Energia Kundalini…

Não há como dividir as duas forças que geram a vida. o ying e o yang. Obrigado por toda as energias da perfeição em que habitamos.Para compreender a Energia Kundalini, é preciso saber tudo sobre as energias Yin-Yang de tudo no Universo…

O universo todo se baseia na dualidade, nos pares de opostos. Temos, por exemplo, a mão direita e a esquerda, o homem e a mulher, o rico e o pobre, o alto e o baixo, o dia e a noite, o polo norte e o sul, e assim por diante. Esse fato está no próprio tecido do mundo e, portanto, é natural e inevitável. O que não é natural nem obrigatório é que esses polos se tornem inimigos, que tentem aniquilar-se mutuamente.

Por que o ser humano produz conflitos em vez de promover a harmonia entre os inúmeros pares de opostos, o próprio Yin/Yang do Cosmo?

Yin_and_YangPolaridade….

A polaridade pode ser definida como tendência a fazer, crescer, pensar ou sentir de uma certa maneira por causa de uma atração ou repulsão magnética.

A polaridade tem a ver com possuir ou mostrar uma de duas características ou forças contrarias.  Por viver na Terra e ter um corpo físico-emocional, somos constantemente afetados pelos campos de força magnéticos que envolvem e interpenetram nossos mundos tri e tetradimensionais.

O jogo entre as forças das trevas e da luz existe há milênios como uma forma de fortalecimento. No meu entender, ele acontece apenas na terceira e na quarta dimensões.   Contudo, se não entendermos como subir acima do jogo, seremos sempre vítimas das sugestões subliminares da mídia e das projeções de pensamentos limitantes e ameaçadores da consciência massificada.

ying yangSó podemos viver na consciência de Cristo ao escolher uma nova realidade e ao criar novos paradigmas baseados na igualdade entre a Lei do Uno (a Lei do Amor). Precisaremos monitorar nossos pensamentos e atos até sabermos que fizemos uma mudança permanente para a consciência de quinta dimensão.   Dito assim, parece uma responsabilidade assustadora, mas o autocontrole sempre nos induz a encontrar os desafios da vigilância.

Movimento yin e yang…

Este diagrama apresenta uma disposição simétrica do YIN sombrio e do YAN claro. A simetria, contudo não é estática. É uma simetria rotacional que sugere, de forma eloquente, um contínuo movimento cíclico. Os dois pontos do diagrama simbolizam a idéia de que toda vez que cada uma das forças atinge seu ponto extremo, manifesta dentro de si a semente do oposto.

Podemos citar como exemplos da polaridade de Yang e Yin na natureza:

O céu forma-se pela acumulação de Yang. A terra por acumulação de Yin;
Yin está sempre calmo. Yang sempre agitado;
Yang se transforma em energia. Yin para criar vida natural.
O sol e as estrelas são Yang. A lua e os planetas são Yin.

Tao: Yin e Yang…

Podemos apresentar alguns dos diversos aspectos antagônicos de Yang e Yin, (pois dentro de si tem a semente do oposto) conforme as obras de Mann, Oshawa, Beau e Worsley.

Yang – Yin
Sol    – Lua
Quente – Frio
Macho  – Fêmea
Ativo – Passivo
Duro – Mole
Número Ímpar – Número par
Primavera e verão – Outono e primavera
Luz – Escuridão
Leve – Pesado
Sistema Nervoso Simpático – Sistema Nervoso Parassimpático
Fogo – Água
Costas – Abdômen
Febril – Frio
Agudo – Crônico
Centrípeto – Centrífugo
Vermelho – Roxo
Salgado – Amargo

ying yang
ALGUNS PRINCÍPIOS E TEOREMAS SOBRE YIN E YANG…

  • Todas as coisas são diferentes manifestações da unidade infinita.
  • Nada é estático, tudo muda;
  • Todos os antagônicos são complementares;
  • Não há dois entes iguais;
  • Tudo que tem verso, tem reverso;
  • Tudo que tem começo, tem fim;
  • Quanto maior o verso, maior o reverso;
  • Yin e Yang surgem continuamente da pura expansão infinita;
  • Yin e Yang produzem energia;
  • Yin atrai Yang e vice-versa;
  • Yin repele Yin. Yang repele Yang;
  • A força de atração e repulsão entre as coisas é diretamente proporcional à diferença de seus componentes Yin e Yang;
  • Todo fenômeno é produzido por Yin e Yang em combinações, em variadas proporções;
  • Nada é exclusivamente Yin e Yang, tudo encerra polaridade;
  • No extremo, Yin produz Yang e Yang produz Yin.

Yang e yin são dois princípios antagônicos que se atraem e geram a energia concretizadora da matéria e de todos os seres vivos. Isso se compara à teoria da Grande Explosão, respaldada pelos cientistas para explicar a origem do Universo.

Yin e yang geram movimentos de contração e expansão, correspondendo às forças centrípeta e centrífuga, respectivamente. São a pulsação do Universo. Essa pulsação propaga a energia que, por sua vez, dispersa-se e condensa-se, criando e modificando a matéria.

Os filósofos taoístas japoneses nos mostram que o homem é constituído pela mesma energia primordial e regido pelo mesmo princípio que o Universo. Portanto, está sujeito às mesmas leis que regem a natureza. A física quântica expressa cientificamente essa verdade em um de seus princípios:

Cada parte contém o todo: um elétron é todos os elétrons; uma partícula é todas as partículas. Tanto uma cadeira quanto um ser humano, quando olhados de suficientemente perto, não são sólidos.

São, sim, uma fantástica interação de anéis de luz, vibrando e rodopiando no turbulento mar do espaço.

As fontes de energia que constituem o corpo humano são cinco:

  • Energia cósmica: vibrações verticais captadas pelos sentidos e pelos pontos de energia;
  • Energia ancestral: partícula hereditária transportada nos gametas que formam o ovo fecundado (informação genética);
  • Vibrações microcósmicas: ondas horizontais dentro dos indivíduos;
  • Respiração: energia (prana) captada da atmosfera pelas vias respiratórias;
  • Alimentação: energia solar concentrada nos alimentos mediante a clorofila e as bactérias do solo. 

Observe que o ser humano, para manter-se em equilíbrio, necessita, antes, estar em harmonia com suas fontes de energia. O conhecimento milenar da saúde nos mostra que podemos transmutar as energias da natureza em nosso corpo mesmo sem alimentos sólidos ou líquidos. Para conseguir a harmonização de fluxos energéticos, invisíveis aos olhos, é necessário saber usar o pensamento. Se o homem emite pensamentos de raiva, agressividade e ansiedade, age sob a força de yang, gerando excesso de energia no corpo, causando tipos específicos de doenças e até de um formato do corpo. Por outro lado, se o homem mantém pensamentos de tristeza, mágoa ou ressentimentos, então ficará sob a força de yin, gerando deficiência de energia no organismo, que por sua vez provoca doenças equivalentes.

O homem pode controlar todo o fluxo energético do corpo equilibrando os pensamentos, as palavras e as ações.

Quando a pessoa não consegue, por si mesma, encontrar o equilíbrio emocional, aconselha-se que procure terapias alternativas como massagem oriental, psicologia, dança bioenergética, acupuntura, shiatsu, moxabustão, tratamento com ventosas, reiki, musicoterapia, cromoterapia, aromaterapia etc. Deficiência de energia aqui significa não deixar a energia fluir. Obesidade e gordura localizada são resultado de energia não utilizada, ou energia que não flui. A preguiça nada mais é do que deficiência de energia, gerada por pensamentos indecisos, medrosos e controladores.

As técnicas orientais de tratamento pelo do-in (automassagem cujo nome significa “caminho de casa”), o shiatsu (massagem aplicada por terapeuta) e a acupuntura (tratamento com agulhas), além de detectarem as doenças bem antes de estas se manifestarem no corpo, também promovem a cura das já existentes.

Os especialistas nesses tratamentos utilizam métodos milenares para diagnosticar os desequilíbrios da energia vital do paciente, através do toque nos meridianos ou sentindo o calor da pele. Outro processo se dá pelo posicionamento da mão do terapeuta vinte centímetros acima da coluna vertebral do paciente, deslizando lentamente da cabeça ao cóccix sem tocar o corpo, ou apenas tocando seus pulsos. Essas técnicas profiláticas foram desenvolvidas pelos chineses há mais de cinco mil anos e têm como seu fundador o lendário imperador HuangTi, considerado o pai da acupuntura.

Muitas pessoas buscam curar-se através desses métodos.

Outras hesitam em fazê-lo, por medo ou descrença, mas o importante é saber que qualquer tratamento, seja pela medicina ocidental, seja pela medicina oriental, só servirá quando a pessoa tiver consciência de seu

poder e usar a mente para interagir com os tratamentos até assumir o comando pela sua saúde e não necessitar mais usar técnicas auxiliares.

