz pensar o quanto temos de amar nosso Planeta, cuidar dele e o quanto todo esse sistema interfere em nossas vidas, tanto na parte física quanto na mental e na espiritual. O despertar da Terra para uma nova fase de lucidez de seus habitantes, proporcionará o resgate destas forças, que fizeram parte dos povos antigos e que agora voltam em toda a sua plenitude. Esperemos com este texto, ter levado mais um pouco de conhecimento e despertar á todos.

“A verdade tem um meio de evoluir nos corações de todos que buscam, apesar das limitações do patriarcado ou de qualquer outro dogma restritivo. Todos somos a família do Homem.” – (desconhecido, porém, inteligente). Fonte

Assim como todas as formas de energia consciente, esta corrente elétrica pode ser direcionada. Os primeiros a fazer isto foram os sacerdotes cientistas de Atlântica, cuja origem é as Plêiades. Os padrões de energia telúrica, ou linhas do dragão, foram cientificamente detectados e mapeados, inspirados esotericamente e dotados de vontade consciente para correr em rotas específicas.

Linhas Ley e os Chacras

A linha ley sobreviveu por uma infinidade de razões. Ela foi amplificada por círculos de pedra e pelas próprias catedrais que foram construídas no seu caminho, com base na geometria sagrada. No começo ela não era chamada de linha ley Miguel. Era conhecida como Linha Atlas na Atlântida, e Linha Toth no Egito e em Og. Seu nome pagão foi mudado para Miguel e Maria pelas sociedades secretas de sábios para protegê-la da Igreja. Os Franco-Maçons, que construíram catedrais capazes de amplificar a energia ley, utilizavam sempre a geometria sagrada. Quase todas as Catedrais e Monumentos Gregos foram construídos na base phi, o segmento áureo, diretamente nos nós de força ao longo das linhas ley.

As linhas ley não são constantes. Com o tempo elas mudam e se alteram. E então, aquilo que antes era um sistema resistente, agora está bem diminuído e fragmentado. Atualmente, o sistema de linhas ley é uma simples sombra do que era antigamente, e não circunavega mais o planeta. Entretanto, a corrente telúrica o faz, e muitas partes dela são realmente linhas ley em sua natureza, e atualmente este sistema está sendo reparado, especialmente pelos seres de Sirius B e por muitos de vocês, nos seus aspectos multidimensionais. Assim como nós de força inseridos em locais sagrados, as linhas do dragão também são capazes de ser imbuídas com energias da espécie humana e de locais sagrados, e se transformar em linhas ley refinadas.

Falando em termos gerais, o padrão de fluxo das linhas ley é bem específico. Elas sobem as montanhas abobadadas acima do Equador espiralando no sentido anti-horário, e descem no sentido horário. Elas correm para cima em linhas retas, em montanhas de forma piramidal. E sobem de forma espiralada os picos cônicos. É por isto que os picos das montanhas contêm frequências muito altas.

Quando estas correntes passam através de estruturas construídas com base na geometria sagrada, ou através daquilo que chamam-se de locais sagrados, as correntes absorvem e irradiam luz mais elevada. Quando isto acontece, as linhas ley assumem uma natureza de consciência refinada, com capacidade para memória codificada. Os pontos de força das linhas ley conectam-se energeticamente com o sistema de grade e formam uma matriz geométrica que, por sua vez, pode atrair para si energias de dimensões mais elevadas. Estas se transformam em pontos de meridianos e, em alguns casos, em chacras da consciência viva da Terra.

Resultado de imagem para linha leyCada linha ley, cada lugar sagrado, pode afetar e afeta o campo eletromagnético humano. Além disto, os arcos e ângulos de luz dos planetas e estrelas alimentam e influenciam as áreas de concentração de energia telúrica (que são chamados de vórtices elétricos ou externos) e, dependendo do alinhamento deles, podem realmente criar portais que atraem para dentro, ou aberturas que recebem luz-energia de fótons de luz estelar e solar, bem como das malhas de rede planetárias e de dimensões mais elevadas.

