Boriska Kipriyanovich, o menino Russo que veio de Marte…

Boriska Indigo Boy from Mars MARTE ALIENIGENA 2014Você já deve ter ouvido inúmeras histórias de sujeitos que diziam manter contato com seres de outros planetas, certo? Mas você já tinha ouvido falar a respeito de criancinhas alegando esse tipo de coisa? Não? Então, se prepare para conhecer o curioso caso de Boriska Kipriyanovich, o menino russo que diz ter vivido em Marte em uma de suas vidas passadas e que assombrou cientistas com o seu conhecimento sobre o Universo.

Boriska — ou “Pequeno Boris” em russo —, hoje com 20 anos de idade, ganhou notoriedade quando ainda era criancinha e começou a contar ao mundo sobre suas experiências em vidas passadas, a respeito do antigo continente perdido de Lemúria e sobre o destino da civilização de Marte.

boriska-6-638

O impressionante relato do Russo que desde criança revela detalhes de sua suposta vida passada em Marte …

Ser famoso em todo o mundo devido a um relatório de 2004 do jornal russo Pravda e, em seguida, a divulgação x projet, a vida mudou drasticamente Boriska, hoje, é um jovem de 16/17 anos, sempre rosto calmo e triste, vive em reclusão e não gosta falar com estranhos, tudo que ele quer é ser esquecido … o que conta é um artigo recente pelo respeitado escritor russo Gennady Belimov, professor universitário e pesquisador que participou do acampamento onde Boriska começou a falar sobre as suas experiências passadas. Seus pais compraram gravadores para gravar histórias Boriska de vidas passadas, fala devagar se tornando menos de Boriska, e hoje já está esquecido. lembranças curiosas de suas gravações narradas por Boriska sobre cataclismos graves em Marte foram apresentados. Por exemplo, ele insiste que as últimas centenas de milhares ou mesmo milhões de anos, houve problemas graves com água. Mars começou a perder a sua atmosfera e água. Boriska disse que não havia embarcações especiais que estavam no planeta mais próximo, a Terra, para obter água. Como cilindros que servem como navios-mãe.
Uma vez, enquanto assistia a um programa de televisão no Discovery Channel, ele começou a falar animadamente sobre a civilização Gray. “Eles não são marcianos”, disse ele, apontando para a tela. “Nós não somos, nós somos mais perto de lêmures e Atlantes.” Segundo ele, as cinzas são cruel. Eles são de outra galáxia.
 “Nós até tivemos que lutar contra eles, porque eles são os agressores. Nossa raça foi tipo, menos agressiva e mais intelectual, poderia até usar energia psíquica.”, Disse Boriska.
De acordo com a mãe da criança, que tinha algo que parecia memória brotos, que nunca se repetem novamente depois que ele voltou para o seu jogo e se esqueceu de tudo. Mas, para o desgosto de todos e Boriska ele não falar sobre estas questões Marte ou o sistema solar, a criança, nas palavras dos especialistas, está fechando. As chances são as dificuldades da nossa realidade terrena é fazer isso acontecer. Hoje, a única distração Boriska é a tela de computador que está jogando todos os dias. Quando alguém tenta falar com ele sobre qualquer assunto que é amplamente ignorada, a vida em Marte já não é mais interessado.
Agora Boriska é uma pessoa reservada e hostil. A abertura e criatividade da criança teve um papel negativo na sua sorte. Crianças da sua idade e até mais velhos, como de costume em nossa sociedade, são feitos reagir com ciúme e inveja o menino. Em várias ocasiões, ele pegou na rua e foi insultado várias vezes, e aprender a se defender ele teve que aprender a lutar. Tudo isso o deixou muito triste. As pessoas começaram a tratar Boriska de forma diferente depois de se tornar uma celebridade. A maioria respondeu com interesse e curiosidade, mas cerca de 15-17% reagiram com Ravia ódio incompreensível. Infelizmente, eles são de alguma forma os meninos mais cruéis prosseguidos. Como Jesus Cristo, que veio e ensinou as pessoas a fazer o bem, eles tinham pensado que enfurecendo querem crucificá-lo. ser diferente