Devemos evoluir através da mudança comportamental, procurando manter uma vida mais limpa no âmbito emocional. Toda ajuda é bem vinda quando se deseja crescer espiritualmente, e evoluir é desapegar-se para sentir o verdadeiro amor por tudo e por todos.

Enquanto as pessoas persistirem no erro de pensar sobre assuntos ruins, tristes e arrogantes, estarão sempre gerando doenças e infortúnios em suas vidas, perdendo precioso tempo buscando, inutilmente, soluções para seus problemas. 

ALGUNS PRINCÍPIOS E TEOREMAS SOBRE YIN E YANG

  • Todas as coisas são diferentes manifestações da unidade infinita.
  • Nada é estático, tudo muda;
  • Todos os antagônicos são complementares;
  • Não há dois entes iguais;
  • Tudo que tem verso, tem reverso;
  • Tudo que tem começo, tem fim;
  • Quanto maior o verso, maior o reverso;
  • Yin e Yang surgem continuamente da pura expansão infinita;
  • Yin e Yang produzem energia;
  • Yin atrai Yang e vice-versa;
  • Yin repele Yin. Yang repele Yang;
  • A força de atração e repulsão entre as coisas é diretamente proporcional à diferença de seus componentes Yin e Yang;
  • Todo fenômeno é produzido por Yin e Yang em combinações, em variadas proporções;
  • Nada é exclusivamente Yin e Yang, tudo encerra polaridade;
  • No extremo, Yin produz Yang e Yang produz Yin.

casal

O homem é yang, e a mulher, yin, por natureza!!!

Há um fluido etéreo que enche o espaço e penetra os corpos. Esse fluido é o éter ou matéria cósmica primitiva, geradora do mundo e dos seres. São-lhe inerentes as forças que presidiram às metamorfoses da matéria, as leis imutáveis e necessárias que regem o mundo.~Allan Kardec: A gênese, cap. 6, item 10.~
O fluido cósmico, entendido como sendo o princípio elementar do Universo, demonstra possuir propriedades «sui generis» assumindo […] dois estados distintos: o de eterização ou imponderabilidade, que se pode considerar o primitivo estado normal, e o de materialização ou de ponderabilidade, que é, de certa maneira, consecutivo àquele. O ponto intermédio é o da transformação do fluido em matéria tangível. Mas, ainda aí, não há transição brusca, porquanto podem considerar-se os nossos fluidos imponderáveis como termo médio entre os dois estados. Cada um desses dois estados dá lugar, naturalmente, a fenômenos especiais: ao segundo pertencem os do mundo visível e ao primeiro os do mundo invisível.

Existe um tipo de QI (ou Chi, energia vital) chamada de jing, que nada mais é do que a energia essencial, ou essência, de um indivíduo. Esta essência é como uma reserva de energia, combinando a energia ancestral (herdada dos pais) com a energia acumulada do ar e dos alimentos. É uma energia muito preciosa, que demora para ser fabricada. Uma pessoa sem jing, fica fraca, com baixa imunidade, sem vontade, falta de memória, pensamento lento, e baixa vitalidade em geral.

Para ambos, homens e mulheres, o jing é perdido quando há sangramentos, infecções com febre, e retirada de órgãos e partes do corpo.

Para as mulheres, o jing é perdido um pouco na menstruação, e muito na concepção de um filho. É por isso que mulheres sem jing ficam depressivas no pós-parto, e a maioria das mulheres saudáveis fica com uma aparência um pouco envelhecida depois que têm filhos. Mas com o tempo, essa essência volta ao normal, até o limite estabelecido pelo jing inato, herdado dos pais.

Para os homens, o jing é gasto no momento da ejaculação. É por isso que o homem não consegue ter muitas ejaculações seguidas, e logo em seguida, fica com sono e sem vontade para nada. Um homem que gasta muito seu jing dessa forma, acaba tendo problemas de memória, fica mais lento, menos inteligente, menos sagaz.

Em termos espirituais, uma pessoa sem jing é uma pessoa que está cada vez mais distante da energia superior. O segredo de todas as religiões é este: preservar o jing para ficar mais perto da divindade. É por isso que é um tema tão controverso nas religiões. O próprio propósito das religiões é este: religare, ou se religar, reconectar, com algo superior. E uma pessoa sem jing não consegue ter energia e saúde suficiente para se religar.

O HOMEM É UM TEMPLO ONDE ARDE O FOGO SAGRADO – Todo o ser humano é um pequeno universo onde ele é o rei e o senhor absoluto. Esse universo pode ser dignificado e elevado ao esplendor de um majestoso Sol, ou ser autodestruído num final inglório. As partes subjectivas e superiores das pessoas devem ser tratadas com todo o cuidado e carinho que as mesmas merecem. No entanto, por ignorar a sua própria constituição íntima, em vez de se comportar como um sábio rei e sacerdote no trato das coisas subjectivas que lhe dizem respeito, o Homem age como um tirano irresponsável, levando o seu mundo interno ao desastre total. Só a Iniciação é que nos dará as condições indispensáveis para levarmos a bom termo a missão que nos foi confiada pelo Eterno que, diga-se de passagem, está presente em nossa SupraConsciência. O Corpo do Homem é a Casa de Deus, e a nossa Consciência é o Supremo Sacerdote responsável pela manutenção da Casa do Senhor em perfeita ordem e harmonia. Todos nós estamos condenados a assim proceder, e ninguém poderá furtar-se de cumprir com seu divino dever, sob pena de ter que pagar muito caro por não oficiar bem o Sacro-Ofício.

Making Love – Embora existam muitas formas de “amor” do planeta, fazer amor sagrado (o sexo) entre duas pessoas pode elevar a sua vibração. Ao dirigir sua energia orgasmo para si mesmo ou seu parceiro em vez de permitir que ele seja roubado, você está reciclando a energia em vez de doá-la para forças invisíveis.

  • O momento que você sentir a energia sexual prestes a subir acima de sua espinha, tomar uma respiração muito profunda, enchendo seus pulmões cerca de 9/10 completa, em seguida, prenda a respiração.
  • Permita que a energia sexual do orgasmo para chegar a sua coluna. Mas no momento em que atinge o quinto chakra (localizado a apenas um par de dedo-larguras acima do esterno), com sua força de vontade você precisa ativar o fluxo de energia sexual 90 graus na parte de trás do corpo. Ele continuará então automaticamente dentro do tubo Ankh. Ele irá girar lentamente até que ele passa exatamente através do oitavo (ou décimo terceiro) chakra, um lado de comprimento acima da cabeça em 90 graus para a vertical. Ele continuará então a curva ao redor até que ele retorna para o quinto chakra, onde começou, só que desta vez na frente da body. Even se você não entender o que apenas foi dito, isso vai acontecer automaticamente se você começar com isso na parte de trás do corpo no quinto chakra, e ele virá automaticamente de volta para a frente do corpo e reconectar no quinto chakra. Você apenas tem que fazê-la girar 90 graus para que ele começa.
  • É, muitas vezes, abrandar à medida que se aproxima do ponto de origem, o quinto chakra. Se você pode ver a energia, se trata de uma ponta afiada. Quando se aproxima o quinto chakra a partir da frente do corpo, existe um tremendo sacudida por vezes, uma vez que volta a ligar a este chakra novamente. Tudo isso acontece enquanto você está segurando a sua primeira respiração.
  • No instante em que a energia sexual se reconecta com sua fonte, o quinto chakra, recolher a respiração completa. Você encheu seus pulmões apenas 9 / 10th completo, então agora você encher seus pulmões tão completamente quanto possível.
  • Agora expire muito, muito lentamente. A energia sexual continuará em torno do canal de Ankh, desde que você está expirando. Quando você chegar ao fundo deste respiração, você vai continuar a respirar profundamente, mas uma mudança acontece aqui.
  • É aqui que, se você sabe o trabalho Lightbody da Mer-Ka-Ba, você iria começar a respirar dos dois pólos que utilizam Mer-Ka-Ba respiração. Mas se você é como a maioria das pessoas e não sei este trabalho, em seguida, continuar a respirar profundamente até sentir o relaxamento começam a se espalhar por todo o corpo. Então, relaxe a respiração para o seu ritmo normal. Sinta-se todas as células tornando-se rejuvenescido por essa energia vital. Deixe essa energia descer aos mais profundos níveis físicos de sua estrutura corporal, mesmo passados a nível celular. Sinta como esta bela energia envolve o seu próprio ser e traz saúde para o seu corpo, mente e coração.
  • Uma vez que o relaxamento começa, retardar sua respiração para baixo a uma respiração superficial normal.
  • Se possível, permita-se relaxar completamente, ou mesmo dormir um pouco depois.