Se aceitarmos o postulado de que certos pontos de energia mais elevada existem neste planeta, e que eles realmente têm uma matriz cristalizada que projeta um padrão geométrico específico, então também podemos entender que estas fontes vivas de energia se comunicam através de oscilações harmônicas de energia. Por exemplo, se tivermos um diapasão na clave de Dó e tocarmos uma nota Dó num piano, a vibração musical desse piano também vai criar uma vibração nesse diapasão, por causa da lei que os cientistas chamam de oscilação harmônica. As oscilações harmônicas entre pontos de força da Terra e das dimensões mais elevadas também estão “afinadas” assim, de modo a ressoar aos harmônicos compatíveis.

Assim como o corpo humano tem sistemas sensoriais e órgãos que mantêm a saúde do corpo físico, o mesmo acontece com as linhas ley. As linhas ley mantêm a saúde da Terra física. Acima dos órgãos do corpo, têm linhas de meridianos que secionam o corpo e, ao fazerem isto, contribuem para o bem-estar do ser, que então transmite essa energia em diferentes formas, alimentando os órgãos, alimentando os sentidos e a consciência. Da mesma forma que o corpo humano passa por mudanças, assim também a Terra se diversifica e muda. O sistema de linhas ley muda e se adapta em características. Com a anunciada Ascensão planetária já em curso, e a chegada da “formatura” da Terra, não só o sistema de sensitividade da Terra, mas também o do ser humano vão se ajustar.

Acima do sistema de meridianos do corpo humano, está o que chamamos de linhas axiotonais. As linhas axiotonais são linhas distintas que conectam o corpo emocional, o corpo mental, o corpo causal, etc… ao corpo ascendido. E assim acontece com a Terra.

A Terra também tem linhas axiotonais definidas por qualidades espirituais e celestiais, mais uma vez baseadas na matemática sagrada. Estas tocam certas áreas das linhas ley – tocam mas não se apoiam sobre delas. Mas interjeccionam. Especialmente nos lugares em que as linhas ley estão rasgadas, partidas e desconectadas, as linhas axiotonais agem como pontes, pontes de uma dimensão para outra, para vencer abismos no conhecimento, para vencer abismos na história, para vencer os vazios da energia que se esgotou ou se desfez.

Quando visita-se uma conjunção de energia ley, ou um local sagrado, ou um complexo de vórtices, absorve-se sua mensagem única, sua geometria única. Cada um carrega em seu campo a energia de cada lugar sagrado, de cada ponto de força e de cada ponto da grade em cada continente que visitou. E têm a capacidade de conectar essas energias a si mesmos e uns aos outros. Aqueles chamados Guardiões da Terra, que foram levados a visitar tais lugares, podem se visualizar conectando-os com a Grade 144, e desta forma ajudar a conectá-los com a grade em evolução. E, neste processo, conectam e ativam a si mesmos.

O segmento de linha ley foi impregnado de luz divina e atraído a pontos de força e a pontos de alinhamento cósmico há cerca de 18.000 anos atrás. Como mencionado antes, a Linha Ley era chamada originalmente de Cinto de Atlas, antes de lhe ser dado um nome judaico-cristão. Mas a fonte de energia é a mesma. Ah, mas houve sabedoria Divina na mudança de nome! Quantas Catedrais Cristãs, construídas com pura geometria sagrada exatamente sobre os vetores e pontos de alinhamento cósmico desta corrente transcendental, teriam sido construídas desta forma, se essa linha ley fosse considerada pagã? Com certeza a igreja controladora teria proibido isto. E agora, apesar do seu controle, existem templos incríveis nos locais perfeitos para amplificar as energias de dimensões superiores, energias que não são presas a nenhum dogma religioso, a não ser ao puro Amor celestial.

A oscilação harmônica, permite que tais harmônicos mineralógicos sejam a fonte da conexão vibracional entre esses lugares. Esses harmônicos ocorrem não só na mineralogia, mas também por meio da geometria e do quociente de luz. A verdade tem um meio de evoluir nos corações de todos que buscam, apesar das limitações do patriarcado ou de qualquer outro dogma restritivo. Todos somos a família do homem.

As Linhas de Ley, ou linhas energéticas que passam pela superfície da Terra, foram estudadas há 500 a.C. por Pitágoras, e até mesmo antes pelos chineses e hindus. Alguns dizem que os povos da Lemúria e Atlântida já tinham conhecimento dessas linhas. Foi somente em 1921 que Alfred Watkins voltou a falar nelas, sendo ridicularizado em público.