do menino, como ele não se encaixava em nenhum sentido a média de uma criança normal, e, infelizmente, este facto que o tornou famoso, ele também era seu infortúnio. Algum tempo atrás, uma mãe enviou uma mensagem para a escola: “Lança fora da escola Boriska, ele está ensinando nossos filhos a morrer …”, ela foi conduzida uma investigação, eo garoto havia dito a seus colegas sobre o reencarnação, falou sobre a reencarnação das almas e em que, aliás, é um exemplo e testemunho. Mas, aparentemente, a palavra ea idéia não era conhecido por muitos na escola, e por isso eles estavam muito preocupados com a possibilidade de suicídio entre as crianças. Somando-se os seus problemas, veio o divórcio de seus pais, e com ela a divisão do apartamento recém-obtido, o menino teve que se mudar. Nesta luta não havia espaço para as crianças e os problemas de seus filhos: com fome, muitas vezes fui para comer na casa de uma tia, deixando triste Boriska ainda. Um conhecido da família diz que hoje Boriska está passando por dificuldades. “As primeiras pedras foram jogadas em Boriska … e começou a fechar.” A principal razão, é claro, é a atitude e pessoas más. Os cientistas russos estão actualmente a estudar este caso. Vladislav Lugovenko Professor, Doutor em Física Matemática, Instituto de Magnetismo Terrestre, da Academia Russa de Ciências (IZMIRAN) pretende continuar os estudos sobre a criança e escreveu um livro sobre Boriska onde revelações importantes foram registrados.
Um menino chamado Boris Kipriyanovich (acima), ou Boriska, vive na cidade de Zhirinovsk da região de Volgograd da Rússia. Ele nasceu em 11 de janeiro de 1996. Desde que eu tinha quatro anos, eu costumava visitar uma zona anômala conhecido, vulgarmente conhecido como Medvedetskaya Gryada – uma montanha perto da cidade. Parece que o menino tinha que visitar a área regularmente para atender às suas necessidades pais energéticas. Los Boriska, são pessoas agradáveis, cortês e hospitaleiros, estão preocupados com seus talentos filho fascinante .Eles não sei como os outros percebem Boriska quando crescer. Ele diz Eu ficaria feliz em consultar um especialista para saber como aumentar o seu prodígio. Sendo um médico, sua mãe não pôde deixar de notar que a criança poderia levantar a cabeça e 15 dias após nascimento. Éle pronunciou a primeira palavra “baba” quando ele tinha quatro meses de idade e logo depois começou a proferir palavras sencillas. Em um ano e meio, não teve problemas para ler os titulares.A dois anos, ele começou a desenhar e pintar dobrados seis meses depois. Quando atingiu os dois, ele começou a ir para uma creche tutores imediatamente local.Los eles viram o rapaz incomum, seu pensamento incomum e rápido, as competências linguísticas e de memória única. Sim mas seus pais disse que Boriska ter conhecido não só do mundo exterior, mas através de canais misteriosos também. Viram-no de ler informação desconhecida de algum lugar. “Ninguém jamais lhe ensinou”, disse a mãe de Boriska. “Às vezes, sentado em posição de lótus e começar a dizer-nos fatos detalhados sobre Marte, sistemas planetários e outras civilizações, o que realmente nos atordoa.”

Menino prodígio…

De acordo com a mãe do garoto, uma médica chamada Nadezhda Kipriyanovich, o parto de Boriska foi incrivelmente rápido e ela sequer chegou a sentir dor. Além disso, logo que colocaram o bebê em seus braços, Nadezhda notou que o pequenino a encarava atentamente, coisa que, ela como médica, sabia que os recém-nascidos não conseguem fazer.

Boriska quando era pequeno.

Ainda segundo a mãe do menino, Boriska raramente chorava, já tinha o pescocinho firme aos 15 dias de vida e pronunciou sua primeira palavra aos quatro meses. Boriska começou a falar vocábulos mais complexos pouco tempo depois e, aos sete meses, já formava frases. Com um ano e meio ele já conseguia ler e, quando fez dois anos e começou a ir à escolinha, assombrou todo mundo por lá com a sua precocidade e inteligência.