A Kundalini sempre foi o maior e mais bem guardado segredo de todos os tempos. Um privilégio apenas de uns poucos Iniciados nos mistérios maiores do ocultismo e do esoterismo. 
Na verdade a Kundalini é uma energia descomunal localizada no primeiro Chacra chamado Muladhara que significa ‘raiz suporte’ e está situado na base da espinha dorsal, mais exatamente entre o órgão genital e o ânus. Na época da Lemúria e da Atlântida, o homem era muito mais avançado e tinha os sentidos plenamente desenvolvidos. Com o passar do tempo, com a involução destas duas raças, está força extraordinária chamada Kundalini foi se comprimindo em um único ponto no primeiro Chacra. Deste o início dos tempos a Serpente, tem sido um símbolo sexual, e é justamente por isto que a Kundalini é representada por uma Serpente. Pois, a Kundalini está intimamente relacionada com a energia sexual.

kundalini 2Está energia extraordinária que tanto pode elevar o Ser aos planos superiores ou aprisioná-lo nos mundos infernos. Conforme a Kundalini vai subindo pelos Chacras, a glândula Pineal vai despertando de seu milenar adormecimento, e o homem vai recuperando os seus Sidhis, que são poderes extrassensoriais tais como a telepatia que é a comunicação de pensamentos, clarividência que é a visão do que acontece à distância, desdobramento astral que é a saída consciente dos corpos invisíveis para fora do corpo físico. O dom de curar com as mãos ou a ponta dos dedos, a levitação, invisibilidade etc. A Kundalini também desperta a ciências Jinas que é o extraordinário e maravilhoso ato de penetrar com o corpo físico em outras dimensões do Universo e desvendar os mistérios da vida e da morte.                                                    Os Chacras podem ser definidos como vórtices ou redemoinhos de energia situados nos pontos de conjunções entre o corpos físicos e os corpos invisíveis superiores.

Existem diversos Chacras que mantém nosso corpo físico em contato direto com nossos corpos superiores, mas entre os vários centros energéticos, os principais são sete, sendo que cinco, se estendem ao longo da coluna vertebral, um entre as sobrancelhas e o sétimo no centro do celebro.

A Kundalini é simbolizada por uma Serpente mordendo a própria cauda mostrando que está transcendental energia está comprimida como se fosse uma mola.
A liberação da Kundalini começa no primeiro Chacra e vai subindo de Chacra em Chacra, até atingir o sétimo. Quando isto acontece, a pessoa se transforma em um Iluminado e se liberta totalmente do Ego ou Eus psicológicos. Certamente que quando isto acontece, a pessoa também se liberta da Roda de Sansara, que são os ciclos de recorrência do Ego, não retornando mais a esta Terra, sendo elevado a planos superiores e celestiais onde somente existe a mais pura felicidade. Obviamente que isto não acontece ao acaso, e muito menos pela equivocada lei da evolução.


KUNDALINI: A ENERGIA SEXUAL…
Deste o início dos tempos a Serpente, tem sido um símbolo sexual, e é justamente por isto que a Kundalini é representada por uma Serpente. Pois, a Kundalini está intimamente relacionada com a energia sexual. Está energia extraordinária que tanto pode elevar o Ser aos planos superiores ou aprisioná-lo nos mundos infernos. Conforme a Kundalini vai subindo pelos Chacras, a glândula Pineal vai despertando de seu milenar adormecimento, e o homem vai recuperando os seus Sidhis, que são poderes extrasensoriais tais como a telepatia que é a comunicação de pensamentos, clarividência que é a visão do que acontece à distância, desdobramento astral que é a saída consciente dos corpos invisíveis para fora do corpo físico. O dom de curar com as mãos ou a ponta dos dedos, a levitação, invisibilidade etc. A Kundalini também desperta a ciências Jinas que é o extraordinário e maravilhoso ato de penetrar com o corpo físico em outras dimensões do Universo e desvendar os mistérios da vida e da morte.

Se você já leu alguma coisa relacionada a Kundalini, é normal você ter encontrado vários autores e inclusive até monges amantes e adoradores do Eu maior (Ego) ou do Eu superior (Ego) afirmando equivocadamente que despertar a Kundalini é perigoso e não se deve mexer com está energia. Pois estes materialistas tratam o Ego como se fosse deuses e jamais mostram o caminho da Auto Realização Íntima do Ser. Primeiro dizem maravilhas sobre a Kundalini, e depois falam que é perigosa; aí está os falsos ensinamentos que desgraçadamente abundam belo mundo.

A Kundalini é o Fogo Sagrado do Espírito Santo, tão desconhecido hoje em dia, é o Santo Graal dos primeiros cristãos ou a energia Chi ou Ki dos orientais. Os Egípcios da mesma forma que os Maias conheceram o Segredo da Serpente, Maha Kundalini dos hindus ou a Chave da Eterna Sabedoria Gnóstica. E é justamente por este choque tremendamente consciente que se tornaram civilizações gloriosas reconhecidas pelos deuses. Todas as pessoas possuem este extraordinário poder oculto, mas devido ao desrespeito as leis cósmicas ficamos impedidos de utilizá-lo. Somente seguindo os caminhos da Iniciação que estamos lhe revelando aos poucos, é possível despertar a Kundalini, e ser transferido para mundos inefáveis…

Os Egípcios da mesma forma que os Maias conheceram o Segredo da Serpente, Maha Kundalini dos hindus ou a Chave da Eterna Sabedoria Gnóstica. E é justamente por este choque tremendamente consciente que se tornaram civilizações gloriosas reconhecidas pelos deuses. Se você quiser despertar a Kundalini, faça o Curso de ANTROPOLOGIA GNÓSTICA onde descrevemos detalhadamente todos os 33 degraus para tornar-se um Homem Solar com os Sete Corpos totalmente Cristalizados através deste nosso poder descomunal que esta oculto em nosso primeiro chacra sexual Muladhara.

kundalini-process

“Kundalini é a energia que está adormecida na base da coluna até que ele seja ativado, como pela prática de Yoga, e canalizado para cima através dos chakras no processo da perfeição espiritual.”

Kundalini pode ser “despertado” ou “despertado” de seu “sono” na base de sua espinha por intensa meditação ou práticas de controle de respiração intensa.

Hatha Yoga e Tantra Yoga, em suas formas tradicionais, são projetados para despertar a kundalini para que o praticante pode usar a tremenda energia assim libertada para aumentar a potência de sua meditação e outras práticas espirituais.

Kundalini-iluminista Então, qual é a iluminação? É a iluminação do coração e da mente a novas informações e à compreensão. É o conhecimento dos fatos e das verdades que nos dão nova perspectiva e nos permitem avançar como indivíduos ou como uma espécie.

Kundalini – Dimensão ontológica da sexualidade…

Kundalini, a cobra cósmica, é o símbolo da energia cósmica que se revela também no sexo. É o primeiro chakra, o da sexualidade genital. Freud deteve-se principalmente nessa dimensão. Por isso, toda a sua psicologia, por mais genial que seja, já que ele é um pai fundador desse campo de conhecimento, é bastante limitada, demasiado falocêntrica e muito patricêntrica.

Jung se contrapunha a Freud, argumentando que a primeira experiência da criança não é com o pai, mas com a mãe. Somos mais matricentrados do que patricentrados, porque ligados umbilicalmente à mãe desde o momento da concepção; o pai entra numa fase posterior. Freud abominava a mãe, transava pessimamente a sexualidade e deixou de ter relação sexual com quarenta e poucos anos. Jung não tinha esse problema, por isso elaborou outro tipo de psicologia. No meu modo de ver, ele apresenta um espectro mais amplo. No entanto, como a nossa cultura é genitalmente centrada e há mesmo um desvio quase coletivo nesse aspecto, Freud é objetivo e bom para corrigir e curar. Mas se vou para um oriental, um africano ou um indígena que não tem esses problemas e levo Freud, estraga-lhe a mente.

      Não há contradição entre a Kundalini como energia cósmica e a teoria de Freud sobre sexo. Só que ele se restringiu a uma fase da Kundalini, a fase genital. Os místicos do ioga, que trabalham muito os chakras, dizem: uma verdadeira experiência de amor tem a sua dimensão genital, mas, se ela se restringir a essa dimensão, é extremamente encurtada. Ela deve passar por todos os sete chakras, até chegar ao sentimento interior, a experiência da infinitude, da iluminação, que capta a dimensão cósmica do amor. Quem faz a ativação desses sete chakras tem uma experiência da totalidade da libido humana.