Coincidentemente ou não, essas linhas podem justificar eventos como as áreas mortas, os fenômenos magnéticos estranhos, o triângulo das Bermudas, etc. Relacionadas aos sólidos de Platão, também se vinculam aos símbolos da natureza, sendo: tetraedro como fogo, cubo como terra, octaedro como o ar, icosaedro como a água e o dodecaedro como  a prana, ou espírito. As Escolas Pitagóricas reuniram esses cinco símbolos em uma única esfera, criando um mapa de linhas formado por 120 círculos e 4.862 pontos específicos.

Esses pontos demarcam tanto a Terra quanto o corpo humano e, acredite ou não, cidades como o Egito, Londres, Paris, Berlin, Moscou, Washington, Brasília (mesmo criadas recentemente, essa últimas também são válidas!) se projetam perfeitamente em alguns pontos das linhas de Ley. Por que será que em mapas medievais, com pouco conhecimento das Terras e absolutamente nenhum satélite, as Américas, a Oceania e a Antártida eram desenhados de formas tão próximas da realidade? O fato é: em 1972 o cientista Churchward marcou em um mapa os 12 pontos em que mais ocorriam desaparecimento de barcos e aviões, constatando o formato triangular do icosaedro de Platão.

Arqueólogos constataram que os oráculos de pedras, pirâmides e templos religiosos também estão em pontos específicos e harmônicos da Terra. O Feng Shui nada mais é que a divisão dessas linhas, que pode ser feita infinitamente; daí a preocupação já muito antiga chinesa com essa nova “moda” ocidental para decoração. É claro que a falta de conhecimento leva a uma interpretação errônea do Feng Shui, o qual não necessariamente temos que posicionar a cama escondida do corredor. Tudo isso é calculado de forma precisa e científica pelos chineses. Não é a toa que alguns falam que um determinado lote está com “uma cabeça de burro enterrada”, porque todos os negócios quebram sem explicação – há lugares em que nos sentimos muito bem ou muito mal sem nenhuma explicação lógica aparente.

AS LINHAS DE LEY SÃO REAIS? EXISTE UM PADRÃO DE LINHAS SOBRE O NOSSO PLANETA OU É APENAS FICÇÃO?

Ao fazer essa pergunta, fui atrás de informações e encontrei muitas respostas e principalmente algo que o deixará com uma certeza da real razão sobre a geometria e a importância das linhas de Ley, como um plano de uma rede energética construída por alguma inteligência superior. Quando comecei a escrever esse artigo queria entender a razão de seguir as linhas de Ley, porque não sei se sabe, mas as rotas de OVNIs estão ligadas a linhas e parecem seguir um padrão. Há pelo menos um anoa atrás, recebi uma mensagem telepática em forma de imagem: a imagem era parecida com essa que fiz no photoshop para mostrar como vi.
Esta imagem existe em algum lugar do planeta, é uma representação do padrão das linhas Ley sobre a Terra, Quando vi essa imagem não entendi a ligação com as linhas e comecei a estudar várias outras opções, uma das opções foi transformar essa imagem em algo que já conhecia, o triângulo de Fibonacci, que você verá abaixo:
Você pode usar qualquer triângulo também, como triângulo equilátero, e que tem os lados iguais, porque o universo tem uma forma padrão, pelo menos as formas mais simétricas, como expliquei em artigos anteriores, o caos, representa as formas disformes e a geometria sagrada representa a força crística da Terra, o caos é representado pelo calor (inferno) e o frio (céu) na visão espiritual. O que posso te dizer é que o mal sempre será representado pelo calor e o bem pelo frio.

Essa é a diferença entre forças negativas, mais agitadas e forças positivas menos agitadas, essa formas geométricas precisas, fazem parte da simetria do universo( frio), ou relativista, ou mesmo o universo carnal. Toda matéria física é controlada por uma força de partículas menos e mais agitadas, líquidos seriam mais agitados e um cubo de gelo menos agitado, quero dizer que no frio a simetria é regida pela geometria sagrada.