Os estranhos relatos sobre as vidas passadas, continentes perdidos, civilizações extraterrestres e viagens intergalácticas começaram mais ou menos nessa época também — e, evidentemente, assustaram um pouco os pais do menino. Afinal, quantas crianças de pouco mais de dois anos você conhece que sabem nomear todos os planetas do Sistema Solar, incluindo os principais satélites, e as várias galáxias que se encontram próximas à nossa?

Boriska durante uma entrevista a uma equipe de reportagem norte-americana.

Detalhe: segundo a mãe de Boriska, nem ela nem o pai do garoto falavam sobre esses assuntos em casa, portanto, eles não fazem ideia de onde ele tirava tanto conhecimento. E tem mais: Boriska geralmente adotava a posição de lótus — bem comum entre aqueles que praticam a meditação — quando falava sobre o tema!

Cientistas criam um mapa tridimensional de canais subterrâneos de Marte. A descoberta pode esclarecer o papel da água no passado geológico do planeta vermelho.

A criança também diz que usou um navio para voar para a Terra para fins de pesquisa, quando ele era um marciano.
Por outro lado, ele foi testado uma nave espacial sozinho, mesmo.
Foi o que aconteceu na época da civilização da Lemúria. Ele fala da queda de Lemuria como se ocorreu em passao.
Ele diz que Lemurians morreu porque deixou de se desenvolver espiritualmente e unidade de seu planeta quebrou.
Quando sua mãe lhe trouxe um livro intitulado “Quem somos originários de” Ernest Muldashev, eu estava muito animado com isso.
Ele passou muito tempo olhando através dos esboços de Lemurians, imagens de pagodes tibetanos, e então ele disse a seus pais de lêmures e da cultura por várias horas sem parar. Mientras falou, a mãe notou que Lemurians viveu 70.000 atrás anos e nove pés de altura … “Como você pode lembrar de tudo isso?” A mulher perguntou ao filho. “Sim, eu me lembro, e ninguém me disse isso, eu vi”, segundo livro disse Boriska . Muldashev “Em Busca da Cidade dos Deuses”, ele olhou através de fotos por um longo tempo e lembrou-se a maior parte do pirâmides e templos. Logo disse que as pessoas não encontrar o conhecimento antigo sob a Grande pirâmide de Quéops conhecimento .A pode ser encontrado em outra pirâmide, o que não foi descoberto ainda. “A vida humana vai mudar quando a Esfinge está aberto, tem um mecanismo de abertura em algum lugar atrás da orelha, não me lembro exatamente”, disse ele. Boriska é uma das assim chamadas crianças índigo .Começaram a aparecer na Terra como um símbolo da próxima menino grande transformação planeta.El diz que o deslocamento de pólos da Terra causará duas catástrofes: em 2009 e 2013 . Only alguns as pessoas a sobreviver, disse ele. “Não, eu não tenho medo da morte, porque vivemos eternamente. Houve uma catástrofe em Marte, onde eu morava. Pessoas como nós ainda vivem lá. Havia uma guerra nuclear entre os dois.
Tudo foi queimado. Apenas alguns deles sobreviveram, abrigos construídos e criou novas armas.
Todos os materiais modificados marcianos respiram principalmente dióxido de carbono. Se eles voaram para o nosso planeta, agora, eles teriam que gastar tanto tempo com tubos e respirando a fumaça “, disse Boriska.” Se você é de Marte, o dióxido de carbono é necessário “?” Se eu estou neste corpo, eu respirar oxigênio.
Mas você sabe, ele faz com que o envelhecimento. “Especialistas perguntou ao menino porque o homem obtida pela sonda muitas vezes falha quando se aproxima de Marte.” Marcianos transmitir sinais especiais para destruir estações contendo radiação nociva “, disse Boriska. O menino tem um espaço de compreensão profunda e suas dimensões.
Ele também está ciente da estrutura de UFOs interplanetárias.
Fala dele como um perito, chama UFOs em ardósias e explica como eles funcionam.
Aqui está uma de suas declarações: “Eles têm seis camadas da camada superior das contas de metal sólido para 25 por cento, a segunda camada de borracha – 30 por cento, a terceira camada de metal – 30 por cento, e última camada propriedades magnéticas -. .. 4 por cento Se damos energia para a camada magnética, naves espaciais serão capazes de viajar por todo o universo
Boriska também diz que em sua vida passada era uma espécie de soldado que participou de uma guerra em Marte, onde morreu, navios poderiam viajar mais rápido x do sistema solar e outros navios ir para outros universos. Boriska tem uma série de dificuldades na escola. Depois de uma entrevista que ele foi levado para a escola, mas, em seguida, tentou se livrar dele. Ele constantemente interrompe professores e diz que eles estão errados … agora o menino tem aulas com um professor particular.