Nossa cultura não faz uma experiência da sexualidade como dimensão ontológica que atravessa todo nosso ser. Faz uma experiência genital, de alívio de uma tensão, nada mais. Não faz da sexualidade uma experiência mística da totalidade do ser humano enquanto homem, enquanto mulher, que têm a dimensão da subjetividade, do pensamento, da intimidade, da transcendência e da experiência mística. Todos os místicos celebram o encontro com Deus como imenso banquete ou como acasalamento de amor. Desde o Cântico dos cânticos a são João da Cruz e santa Teresa. São Boaventura fala até de orgasmo. Porque eles de fato experimentaram isso ao tocarem Deus. A experiência de amor, que se realiza nas pessoas, dá a chance a todo mundo. A natureza não nega a ninguém fazer uma experiência de transcendência, de encontro com Deus, a experiência da intimidade, do amor como experiência cósmica e mística. Todo mundo faz esse percurso e também os celibatários. Jung dizia que se eles não geram pessoas, têm um parto cósmico, se autogeram. Por isso o voto de castidade, se bem entendido, não é um voto de desamor. É de superabundância de amor. Portanto, é um desafio viver de uma outra maneira a sexualidade, nessa dimensão que vai para além da genitalidade.

Kundalini, ou o “poder ígneo”, é a grande força magnética, o princípio universal de vida que existe latente em toda matéria. Também chamada “fogo serpentino”, é a vida que flui através dos centros vitais ou chakras.
Princípio ativo que tanto pode criar como destruir, seu despertar para uma atividade voluntária visa coordenar as diversas manifestações vitais num todo harmonioso.

O que é a Kundalini? A palavra sânscrita tem sido traduzida de várias maneiras, em geral por aqueles que não têm uma concepção real, seja ela qual for, da função que é a sua marca. Supõe-se que a raiz da palavra seja o verbo kund, que significa “queimar”. Este é o significado essencial, pois a kundalini é Fogo em seu sentido de abrasamento. Contudo, temos uma explicação adicional para a palavra no substantivo kunda, que significa orifício ou cavidade. Isso nos dá uma idéia do recipiente onde o Fogo arde. Mas há muito mais do que isso. Há também o substantivo kundala, que significa bobina espiral, anel. Temos aqui um noção do modo pelo qual o Fogo atua e se desenvolve. A palavra kundalini se originou de todos esses derivados, que atribuem uma feminilidade criativa ao Fogo, o Fogo Serpentino, como algumas vezes é chamado, o poder criativo feminino que está adormecido dentro de uma cavidade, dentro de um útero, despertando para o movimento rítmico da impetuosa subida e para a emissão de torrentes de Fogo. Ela é uma palavra que significa o aspecto feminino da força criativa da evolução, força esta que jaz adormecida, em sua potencialidade específica e muito particular, como que em posição fetal em um útero, na base da espinha dorsal humana.

O começo do despertar: Espera-se que o resultado seja um sutil despertar de uma consciência mais ampla, uma vaga sombra do espírito da consciência Cósmica. Desse modo, uma fragrância do que pode ser chamado de ozônio espiritual, se elevará no ar. Exultante, o discípulo estabelece contato do seu eu inferior com o seu Eu superior de maneira muito mais ampla do que já tenha feito antes dentro dos limites da sua atual encarnação. Ele alcança uma desobrigação, uma liberdade. Ele converte-se em um pássaro que finalmente começa a descobrir como usar as asas, batendo-as alvoroçadamente, embora ainda incapaz de levantar vôo. Neste afã de voar, ele começa a distinguir o real do irreal, o verdadeiro do falso, o útil do inútil, o belo do feio. Embora ele permaneça geralmente incapaz de fazer uso do discernimento assim despertado, ao menos conhece, experimenta e, mais cedo ou mais tarde, o conhecimento-experiência transforma-se numa atividade equilibrada. Quando isso começa a ocorrer, é chegada a hora de aparecerem os primeiros passos da kundalini, que finalmente, libertará para sempre no indivíduo o Fogo da vida e colocará sobre sua cabeça a Coroa de Flores do Reino eterno.

Os chakras servem de centros para a manifestação de várias emoções humanas, como o amor, o medo, a raiva e a alegria. Os chakras têm sido descritos como centros nervosos que governam os vários órgãos, ou como rodas giratórias, ou como vórtices que servem para ligar o corpo físico aos corpos etérico, astral, mental ou casual.

Os chakras também funcionam num contexto prático. Diz-se que o que experimentamos na vida depende, até certo ponto, do chakra com o qual estamos sintonizados, pois cada chakra é energizado por atributos emocionais, mentais, psíquicos e espirituais.

Os chakras podem ser encarados como centros de energia e, o que é muito mais, também podem representar acesso a outros mundos, a outras dimensões. O Tantrismo ( são nove chakras, sendo 2 não tão importantes ) descreve os chakras com flores de lótus e domínios habitados por Deuses e Deusas. Os quatro elementos – Terra, Água, Fogo e Ar – e os sons, os cheiros e as visões básicas estão associadas aos chakras, como os Cinco Sentidos.

Chakras_et_kundaliniEis aqui, portanto, os chakras do modo como são descritos nos textos do Tantrismo…

1- O CHAKRA MULADHARA: O mais baixo na hierarquia dos sete chacras maiores e dos dois menores, localiza-se na base da espinha, na região perineal. Nesse chacra a força da serpente, a Devi Kundalini, jaz adormecida. A Devi tem o brilho do raio e sua cauda esta enrolada três vezes e meio em torno de uma língua ( símbolo de Shiva ) de ouro derretido. O chacra Muladhara, com quatro pétalas de lótus, é presidido pela Devi Dakini, de quatro braços e olhos vermelhos brilhantes, ” portadora da revelação da inteligência sempre pura, e pelo Deva Brahma, senhor do mundo físico. Esse chacra pode ser chamado de chacra da experiência física. Está associado à terra e ao sentido do olfato. OBS.: DEVI = Deusa / DEVA= Deus

2 – O CHAKRA SVADHISTHANA: Possuindo seis pétalas rubras de lótus, localiza-se debaixo do umbigo e na área acima dos órgãos genitais. É presidido pela Devi Rakini azul, colorida de lótus e de aspecto furioso, que carrega armas no braços erguidos, e pelo luminoso Deva Vishunu azul, que também tem quatro braços e é a energia do universo vital que tudo impregna. Como o chakra Muladhara, este se acha intimamente aliado a terra. Associa-se à água e ao sentido do paladar.

3 – O CHAKRA MANIPURA: Tem dez pétalas de lótus da cor das nuvens de chuva pesada e localiza-se no plexo solar. É presidido pela Devi Lakini, de três faces, quatro braços e portadora do fogo, e por seu consorte o Deva Rudra, de cor vermelha, que possui também quatro braços, carrega o fogo e representa o mundo da mente. Embora Lakini coma carne e tenha atributos mais densos que os de uma vegetariana, este chakra é menos orientado para a terra do que os chakras Muladhara e Svadhisthana, e pode ser considerado mais como centro emocional. O chakra Manipura associa-se com o fogo e com o sentido da visão.

4 – O CHAKRA ANAHATA: Este chakra, com doze pétalas vermelhas de lótus, localiza-se na região do coração. É presidido pela Devi Dakini, que possui três olhos, é feliz e benfazeja a todo mundo. O presidente Deva Isha é também senhor dos três primeiros chakras; compassivo, representa a revelação dos mistérios do tempo e do espaço. O chakra Anahata pode ser considerado um centro de consciência, e que é aqui que se pode ouvir o som que vem sem o embate de duas coisas uma na outra.

  •  O CHAKRA ANANDA – KANDA : Um dos dois chakras menores. Pequeno, localiza-se logo abaixo do chakra do coração (Anahata) e, muitas vezes, nem é citado. Apesar disso, existe e tem oito pétalas de lótus rosa – carmesim. Diz-se que esse chakra concede, às vezes, a satisfação de desejos antes mesmo que os formule a mente.

5 – O CHAKRA VISSUDHA: Com dezesseis pétalas roxas e enfumaçadas de lótus, localiza-se na região da garganta. É presidido pela Devi Shakini e pelo Deva Sada-Shiva, cada um dos quais possui cinco rostos, três olhos e múltiplos braços. Enquanto Shakini se mostra vestida de um branco brilhante, e tem a forma da própria luz, Sada-Shiva é um andrógino, de corpo metade branco, representando Shiva, e metade ouro, representando Skakti. O chakra Vissudha, está ligado à purificação da inteligência e associa-se ao éter e ao sentido da audição.

  • O CHAKRA LALANA : Este é outro chakra menor. Tem doze pétalas vermelhas de lótus e localiza-se acima do chakra da garganta ( Vissudha ), na raiz do céu da boca. Associa-se à fé, ao contentamento, à sensação de erro, ao domínio de si próprio, à raiva, à afeição, à pureza, ao alheamento, à agitação e ao apetite.

6 – O CHAKRA AJNA: Este chacra tem duas pétalas brancas de lótus e localiza-se entre as sobrancelhas. Trata-se de um chakra muito pequeno e suas duas pétalas mal preenchem o espaço entre as sobrancelhas. É às vezes, encarado como o terceiro olho místico – o olho interior ou mental. O chakra Ajna é presidido pela Devi Hakini e seu consorte, o Deva Paramashiva, ambos os quais ingressaram num estado de alegria produzido por tragos de ambrosia. Essas divindades possuem seis rostos, três olhos, braços múltiplos e brilham como o relâmpago. O chakra Ajna associa-se à mente e às faculdades mentais.