Acima é a imagem de um floco de gelo, observe que a simetria é perfeita e formam-se triângulos geométricos equiláteros, pois essa é a forma da simetria sagrada, ou controlada pela física carnal humana, quanto mais frio, mais a forma é geométrica e podemos ter um controle. No caso da física relativista de Albert Einstein tem o controle dessa simetria no universo visível, A força quântica é confusa e cria o caus, onde você ver a física quântica pode-se dizer que é a física do “mal”, da confusão, do caos. Quando usei a palavra “mal”, não quero intencionalmente, dizer que a física quântica seja o mal, apenas coloquei um padrão de simetria para representar simetrias opostas. Não quero criar uma visão de lado errado e lado certo, apenas estou mostrando como o universo funciona, nem mesmo o lado maniqueísta das religiões.  Só quero mostrar duas forças antagônicas da natureza, e provar que existe dois lados na mesma simetria universal.
Os triângulos equiláteros representam algo mais do que simples triângulos, quando colocamos esses triângulo, quando colocado sobre um tubo ele forma nada mais nada menos que o ADN/DNA da vida na Terra. Para conseguir essa forma de  DNA, usei um programa de computador, e coloquei a figura 2 sobre um cilindro em 3d da figura 1, o qual consegui a imagem de um DNA.

Esse triângulo é uma representação bidimensional da forma do DNA, e não a forma real de um filamento de DNA, a forma é mais complexa e o DNA é em 3d, o que acontece é que a forma bidimensional gira no espaço 3d e forma a espiral como vemos na formação do ADN, os pares base são a parte de baixo do triângulo que vem de baixo para cima, fiz um gif animado mostrando como seria um triângulo em uma direção e girando no espaço 3d.

Então, o que quer dizer é que o triângulo vira um cone e podemos notar que essa é a forma do cone de luz,

Observe que o RNA está conectado com a velocidade da luz no espaço, e também podemos dizer que o DNA tem um momento sem conexão causal, quero dizer que: exatamente no cruzamento das linhas do filamento RNA, formam-se a conexão zero em tempo-espaço. Podemos explicar que o DNA/ADN é uma forma de espaço-tempo também. Isso explica até mesmo os movimentos do sistema solar ao redor do centro o Sol, e o movimento de velocidade para frente.

Observe nessa imagem a movimentação do sistema solar no espaço que também forma uma simetria muito parecida com o DNA/ADN, isso mostra que o triângulo é uma forma de vetor no espaço-tempo, se isso existe é peculiar no espaço, e os extraterrestres já conhecem esse processo de criação de vida, se o ADN é vivo ele está girando no espaço da mesma forma que uma galáxia ou um sistema solar, é uma característica intrínseca do universo. Portanto, o  universo como um todo funciona como um organismo vivo!
Por que as linhas Ley existem?
Na verdade, os antigos habitantes da Terra que fizeram esses monumentos seguindo um padrão geométrico em forma de triângulos que se ligam em seus vértices, e formam uma grade de triângulos justapostos, para formar um padrão DNA da Terra. Para que fazer isso? Muitos de vocês não imaginam que as forças da natureza se interpõe ao ser humano, muitos desses monumentos construídos estão até hoje em pé, essa é a razão das linhas Ley.

Observe esse ponto que está perto do Brasil e muitos céticos escolhem esse ponto para mostrar que as linhas Ley são falsas, mas será que é verdade? Pois, descobri que não, essa descoberta foi incrível e quase ninguém sabe, mas foi uma descoberta quase acidental, mas comprova que as linhas Ley são reais.

A descoberta foi feita por uma submarino japonês Shinkey 6500, estava retirando pedras do fundo do mar exatamente no ponto em que há um local demarcado como sendo um ponto onde existiria uma cidade antiga, provavelmente parte do continente perdido de Atlântida. O local é conhecido como: Elevado Rio Grande.

Exatamente nessa localidade existe uma elevação e que poderia ser considerado parte de um continente que ali existiu milhares de anos atrás e que afundou no mar e cientistas estão dizendo que seria a Atlântida brasileira, leia o artigo para ver que é verdade e não estou inventando.

Geólogos brasileiros anunciaram nesta segunda-feira (06/05/2015) que foram encontrados, a 1.500 km da costa do Rio de Janeiro, indícios de que estaria ali um pedaço de continente que submergiu durante a separação da África e da América do Sul, época em que surgiu o Oceano Atlântico.