Proserpina, Lemúria e Marte…

Aos cinco anos de idade, Boriska começou a contar histórias a respeito de um planeta chamado Proserpina. Segundo o menino, esse mundo distante teria sido completamente destruído há milhares — ou talvez milhões — de anos após um raio de energia parti-lo ao meio, mas, por sorte, os proserpinianos foram teleportados até a quinta dimensão. O garoto sabia disso porque havia observado a catástrofe acontecendo de Marte.

Representação artística de Lemúria.

Mais tarde, Boriska começou a contar que costumava viver em Marte, na época em que o planeta ainda era habitável, e que visitava a Terra com frequência em missões científicas — aliás, era ele quem pilotava a nave. Segundo o garoto, então, o nosso planeta contava com um único continente habitado, Lemúria, e ele servia de lar para os lemurianos, uma civilização composta por seres com mais de nove metros de altura.

Esse continente teria se fragmentado e sido engolido pelo oceano depois de uma série de montanhas explodirem na superfície há cerca de 800 mil anos, levando ao desaparecimento dos lemurianos e sua terra. Segundo Boriska, a civilização que vivia em Marte também quase desapareceu por completo quando o planeta perdeu sua atmosfera e água.

Os marcianos viveriam em cidades subterrâneas.

Conforme dizia, Marte era habitado por pessoas muito parecidas com os terráqueos atuais, mas uma guerra nuclear acabou devastando o Planeta Vermelho completamente. Entretanto, alguns marcianos se salvaram, e hoje vivem em cidades que foram construídas sob a superfície — onde tiveram que se adaptar para respirar principalmente dióxido de carbono.

Aliás, segundo Boriska, os marcianos não envelhecem nunca, “congelando” no tempo quando atingem idades entre os 30 e 35 anos — o que não ocorre aqui na Terra por causa do oxigênio, que provoca o nosso envelhecimento. Ele também contou o motivo de tantas sondas espaciais terem se acidentado ao se aproximar do solo marciano: as baterias desses equipamentos emitem radiação e, portanto, estações espaciais que existem no planeta emitem sinais para danificá-los.

Os marcianos seriam capazes de viajar por todo o Sistema Solar.

E falando em naves, o menino também chegou a descrever com detalhes a nave que ele pilotava em suas viagens. Composta por uma série de camadas de materiais diferentes — como metais, borracha e elementos com propriedades magnéticas —, a espaçonave viajava através de várias dimensões para chegar mais depressa ao seu destino.

Mais lembranças estelares…

Segundo Boriska, ele era piloto de uma nave de pesquisas científicas, e disse que vinha à Terra com frequência coletar água quando o líquido começou a desaparecer no Planeta Vermelho. Ele também contou que os marcianos eram capazes de viajar por todo o Sistema Solar e que mantinham bases espaciais em vários planetas e em algumas de suas luas. Além de viajar com frequência à Terra, Boriska também pilotava muito a Saturno.

Boriska não limitava a pilotar apenas de Marte até a Terra

Entretanto, Boriska era responsável mesmo por Júpiter — e ele participava de um projeto no qual os marcianos pretendiam criar um segundo Sol no Sistema Solar a partir desse planeta. O projeto acabou sendo cancelado porque não havia nas nossas redondezas a incrível quantidade de massa necessária para a criação de uma nova estrela.