7 – O CHAKRA SAHASRARA: A este dá-se o nome de Lótus das mil pétalas; em suas pétalas, todas as cores se combinam, e ele abrange todos os sons. Localiza-se na coroa da cabeça. Poder-se-ia dizer que é presidido por Brahma, pois aqui se encontram a Kundalini – Shakti, de modo que ele volta a unir-se a Brahma. O brilho das mil pétalas do lótus é a expressão da iluminação. O chakra Sahasrara, portanto, sinônimo de samadhi, é onde ocorre a explosão na consciência cósmica.

Como já vimos, Kundalini ou o Fogo Serpentino é uma das forças emanantes do Sol, inteiramente independente e distinta de Fohat e de prâna, e que, no estado atual dos nossos conhecimentos, acreditamos incapaz de ser convertido em qualquer dessas duas energias.

Kundalini recebeu nomes diversos: o Fogo Serpentino, o Poder ígneo, a Mãe do Mundo.

Aparece ao clarividente, literalmente, como uma torrente de fogo líquido, percorrendo o corpo. Seu trajeto normal é uma espiral, semelhante às curvas de uma serpente; “Mãe do Mundo” é nome bastante apropriado, porque é por ela que podem ser vivificados nossos diversos veículos.

Pode-se ver um antigo símbolo da coluna vertebral e de Kundalini, no tirso, bastão com uma ponta cuniforme na extremidade. Na índia encontramos o mesmo símbolo: o bastão é aí substituído por um bambu, com sete nós, que naturalmente representam os sete chakras ou centros de força.

Em certos mistérios, em lugar do tirso se empregava um tubo de ferro que se supunha conter fogo.

A insígnia dos barbeiros, símbolo certamente muito antigo, com suas faixas em espiral e a protuberância terminal, tem a mesma significação, segundo dizem, pois o barbeiro moderno é o sucessor dos antigos cirurgiões, que praticavam também a alquimia, ciência ou trora mais espiritual do que material.

Kundalini existe em todos os planos que conhecemos e parece apresentar igualmente sete camadas ou graus de potência.

O corpo astral era, na origem, uma espécie de massa quase inerte, sem a mais vaga consciência, sem nenhuma capacidade definida de ação e sem conhecimento preciso do mundo ambiente. Sobreveio depois o despertar de Kundalini no plano astral, no chakra correspondente as da base da espinha dorsal. Esta força se encaminhou então para o segundo centro, o umbigo e o vitalizou, acordando, assim, no corpo astral, a faculdade de sentir, de ser impressionado por todas as espécies de influências, porém sem lhe dar ainda a compreensão precisa.

Kundalini passa daí ao terceiro centro (esplênico), ao quarto (cardíaco), ao quinto (garganta), ao sexto (entre os supercílios) e ao sétimo (no alto da cabeça), despertando em cada um as diferentes faculdades descritas nos capítulos precedentes.

O mecanismo que nos dá a consciência do que se passa no astral é interessante e merece ser bem compreendido pelos estudantes. No corpo físico, possuímos órgãos especiais, localizados, cada um, em região fixa e particular: órgãos da vista, do ouvido, etc. Mas no corpo astral reina uma disposição completamente diferente, pois não há  necessidade de órgãos especializados para conseguir os resultados desejados.

A matéria do corpo astral está em constante movimento; as partículas deslizam e turbilhonam como as da água fervendo, e passam todas, sucessivamente, pelos centros de força. Por conseguinte, cada um! destes centros confere, às partículas do corpo astral, a faculdade de responder a determinada categoria .de vibrações, correspondentes ao que no mundo físico chamamos vibrações da luz, do som, do calor, etc.

Quando, pois, os centros astrais são vivificados e se põem a funcionar, conferem as diversas faculdades à matéria toda do corpo astral, de tal forma que este se torna capaz de exercer seus atributos em qualquer região. É por isto que o homem, aluando em seu corpo astral, pode ver tanto os objetos colocados à sua frente, como atrás, em cima e embaixo, sem precisar voltar a cabeça. Não se pode, pois, definir os chakras ou centros como órgãos sensórios, no -sentido vulgar do termo, embora proporcionem ao corpo astral faculdades sensoriais.

Entretanto, mesmo quando estes centros astrais estão plenamente despertos, não resulta, de maneira alguma, que o homem possa transmitir ao corpo físico a menor consciência da ação dos mesmos.

Na realidade, em sua consciência física ele pode muito bem ignorar por completo essa ação.

O único modo de transmitir ao cérebro físico a consciência das experiências astrais se dá pelo prévio despertar e ativamento dos centros etéricos correspondentes.

O método dê despertá-los é exatamente o mesmo adotado no corpo astral, isto é, pelo despertar de Kundalini, que dorme na matéria etérica, no chacra situado próximo da base da espinha dorsal.

kundunlineO despertar de Kundalini resulta do ativamento do centro na base da espinha, mediante um esforço prolongado e persistente da vontade. Desperto Kundalini, sua força tremenda vivifica sucessivamente os demais centros.

O efeito produzido sobre estes centros é o de conferir à consciência física as faculdades despertas pelo desenvolvimento dos centros astrais correspondentes.

Mas, para obter estes resultados, é necessário que o fogo serpentino passe de chacra em chakra, em certa ordem e maneira variáveis segundo os tipos humanos.

Os ocultistas, que conhecem os fatos por experiência própria, são extremamente cuidadosos em não dar a indicação quanto à ordem em que o fogo serpentino deve passar através dos chakras.

A razão disto é que há muitos e sérios perigos, cuja gravidade não deve ser ocultada, para aqueles que despertam Kundalini, acidental ou prematuramente. Fazem-se as mais/solenes advertências a quem cogite em fazer qualquer tentativa deste gênero, antes do momento azado ou sem a direção de um Mestre ou um ocultista experimentado.

Antes do despertar de Kundalini, é absolutamente essencial que o homem tenha atingido certo grau de pureza moral e também sua vontade seja suficientemente forte para dominar esta força. Alguns dos perigos relacionados com o fogo serpentino são puramente físicos. Seu movimento descontrolado produz freqüentemente intensas dores físicas e pode até facilmente romper tecidos e destruir a vida física. Pode igualmente prejudicar os veículos superiores ao físico.

Um dos efeitos muito freqüentes de seu despertar prematuro, é dirigir-se ele para as regiões inferiores, em lugar de se elevar para as partes superiores do corpo; excita, desta forma, paixões menos desejáveis, estimula-as e intensifica-as a tal ponto que o homem não lhes pode resistir. Nas garras dessa força, ele é tão impotente, quanto o nadador nas mandíbulas de um tubarão.

Esses homens se tornam sátiros, monstros de depravação, porque estão a mercê de uma força de todo desproporcional à capacidade da resistência humana. É provável que alcancem certos poderes supranormais, mas estes só servirão para pô-los em contato com seres subumanos, com os quais não deve a humanidade manter intercâmbio. E para safar-se desta sujeição, poderá ser necessário mais de uma encarnação.

Há uma escola de magia negra que, com este propósito, se utiliza de Kundalini, porém os adeptos da Boa Lei, ou Magia Branca, jamais fazem uso dos centros de força inferiores empregados por esta escola.

Além disto, o desenvolvimento prematuro de Kundalini intensifica tudo na natureza humana e afeta mais prontamente as qualidades más do que as boas. No corpo mental, por exemplo, desperta facilmente a ambição e esta logo cresce excessivamente; e o grande aumento da inteligência é acompanhado de orgulho anormal e satânico.

Kundalini não é uma força comum, mas algo de irresistível. O ignorante que, por infelicidade, a despertar, deve imediatamente consultar uma pessoa competente. Segundo os dizeres do Hathayogapradipika, “Ela conduz os iogues à libertação e os tolos à escravidão”.

chkras e kundaliniAlgumas vezes o fogo serpentino se desperta espontaneamente; sente-se então um calor morno, e em casos raros, pode começar a movimentar-se por si.

Neste último caso, apareceriam provavelmente dores intensas, pois os canais não estão preparados para a passagem do fogo serpentino, e este tem que abrir caminho queimando grande massa de detritos etéricos, processo este necessariamente doloroso.

Em tais casos, a força fluirá usualmente de baixo para cima, pelo interior da coluna vertebral, em lugar de seguir o curso em espiral, que o ocultista aprende a fazê-lo seguir. É preciso, se possível, deter, por um esforço de vontade, esta marcha ascendente; porém se não se conseguir isto, o que é provável, a corrente sairá sem dúvida pela cabeça e se perderá na atmosfera, sem qualquer outro dano senão um enfraquecimento. Talvez possa também causar perda momentânea da consciência. Entretanto, os perigos realmente graves provêm, não do fluxo ascendente, mas do descendente.