O que importa é que o local está praticamente no ponto de uma linha de Ley, mais uma evidência de que as linhas existem, e mais ainda a ciência está comprovando cada vez mais que existem mistérios ainda indecifráveis em nosso planeta.
Por que esses pontos são importantes?
Os extraterrestres usam esses pontos como portais dimensionais, e podem entrar e sair deles usando uma forma de buraco de minhoca, pelo qual podem passar e sair em outros lugares do planeta ou do cosmos. Um exemplo desses portais é o que esse piloto descobriu ao entrar em um deles entre Bahamas e Flórida, onde existe um ponto de linhas Ley, assista ao vídeo.
As linhas Ley são portais interdimensionais por onde podemos encurtar distâncias e os extraterrestres usam elas com frequência, Bruce Gernon descobriu ao entrar em um deles, então a verdade é que realmente as linhas de Ley existem e ainda podem ser um dos maiores mistérios de nosso planeta guardado a 7 chaves por vários governos. Eles sabem e não querem comentar! Leia mais sobre esse caso em: http://www.electronicfog.com/
Agora, se existem a linhas de Ley, no planeta é porque alguém construiu pirâmides ou locais onde marcariam os locais, por onde essas naves estariam circulando, na verdade esses mapas já existiam milhares de anos atrás e foram feitos por alienígenas que aqui viveram.
As pirâmides foram construídas abaixo no local exato de uma dessas linhas de Ley, e são uma forma de abrir um portal dimensional, por onde seria possível sair e entrar em dimensões, e os antigos egípcios sabiam. Pois, Cairo significa: terra de Marte. Provavelmente, o Egito seria um portal de passagem de alienígenas vindo de possivelmente: Marte?  
Tudo leva a crer a que esses portais significam muito para os alienígenas e usam para esses fins e até quando os governos irão esconder a verdade? A NASA conhece e as agências secretas americanas também e até quando esconderão a verdade de nós, mas o que posso dizer é que não é mais segredo e um dia posso estar morto, mas terei certeza que esse conhecimento é verdadeiro.
Muita luz a todos.
Linhas de Ley (Ley Lines, em inlgês) são, supostamente, alinhamentos entre localidades geográficas e históricas, tais como monumentos megalíticos, colinas, montanhas, igrejas, cumes etc. Apesar de ser conhecidas por causa do seu caráter místico, elas já tiveram outra conotação.
O interesse nessas linhas surgiu após a publicação de Early British Trackwayse The Old Straight Track, em 1921,por Alfred Watkins, um arqueólogo amador. Ao traçar várias retas num mapa de  Blackwardine, Inglaterra, que ligavam pontos de características antigas (pedras de pé, encruzilhadas, igrejas etc), convenceu-se de que havia descoberto rotas comerciais dos povos que habitavam o lugar. Acreditava que esses povos criavam rotas tomando como ponto de referência características proeminente da paisagem.
Com a publicação de The View Over Atlantis, em 1969, por John Michell, este reviveu o termo de Linhas de Ley, dando um novo significado a elas. Ele as associou com linhas de forças místicas e espirituais sobre alinhamentos e formas do relevo, a partir do conceito de feng shui.  
Apesar de não existir credibilidade científica em nenhuma das duas teorias, o termo acabou sendo reutilizado por grupos místicos, que a moldou para se tornar compatível com suas crenças. Atualmente, acredita-se que as Linhas de Ley existem em todo o globo terrestre, como veias, interligando localidades diversas e tornando possível a amplificação da magia por onde passam. Acredita-se, também, que os druidas construíam círculos de pedras no ponto em que duas linhas importantes se cruzavam, pois, neste lugar, a energia seria mais forte.
Alguns dos antigos monumentos, tais como as pirâmides e os círculos de pedras, foram construídos, supostamente, usando técnicas de estudo astronômico de forma que a localização do monumento era compatível com o ponto sobre a Terra onde a visualização dos astros era ideal. Consequentemente, também se acredita que as Linhas de Ley estão alinhadas seguindo padrões astronômicos.
Além disso, outras correntes de pensamento preferem acreditar que as Linhas de Ley eram – e ainda são – “os caminhos dos mortos”, ou seja, trilhas de energia em que os espíritos vagavam. 
Há ainda teorias que indicam que elas alteram o campo magnético terrestre ao interagirem com os astros, sobretudo com o Sol; o que explicaria a mudança de suas posições e as suas oscilações através dos anos.
Estariam as Linhas de Ley relacionadas às Linhas de Nazca
Como encontrar tais linhas? Seguindo a teoria de que elas alteram o campo magnético da Terra, elas podem ser encontradas com o auxílio de instrumentos de percepção de linhas magnéticas. Assim, quando o campo sofresse uma oscilação, seria indício de que ali existiria uma Linha de Ley.