Boriska dizia se lembrar da época da construção das pirâmides do Egito, e contou que não vamos encontrar nenhum conhecimento dos antigos egípcios enterrado sob a Pirâmide de Quéops. Segundo ele, o conhecimento se encontra sob outra pirâmide, uma que ainda não foi descoberta. Boriska também contava que as vidas dos humanos mudarão quando a Esfinge for aberta — por meio de um mecanismo que se encontra atrás de uma das orelhas da estrutura.

Crianças proserpinianas…

Voltando aos habitantes de Proserpina — que foram teleportados à 5ª(quinta) Dimensão quando seu planeta foi destruído —, Boriska revelou que a Terra, como um ser vivente e consciente, começou a aceitar crianças proserpinianas para educá-las. Por conta disso, existem indivíduos que nascem no nosso mundo que conseguem se lembrar de suas vidas em Proserpina e, portanto, se consideram alienígenas.

Habitantes da quinta dimensão.

E falando sobre o nosso planeta e o motivo de os terráqueos adoecerem, Boriska contou que as doenças vêm da nossa incapacidade de viver de forma correta e ser feliz. Segundo ele, as pessoas jamais deveriam interferir nos destinos dos outros, nem sofrer devido a erros cometidos no passado. Cada um de nós deveria entrar em contato com o que foi predestinado para as nossas vidas e tentar alcançar os nossos sonhos.

Além disso, deveríamos ser mais compassivos e bondosos, amar aos demais incondicionalmente e ser mais humildes também. De acordo com Boriska, os lemurianos morreram porque não quiseram desenvolver sua espiritualidade, e porque saíram da trajetória que havia sido predestinada para esse povo, destruindo a integridade do planeta com isso. E como ele sabia de todas essas coisas? Porque elas estavam dentro dele.

***

O caso chamou bastante a atenção de especialistas e cientistas da Academia Russa de Ciências, assim como de pesquisadores de outras partes do mundo. Todos os que tiveram a oportunidade de conversar com o menino se disseram assombrados por seu conhecimento e vocabulário — e nunca negaram que as histórias de Boriska podiam ser fruto de sua imaginação. Entretanto, os pais do garoto garantiram que jamais ensinaram essas coisas todas ao filho, e o próprio Boriska disse que nunca teve aulas de astrofísica na escola. Verdade, mentira, maluquice ou muita imaginação… não importa! Os relatos desse russo-marciano são simplesmente fascinantes, você não acha?