Como já expusemos brevemente, a principal função de Kundalini no desenvolvimento oculto é percorrer e vivificar os chakras etéricos, afim de comunicar à consciência física experiências astrais. Assim “A Voz do Silêncio” de H. P. Blavatsky, disponível na Biblioteca Luz, ensina que semelhante vitalização do centro colocado entre os supercílios permite ouvir a voz do Mestre, isto é, do EGO ou EU superior. A razão disto é que o corpo pituitário (ou hipófise), em plena atividade, constitui uma ligação perfeita entre as consciências astral e física.

Em cada encarnação é preciso renovar o domínio de Kundalini, pois em cada vida os veículos são novos, porém quem já o conseguiu -completamente uma vez, a repetição lhe será mais fácil.

A formação do elo entre a consciência física e a do EGO tem também suas correspondências nos níveis superiores. No EGO corresponde à sua ligação com a consciência da Mônada, e na Mônada, com a consciência do Logos.

A idade não parece afetar o desenvolvimento dos chakras por meio de Kundalini, mas a saúde é uma necessidade, pois só um corpo vigoroso pode suportar a tensão.

tantra1O conceito do Tantra tem sido erroneamente relacionada a sexo e libertinagem….

Isto tem acontecido por causa dos valores sexistas, hipócritas e distorcidos da nossa sociedade em relação à sexualidade. A civilização judaico-cristã é obsessionada com o sexo e incapaz de toma-lo como algo espontâneo ou natural. Uma prova clara disso é a invasão de imagens com forte apelo sexual nas capas das revistas, seja para vender produtos de beleza, seja para vender carros ou o que for. Outra prova é o fato que alguns autodenominados ‘mestres’ de ‘Tantra’, ‘Yoga sexual’ ou assemelhados fazem sucesso prometendo orgasmos infindáveis e iluminação e cobrando mundos e fundos por isso.

Tantra é o nome de um vasto leque de ensinamentos práticos que têm como objetivo expandir a consciência e libertar a energia primal do ser humano, chamada Kundalini. O princípio comum a todos os caminhos práticos do Tantra é que as experiências do mundo material podem usar-se como alavanca para conquistar a iluminação, já que o esta é a manifestação de uma outra realidade, sutil e superior, que está conectada com a nossa própria natureza.
Neste contexto, a visão do Tantra associada ao êxtase sexual é pateticamente superficial e parcial, se comparada com a verdadeira tradição. O Tantra não é algo hedonista nem orgiástico. O objetivo do Tantra é o Despertar da força potencial, e isso não é uma tarefa fácil nem que se possa conquistar dando prazer aos sentidos ou alimentando a sexo-dependência.

Não creio que alguns conceitos tenham sido uma distorção temporal, mas sim cultural, que aconteceu aqui no Ocidente quando esses ensinamentos sagrados mudaram de contexto, embora hoje em dia haja distorção destes ensinamentos também na Índia. Ao tirar esse tipo de prática do seu contexto original para adaptá-la ao gosto ocidental, se corre o perigo de reduzir a busca da própria essência a um artigo de consumo, um “produto”. Surgem assim adaptações, versões diluídas, para tornar o produto mais palatável e, consequentemente, mais vendável.

O Tantra é herança e patrimônio da cultura dos rios Indo e Saraswatí, no norte do subcontinente indiano, onde nasceram igualmente o Yoga e o hinduísmo. O culto da Grande Mãe está presente na Índia desde o neolítico (8000 a.C.), mas os mesmos símbolos que o tantrismo utiliza hoje remontam ao paleolítico (20000 a.C.) e estiveram sempre presentes ao longo do continente eurasiano.

O Yoga tântrico assimilou e organizou os rituais da Deusa Mãe, transformando-os num método de emancipação que busca na psique humana a manifestação da própria força da Shaktí.

tantra iogaEste movimento teve uma forte influência sobre a religião, a ética, a arte e a literatura indianas, havendo ressurgido com inusitada força entre 400 e 600 d.C., quando chegou a transformar-se numa moda que acabou por influenciar nos modos de pensar e agir da sociedade indiana medieval. Aqui ela se afirma, populariza e estende ainda mais, dando origem a um grande número de correntes e manifestações filosóficas, religiosas, mágicas e artísticas, algumas antagônicas.

Não sei exatamente o que as pessoas pensam ou entendem por Tantra, fico me perguntando como poderia ajudá-las a encontrar o que buscam, ou a evitar as armadilhas em que se arriscam a cair.
Para começar, vamos dizer o que o Tantra não é!

Tantra não é um gurume que trefe prometendo orgasmos múltiplos e iluminação e cobrando mundos e fundos por isso. Tantra não é uma prostituta com nome de deusa oferecendo seus serviços na internet. Tantra não é um grupo de alienados carentes se excitando e alisando em nome da hiper consciência. Tantra não é sacanagem, nem infidelidade institucionalizada. Tantra não tem nada a ver com “soltar a franga”. Tantra não é tara de espécie alguma!

Aquilo que os clones tupiniquins de Osho chamam de Tantra, não é o Tantra (por favor, veja o esclarecimento no fim deste texto, antes de se ofender e interromper a leitura. Obrigado!).

*Importante saber que aqueles que oferecem cursos de Tantra associados à sensualidade, técnicas sexuais e promessas de iluminação através da excitação sexual têm como objetivo sustentar a forma de vida de certos autodenominados ‘mestres’, que buscam satisfazer seus próprios desvios sexuais e desejos de manipular pessoas, e ganharem seu dinheirinho de quebra, em cima da ignorância do assunto sério que é o verdadeiro tantra.

Então, o que significa essa palavrinha de seis letras, Tantra?

É o nome de um vasto leque de ensinamentos práticos que têm como objetivo expandir a consciência e libertar a energia primal do ser humano, chamada Kundalini.

É o princípio comum a todos os caminhos práticos de Tantra é que as experiências do mundo material podem usar-se como alavanca para conquistar a iluminação, já que este é a manifestação de uma outra realidade, sutil e superior, que está conectada com a nossa própria natureza.

Nesse contexto, a visão do Tantra associada ao êxtase sexual é pateticamente superficial e parcial, se comparada com a verdadeira tradição. O Tantra não é hedonista nem orgiástico. O objetivo do Tantra é o despertar da força potencial em cada um de nós e que ao ser praticado na união pura e imaculada do Amor absoluto e união entre o Ying e Yang, Feminino e Masculino, Negativo e Positivo, que equilibram, alinham e ancoram os seus chacras, o chacras do planeta e universo paralelamente, gerando uma potente cadeia e vórtice de energia Kundalini, que ancora e alinha a força magnética do planeta e o centro de nossa galáxia. Exercer a união com o tantra é fundamental para a saúde e harmonia da existência humana e da vida no planeta. Estas forças estando desalinhadas tem efeito desolador e destrutivo para todos. Não é acaso o valor e importância da união dos opostos.

A cosmogonia se caracteriza pela união dos opostos: isto é, se trata de uma coincidência opositorum, conjunção dos opostos que se complementam. Essa idéia não é original do Tantra: existiu em outras cosmovisões ao longo da história da Humanidade; mas o tantrismo recupera para si esse princípio, muito mais antigo que ele próprio.

O tantra permite uma união e prática sexual sagrada entre o casal, polo masculino e o polo feminino… A humanidade só poderá o caminho da iluminação quando aprenderem a dominar e usar o poder da energia Kundalini com amor e sabedoria.

EQUILÍBRIO ENTRE O MASCULINO E O FEMININO…

Os princípios do masculino e feminino estão presentes em tudo e se manifestam em todos os planos no Universo…Estes dois princípios estão vinculados com a necessidade de equilibrar os 4 corpos e estabelecer uma relação apropriada com a nossa essência interior em firmeza e amor. Trata-se de aspectos essenciais, da própria engrenagem espiritual e energético de forças imensuráveis que movem o Todo.

TUDO NO UNIVERSO É ENERGIA… A ciência comprova, O Universo em que vivemos é constituído e movido inteiramente de Energia.

Nos seres humanos devemos ter a consciência de que não somos seres matérias, e a postura mais correta que devemos ter para a harmonia e o Caminho do equilíbrio é vivermos o que realmente somos energia e o estado imaterial. Ter Postura realmente significa firmeza, estabilidade, imperturbabilidade, assumir a posição real da nossa característica do Ser, ser o que é como yin e yang. Essa é a postura. Encontrar o verdadeiro estado Ser, é estabilizar a polaridade da força que temos e permanecer n’Ele, e não dê importância a posturas, porque o que somos transcende o material. O cosmos inteiros está ligado a um pontinho de luz em cada coração. No coração podemos encontrar nosso laço indestrutível com o universo cósmico. E, uma vez que sentimos nele esse universo como presença viva, nossa consciência se eleva muito acima do egoísmo. Advém-nos uma satisfação interna que é completa em si mesma e que nada tem a ver com as circunstâncias externas da vida, mas na divindade que habita no ser. Quanto mais interiorizamos a atenção, mais nos deixamos atrair e guiar por essa imensa e misteriosa presença espiritual que reside no coração.