Uma Grade Invisível se Estende por Todo o Planeta 

Existe uma “Grade de Energia” invisível em torno do planeta? Uma grade que mantêm o segredo da obtenção de energia que pode ser usada para o bem ou para o mal?

 

Grade Planetária-Post-25.01.2016Nikola Tesla disse uma vez: “Se você quiser descobrir os segredos do Universo, pense em termos de energia, frequência e vibração.”

Hoje sabemos que Tesla estava certo. A física quântica tem demonstrado que toda a matéria em seu núcleo subatômico é realmente energia. Isso inclui tanto a vida senciente, como objetos inanimados e as partículas do espaço. A matéria é de fato, energia. Na sua (aparentemente) forma sólida, a matéria também emite energia, como inúmeros estudos têm demonstrado. E quando se trata de matéria que emite energia, nenhuma pode ser mais importante para nós entendermos do que uma grade energética. Uma grade que rodeia a Terra.

Porque isto é importante?…Porque se a Terra emite energia ao longo de linhas específicas e nos pontos de cruzamento ela pode ser aproveitada pelos seres humanos, aqueles conscientes deste poder estão em uma clara vantagem sobre aqueles que permanecem ignorantes.

— Mais do Que se vê?… Tal como acontece com muitos “mistérios não resolvidos”, a noção de uma grade que circunda a Terra tem polarizado especialistas e descrentes em dois campos distintos: Os defensores e os que negam. Enquanto os defensores argumentam que existe ampla evidência para provar a realidade das grades energéticas, os que negam categorizam a teoria como outro elemento popular dos teóricos da conspiração. Mas mesmo se os pensadores tradicionais descartassem a própria existência de uma grade, um exame mais detalhado indica que existe muito mais do que o olho consegue ver.

As “Linhas Ley” e os Centros de Energia Pré-históricos….As linhas que compõem esta grade são muitas vezes referidas como “Linhas Ley” e quando nós as estudamos de perto, descobrimos que os seres humanos ao longo da história parecem ter estado bem cientes de sua existência, graças ao muitos locais antigos encontrados ao longo delas.

O termo “Ley” vem do anglo-saxão, que significa “tiras limpas de terra” ou “prados”. Mas estas linhas a que nos referimos são essencialmente energéticas e existem se a Terra está sem a sua cobertura vegetal, ou não.

Todas as linhas de energia se encontram em pontos de intersecção formando uma matriz ou grade em todo o planeta. Estes pontos da grade, de acordo com os estudiosos são os “pontos de energia” mais fortes na Terra. Aparentemente, muitos dos nossos antepassados também pensavam assim uma vez que locais sagrados como Hentges, montes megálitos, pirâmides, vórtices de energia famosos e até mesmo catedrais estão frequentemente localizados diretamente sobre estes pontos de energia em forma de cruz.

Na verdade, o mapeamento da grade nos mostra que muitos dos locais mais famosos do mundo ficam sobre os pontos de encontro das Linhas Ley. Machu Picchu, as Pirâmides de Gizé, a ilha de Páscoa, Puma Punku, Lhasa no Tibet, as antigas ruínas de Mohenjo Daro, Findhorn na Escócia, o Triângulo das Bermudas, os vórtices no Arizona, Angkor Wat, as Linhas de Nazca, numerosos obeliscos e as estruturas sagradas abobadadas ao redor do mundo todo atestam a possibilidade muito real de que algo além do mundo visível está envolvido aqui. Exatamente como os nossos antepassados sabiam sobre estas linhas poderá permanecer um mistério para sempre, mas o que podemos deduzir a partir de hoje com o nosso próprio conhecimento, revela informações que podem ajudar poderosamente o planeta ou prejudicá-lo profundamente durante estes tempos muito críticos.