índigoBoris Kipriyanovich, é hoje um jovem com 19/20 anos de idade, vem sendo notícia desde muito menino nos vários jornais, revistas e documentários da tv do mundo inteiro.
Ele é considerado uma das mais destacadas “indigo-children”, ou crianças azuis, uma nova geração de seres humanos dotados de faculdades especiais, com um alto grau de inteligência e surpreendentes conhecimentos sobre o Universo, os Extraterrestres, os Mundos habitados, o passado remoto da Terra, os Mistérios da Antiguidade, e o futuro do Planeta.
Boriska nasceu na Rússia em 11 de janeiro de 1996 e sua mãe, Nadezhda Kipriyanovich, descreve o trabalho de parto, dizendo que “Foi muito rápido, não senti nenhuma dor e quando me mostraram o bebê, ele me olhava fixamente com seus grandes olhos castanhos. Como médica, sei que não é habitual num recém-nascido esse olhar tão concentrado”…
Seus pais, confessam sua preocupação pelo filho, pois temem que Boriska tenha certas dificuldades de convívio social, além de sofrer previamente com a visão de acontecimentos que vislumbra fora do tempo e vêm sempre a contecer. Há anos atrás (em 1-Setembro-2004), durante a crise de Beslan (aquele ataque do exército russo à Escola onde estavam reféns adultos e crianças por parte de um comando de chechenos), ele recusou-se a sair de casa nesse dia e sabia que as coisas iam ter um final terrivel, como efectivamente aconteceu. Ou seja, morreram 186 crianças e centenas ficaram feridas.
Boris começou a falar aos quatro meses e com um ano e meio já lia os jornais.
Aos dois anos de idade, no jardim de infância, os professores perceberam que ele era diferente: aprendia tudo rapidamente e tinha uma memória extraordinária. Mais ainda, Boriska mostrava conhecimentos que não eram adquiridos na escola.
Aos três anos, Boris começou a conversar com seus pais sobre o Universo. Ele sabia nomear todos os planetas do Sistema Solar e seus respectivos satélites. Ele falava também nomes e números de Galáxias. Isso pareceu assustador e a mãe pensou que seu filho estava fantasiando; por isso, resolveu conferir se aqueles nomes realmente existiam. Consultou livros de Astronomia e ficou estupefacta ao constatar que Boris sabia mesmo o que dizia.
Ele afirma que já viveu em Marte noutra vida e diz que o planeta é habitado, embora tenha perdido uma vez a sua atmosfera num passado remoto, devido a uma grande catástrofe. Mais afirma que, hoje, os marcianos vivem em cidades subterrâneas. Daí o facto dos nossos cientistas dizerem que não há sinais de vida em Marte quando observam aquele planeta. De resto, segundo a tese da Terra Oca, de vários autores de renome, aqui também existem cidades subterrâneas nos reinos internos conhecidos há milhares de anos pelos Mestres Hindus e Lamas Tibetanos.
Voltando ao Boris, ele afirma também que costumava visitar a Terra pilotando uma nave espacial num tempo muito remoto quando a Terra era dominada pela civilização lemuriana cujo declínio, que ele próprio testemunhou, foi causado pela degradação espiritual da humanidade.
A mãe deu-lhe um dia um livro intitulado Whom We Are Originated From, (“De onde viemos” ou quais as nossas origens), de Ernest Muldashev, e ele ficou muito entusiasmado com as descrições dos lemurianos, as imagens dos templos tibetanos e passou muitas horas falando com os pais sobre a Lemúria como se já conhecesse aquele povo e sua cultura.
Mais tarde, a mãe dá-lhe um segundo livro do mesmo autor, intitulado In Search of the City of Gods (Em Busca da Cidade dos Deuses), e mais uma vez olhando as figuras ele comentava sobre as Pirâmides, os Santuários, e revelou que «As pessoas não vão encontar os conhecimentos antigos dentro da grande pirâmide de Quéops», mas sim numa outra que ainda não foi descoberta. E acrescentou: “A humanidade vai se surpreender e até mudar quando conseguirem abrir a Esfinge…”
Boriska também adverte sobre uma alteração dos pólos magnéticos da Terra que, em breve, causará duas grandes catástrofes: uma em 2009(FAIL?) e outra em 2013. Este é de resto o ano da ‘Operação Resgate’ que muito se fala ultimamente e tem a ver com uma Intervenção Extraterrestre para salvar a Humanidade, ou parte desta.
Boris diz, porém, sobre esses Acontecimentos, que muitas pessoas perecerão no meio de calamidades e fala sobre a morte dizendo: «Não tenho medo da morte porque nós vivemos eternamente…
Quando tinha poucos anos de idade, ele começou a falar às pessoas sobre os seus “pecados”. Um dia, na rua, abordou um rapaz e admoestou-o por usar drogas. Falava também com certos homens para parar de bater nas suas mulheres e prevenia pessoas sobre a iminência de problemas e doenças.
Enfim, penso que este jovem é um predestinado ou mais um dos que farão parte na Nova Era, sabendo o que vai acontecer aqui na Terra onde toda a Humanidade vai decerto passar por tempos de grande atribulação, necessários de resto para um Mundo Novo e uma Nova Civilização.

Leia mais: http://forum.antinovaordemmundial.com/Topico-boris-kipriyanovich-o-garoto-indigo-vindo-de-marte-conhe%C3%A7a-este-garoto-de-crystal#ixzz4EhhO1wFA

Anúncios

Uma ideia sobre “Boriska Kipriyanovich, o menino Russo que veio de Marte…

  1. clovis

    Tudo isto é muito maravilhoso mas o ser humano em sua cegueira e ignorancia jamais irá entender este ser cheio de luz e sabedoria para nos ensinar mas o que ele ganha? apenas palavras de desordem e indiferença, JESUS em sua peregrinação que o diga até o mataram, apesar de que ele veio para nos redimir ainda assim, não aprenderam, lamantavel!!!!

    Curtir

    Resposta

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s