TANTRA, KUNDALINI E ENERGIAS…

TAN pode ser traduzido como expansão, e TRA como instrumento ou proteção. É uma filosofia centrada na liberdade, que promove a expansão de consciência e a integração como o Universo.

A elevação da Kundalini através dos chakras é um processo de tomada de consciência.

A chegada da Kundalini e sua instalação permanente em um chacra representa uma ascensão espiritual, precedida por uma elevação de consciência. Nesta ocasião aquele chacra passa a ter suas energias liberadas e atuar com intensidade, tanto na absorção quanto na emissão. Ele passa a ser comandado segundo a nossa vontade. Adquirimos o domínio das faculdades representadas por aquele chacra e seu respectivo corpo sutil. Nosso ser passa a vibrar naquela frequência.

Algumas pessoas possuem visão espiritual, que é uma característica do 3º olho, ou chacra frontal. O fato de esta visão espiritual estar aberta não significa que aquela pessoa chegou ao nível do chacra frontal. Ela apenas adquiriu uma das suas características, mas certamente não possui o domínio completo da visão espiritual e das outras características do chacra, como também não estará vibrando naquela frequência.

Tudo que ocorre no mundo real é precedido pelo seu equivalente nos planos mais sutis. A criação se manifesta de baixo para cima. Primeiro são criadas as realidades em forma de energia. Para depois elas se materializarem fisicamente.
O fato de um chacra não estar aberto não significa que ele não receba energia. Ele continua tendo suas funções energéticas e atuando na ordenação e equilíbrio de nossos corpos. Ele sempre recebe energia dos chacras inferiores.

A energia do chacra básico irá ascender e banhar todos os chacras superiores, ativando-os para que cumpram suas funcionalidades. No momento que o segundo chacra estiver aberto, sua energia passará a banhar os chacras superiores com uma frequência mais sutil, conferindo-lhes uma qualidade superior em todas as suas funcionalidades, e assim sucessivamente.
Quando o chacra está fechado, ele simplesmente recebe a energia do chacra inferior e a repassa ao seu superior.
Quando o chacra está aberto, ele recebe a energia do chacra inferior e a transmuta de acordo com as suas qualidades, elevando sua frequência, e a repassando uma energia melhor.
Abaixo do chacra básico, raiz ou Muladhara há o chacra animal, que nos confere o magmaísmo terrestre e nos dá vida. Este chacra está aberto desde o nosso nascimento e inunda os nossos corpos com a energia terrestre.
Os chacras mais inferiores recebem um volume de energia maior, de frequência mais baixa. À medida que a frequência vai se elevando, o volume de energia diminui, ela aumenta sua qualidade e diminui em quantidade. Podemos imaginar um cone com a ponta menor voltada para cima onde o volume de energia vai diminuindo gradativamente.
Então, se produzirmos um grande volume de energia em um chacra inferior, esta energia não conseguirá ascender, pois o chacra superior funciona como um filtro ou funil, impedindo a passagem de uma quantidade maior de energia. Esta energia extra será gasta por reações do corpo físico, como calor ou tremor.
Uma manipulação adequada do chacra que está barrando a energia poderá ativá-lo temporariamente fazendo com que ele transmute a energia e a transmita ao chacra seguinte.
Está ativação irá ativar centros nervosos inativos, enviar impulsos ao nosso cérebro, criar novas sinapses e nos proporcionar estados alterados de consciência momentâneos. Proporcionarão pequenos flashes daquele mundo que buscamos.
Estas novas sinapses, deixarão o caminho aberto para novos processamentos e facilitarão nossa elevação de consciência. Ficaremos mais receptivos a intuições e sugestões que nos levem a este processo de ascensão.

Este é um dos caminhos do tantra, que através de exercícios e união perfeita do equilíbrios das forças yin e yang que se fundem no ato sexual sagrado, formando um campo energético Kundalini conjugada abrindo o caminho e facilitando o ancoramento eletromagnéticos cósmicos e a propulsão de nossa elevação de consciência e espiritual. O Tantra auxilia grandemente a realização dos objetivos daqueles que levam uma vida ética e moral voltada à espiritualidade.

Assim como tudo é encima é também embaixo, no micro e no macro cosmos. Somos uma réplica do Universo e todas as suas energias também transitam em nosso interior. O livre fluxo destas energias é fundamental para o equilíbrio cósmico universal.

O mal uso dessas forças, degenera a finalidade primordial do universo. Provocando uma desordem e uma reação contrária ao fluxo natural do Todo e da Criação. Fazer mal uso desse campo fundamental de energias, criam bloqueios energéticos nos corpos e impedem a livre circulação de nossas energias com consequências físicas.

A energia Universal entra em nosso corpo pelo chacra básico como Kundalini e vitaliza todo o nosso Ser. Ela nasce com qualidade sexual e se transforma à medida que ascende em direção à nossa cabeça e além. Uma circulação perfeita de energias pelo nosso interior, sem bloqueios nem desvios tem a capacidade de restaurar nossa saúde, eliminar todas as doenças, e nos harmonizar com o Universo em um estado de Iluminação, que é a nossa fusão com o todo. Uma experiência oceânica, onde a gota se funde com o mar, e o mar se torna a gota.

Em nossa sociedade o Tantra é sempre confundido com sexo e invoca no inconsciente coletivo, fantásticas fantasias sexuais, colocando-o ao lado da pornografia e da prostituição.  Por ser uma filosofia matriarcal em uma sociedade patriarcal e por suas características anarquistas, libertadoras e também contrárias a todas as imposições sociais que reprimem nosso Ser, o Tantra é sempre perseguido e denegrido. O sexo tântrico é um ato sagrado, sem limite de tempo e promove uma integração completa entre dois seres que se amam, através de um orgasmo único e completo e sua integração com o Universo.

Conseguir escapar dos falsos mestres tântricos, do sexo fácil travestido de tântrico, encontrar e vivenciar uma experiência Tântrica verdadeira será um momento único, inesquecível e transformador, um divisor de águas em sua vida!

Somos seres transdutores de Energia, recebemos o magmaísmo da Terra e a energia Chi do Sol. A energia Chi solar quando atua na atmosfera, cria o Prana que respiramos e nos dá a vitalidade. Nosso chacra mais inferior, localizado abaixo do chacra básico que recebe o magmaísmo, este chacra é composto apenas desta energia. Esta energia ascende e encontra o chacra básico, fundindo-se com a energia Chi proveniente dos chacras superiores.

Desta fusão forma-se a Kundalini, que percorre a região de sua coluna vertebral.  Pelo outro lado, o chacra superior, acima do coronário, recebe a energia Chi que desce ao chacra coronário fundindo-se com a corrente ascendente do Kundalini. Estas duas energias fundem-se e descem pela coluna vertebral até o chacra básico, voltando a ascender e criando uma circulação energética na região da coluna vertebral.

Na ascensão da Kundalini, cada chacra interage retirando e incluindo outras energias, conforme seu estado, e alimentando o respectivo corpo. Cada chacra tem o seu corpo, que é alimentado pelo seu chacra.

O primeiro chacra nos liga ao corpo de Gaia, o nono chacra nos liga ao corpo Universal, do qual somos feitos. Os 7 chacras intermediários nos ligam aos seus respectivos corpos. Todos eles existem desde o nascimento, mas vão sendo ativados com o tempo, e de acordo com o nosso desenvolvimento.

Na medida em que são ativados, colorem mais o Kundalini circulante com suas cores e influenciam todo o nosso Ser.

Se todos os corpos estivessem desativados, a Kundalini circulante seria apenas a fusão do magmaísmo com a energia Chi. Não teríamos personalidade, esta energia seria apenas a fusão simples da Terra e do Sol, sem nada relativo ao nosso ser. Apenas viveríamos, sem nenhuma consciência.

À medida que os chacras e os corpos vão sendo ativados, a ligação com nosso ser superior vai se formando e vamos adquirindo consciência de nós mesmos. A energia circulante passa a ser nossa energia pessoal, colorida com nossas características, e nosso corpo vai se moldando e respondendo às ordens do nosso Ser.
Cada chacra que se desenvolve, auxilia o desenvolvimento do chacra seguinte. Assim, todos podem desenvolver-se simultaneamente, mas o desenvolvimento completo de um chacra só é possível após o desenvolvimento completo – a abertura do chacra anterior.
A abertura de um chacra só acontece após a conscientização plena de todos os aspectos relativos àquele chacra. É necessário um salto de consciência, precisamos ultrapassar, superar e nos desligar dos conceitos relativos àquele chacra.