— Uma Pseudociência ou um Fato dos Sólidos Platônicos?…De acordo com o pensamento dominante da “ciência”, o estudo de uma grade planetária é considerado uma “pseudociência”. No entanto, quando olhamos para a precisão matemática relacionada com essa grade e sua relação com os padrões e temas refletidos na Geometria Sagrada, um significado além do pensamento científico materialista começa a emergir.

Platão admitiu a existência das grades e formulou uma teoria afirmando que a estrutura de base do planeta evoluiu geometricamente: desde as formas mais simples até as mais complexas. Não é nenhuma surpresa que essas formas são hoje conhecidas como os “sólidos platônicos” e incluem o seguinte: o cubo, o tetraedro, octaedro, o dodecaedro e o icosaedro. 

Segundo a teoria de Platão, estas grades de energia ao redor da Terra evoluíram através de cada uma das formas ao longo do tempo, com a mais complexa se sobrepondo sobre a sua antecessora. O resultado é um campo abrangente que constitui a base energética da Terra. Uma energia de acordo com Platão, que literalmente mantém a Terra coesa.

O início da Identificação das Linhas Ley… Em 1921, Alfred Watkins, um pioneiro Inglês de fotografia percebeu algo que chamou de “inundação de Memória Ancestral” enquanto olhava para um mapa da paisagem rural de Herefordshire. Watkins percebeu que inúmeros locais pré-históricos tais como pedras eretas, montes funerários de terra, montes de terra pré-históricos e outras características estavam em linha reta que se estendiam por quilômetros em todo o país. Watkins passou muitos anos estudando estes alinhamentos, tanto no solo como em mapas. Ele tirou fotografias, escreveu livros e deu palestras. Em resposta ao seu trabalho, especialmente do seu livro mais importante, “As Antigas Faixas Reta” (1925), um grupo de pessoas em toda a Grã-Bretanha criou o que chamaram de “Clube da Faixa Reta”. Este grupo realizou pesquisa de campo em toda a Grã-Bretanha, à procura de alinhamentos de sítios e restos de antigas faixas retas que encontraram.

A partir da década de 1960 a pesquisa de Alfred foi não só estudada como modificada por outros. Um deles foi Tony Wedd, um ex-piloto da Força Aérea Real. Wedd acreditava que as linhas serviam para uma função totalmente diferente. Ou seja: as “linhas cruzadas” eram usadas como locais de pouso de OVNIs. A hipótese de Wedd inspirou outras investigações ao longo dos anos 1960 em uma escala global, estudando a saída de energia ao longo das linhas Ley.

— Vórtices Infames… Como se vê, existem vários mapas diferentes da grade das linhas Ley. A variedade pode ser atribuída a diferentes investigadores ao longo do século 20. Todos eles no entanto, tiraram suas conclusões a partir das geometrias fundamentais dos sólidos platônicos.

Bill Becker e Bethe Hagens, por exemplo, realizaram uma extensa pesquisa sobre as linhas Ley. Sua revisão do código de posições terrestres dos sólidos platônicos foi baseada na obra de Ivan P. Sanderson. Sanderson foi o primeiro a argumentar que a forma icosaedro era evidente e funcionava em todo o planeta. Sanderson identificou o que ele chamou de “Vórtices Infames” geometricamente distribuídos em 12 locais chave em todo o planeta. Todos estes locais compartilham algo semelhante, qualidades maioritariamente negativas. Os mais famosos entre eles são o Triângulo das Bermudas e o Mar do Diabo. Becker e Hagens utilizaram na maior parte do tempo o mapa da grade planetária inicialmente traçado pela equipe russa de Goncharov, Morozov e Makarov. A equipe russa organizou a grade de forma diferente de Sanderson, baseando-se em vez disto na relação entre a Grande Pirâmide de Gizé e o axial dos pólos norte e sul. No entanto, Becker e Hagens acreditavam que a versão russa estava incompleta. Isso os levou a teorizar e traçar uma nova variação mais complexa da grade da Terra, com base no poliedro icosaédrico esférico de R. Buckminster Fuller.

Anúncios

Uma ideia sobre “Fenômeno Linhas de Ley

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s