O primeiro dos nove chacras é aberto automaticamente quando nascemos, e nos fornece a capacidade de sobreviver.

Explicando o Primeiro Chakra…

LOCALIZAÇÃO: O primeiro chakra está localizado na base da espinha dorsal.

PÉTALAS: Este chakra governa a vibração mais baixa de nosso corpo e tem o comprimento de onda mais lento. Há quatro braços ou pétalas. Quatro é o número do quadrado e bases. O quadrado é relacionado ao ser honesto ou lidar com o “quadrado”, as quatro energias da terra – terra, ar, fogo e água, e as quatro direções. Quatro paredes, quatro pernas ou quatro rodas representam uma base forte.

NOTA & MANTRA: A nota para esse chakra é “C” o mantra é “lam” ou “e” como em era. Entoar esses mantras na chave do “D” enquanto focalizando nossa atenção nessa área de nosso corpo pode nos capacitar a acessar mais conscientemente o primeiro chakra.

COR: A cor para este chakra é o vermelho, que é a frequência mais baixa do espectro de luz visível do humano. Vermelho é a cor da raiva e/ou vitalidade.

REGÊNCIAS: O primeiro chakra rege nossas energias FÍSICAS. Também conhecido como o chakra raiz, ele governa nosso vigor, hereditariedade, sobrevivência, segurança, paixão, dinheiro, trabalho e lar. Esse chakra nos ajuda em nossa sobrevivência diária.

SENTIDO: O olfato está relacionado a esse chakra. O olfato é o nosso sentido mais primitivo e é o primeiro sentido que desperta em nosso nascimento físico. Os receptores para o olfato estão localizados na base de nosso cérebro e alimenta diretamente o nosso sistema límbico, que é a área da memória e emoção. Portanto, aromas podem acessar imediatamente as memórias emocionais armazenadas em nosso inconsciente.

SIGNO ASTROLÓGICO: O signo astrológico associado com o chakra raiz é Touro. O símbolo para Touro é o touro. Como o nosso chakra raiz, o touro é um símbolo da força masculina e fertilidade. O touro raspa a terra com seus cascos dianteiros e abaixa suas narinas em direção ao solo para advertir qualquer um que poderia ameaçar sua “manada”. Há muitas vacas na manada, mas somente o touro mais forte será capaz de preserva a integridade genética do grupo.

O primeiro chakra realmente é a base tanto de nossa energia masculina como da feminina. Ele representa nosso desejo masculino e órgãos sexuais masculinos e também a energia feminina da Deusa Kundalini. Portanto, um homem pode aprender a integrar seu poder feminino e uma mulher pode aprender a integrar seu poder masculino através da liberação e abertura deste chakra.

ELEMENTO: Terra é o elemento associado com o primeiro chakra e o reino mineral é o topo dessa hierarquia. Os cristais são apreciados pela espécie humana por éons e também são usados na cura esotérica. Visto que ele governa nosso eu de primeira dimensão que é incapaz de refletir a seu respeito, as percepções de nosso chakra da raiz normalmente são inconscientes. Essa nossa parte de primeira dimensão somente pode estar ciente de uma “consciência do coletivo ou da espécie”.

Apesar de o primeiro chakra ter muitas qualidades masculinas ele também é a “sede da Deusa Kundalini” e, portanto, está normalmente associado ao nosso relacionamento com nossas mães e com a Mãe Terra. Nossos relacionamentos com a nossa mãe estabelecem nossa atitude em relação ao lar, segurança e dinheiro. Se estivermos afastados de nossas raízes, nós nos sentimos afastados da terra e da Fonte cósmica também.

CONSCIÊNCIA: O primeiro chakra rege nossa consciência de sobrevivência e representa o nosso eu mais inconsciente e mais primitivo. Esse chakra representa a parte reptiliana de nosso cérebro, que é nosso tronco encefálico, nosso centro para apoiar a vida. O tronco encefálico e a área imediatamente acima dele são chamados de cérebro reptiliano porque todas as criaturas desde répteis até humanos o possuem. Para os répteis esta área é o cérebro inteiro, mas para os humanos ela é a base ou haste do cérebro. Na verdade, parte dessa área é conhecida como o tronco encefálico.

LINHA TEMPORAL PESSOAL: O primeiro chakra representa o nascimento até a idade de dois anos. Esse é o tempo antes de termos concluído nosso processo de individualização e ainda nós nos percebemos como uma parte de nossos pais. Esse chakra representa nossa luta para aceitar nossa vida física e nosso corpo físico. Nossos Espíritos Multidimensionais são novos para as limitações e a separação de nossa nova realidade 3D, e nós nos esforçamos para aprender como controlar nosso vaso físico terreno. Felizmente nós viajamos naturalmente para as dimensões superiores nessa idade e podemos voltar ao Lar sempre que estamos desesperadamente necessitando de conforto e compreensão.

LINHA TEMPORAL SOCIAL: Antropologicamente o primeiro chakra representa o tempo quando a espécie humana habitava cavernas. Nessa época de nossa “civilização”, nós vivíamos dia após dia. Para assistir em nossa luta pela sobrevivência, nós venerávamos animais e outros aspectos de nosso ambiente físico.

GLÂNDULA ENDÓCRINA: Cada chakra introduz Prana em uma glândula endócrina diferente. Tal como há sete chakras, há sete glândulas endócrinas. Tanto os chakras como as glândulas endócrinas estão localizados ao longo da medula espinhal.

  • As glândulas endócrinas produzem hormônios e os fornecem para a corrente sanguínea. Essas glândulas são chamadas de “sem dutos” porque não há um duto para qualquer parte específica do corpo. Os hormônios são liberados na corrente sanguínea onde eles são levados pelo sangue para todos os órgãos e tecidos para exercerem sua influência em todas as funções do corpo físico.
  • Cada glândula está internamente relacionada às outras glândulas e também trabalha em estreita cooperação com o sistema nervoso e circulatório. Para os órgãos funcionarem eficazmente, o sangue precisa conter certas químicas. Muitas dessas químicas são secretadas pelas glândulas endócrinas e essa secreção é vital para a saúde do sistema inteiro. Nossos corpos podem adoecer se houver hormônios a mais ou a menos.
  • A glândula endócrina para o primeiro chakra é a glândula suprarrenal. Na verdade há duas glândulas suprarrenais localizadas uma no alto de cada um dos dois rins. As glândulas suprarrenais são a chamada do corpo para a batalha. Quando a adrenalina é liberada no sistema as nossas percepções ficam mais claras, nós aumentamos nosso vigor e nos sentimos mais corajosos.
  • A liberação de adrenalina ativa a síndrome lutar/fugir, que nos prepara para “lutar ou fugir”. A liberação de adrenalina e a ativação do lutar/fugir se dão pelo perigo real ou imaginado. Portanto, nossas emoções podem ativar uma liberação de adrenalina quando nós sentimos um medo extremo ou até uma ansiedade crônica. O primeiro chakra é o “chakra da sobrevivência” e a síndrome lutar/fugir é vital para a sobrevivência de todas as espécies.

PLEXO NERVOSO: O primeiro chakra está localizado perto do plexo sacral. O plexo sacral é o centro nervoso que rege o esqueleto, pernas, pés, sistema de evacuação, órgãos masculinos de reprodução e a próstata. Se há um problema com a perna ou pé do lado direito, masculino do corpo, ele pode indicar questões de confiança na vontade. Se há um problema com a perna ou pé do lado esquerdo, feminino, então pode indicar questões com a confiança na vida emocional.

LIMPO: Quando o primeiro chakra está limpo, nós nos sentimos seguros, aterrados e estáveis. Nós podemos usar o “bom senso” para equilibrar nossas finanças e também as nossas responsabilidades diárias e ainda iniciar novas atividades e interesses. Nosso sistema de eliminação funciona bem, a atividade neural em nossas pernas e pés está saudável e nossa capacidade de iniciar encontros sexuais é confortável e natural. Nosso chakra raiz é a casa da Serpente Adormecida, nossa Kundalini. Quando este chakra está limpo e equilibrado a Deusa Kundalini Shakti pode despertar e começar sua elevação gradual para a reunião com o Lorde Shiva.

NÃO LIMPO: Quando o primeiro chakra não está limpo nós nos sentirmos inseguros e com medo. Nós também podemos ficar distraídos porque não estamos aterrados. Nós também podemos ter problemas com nossas finanças e com as necessidades do dia a dia. A segurança que obtemos de coisas materiais pode ficar ameaçada. Também pode haver problemas com nossa casa, que é a nossa base de operações na vida física. Nós podemos nos tornar autoindulgentes e egocêntricos e sofrer de depressão e tristeza. Podemos sofrer com problemas de hemorroidas, constipação, ciático e próstata.

Todas as questões físicas, emocionais e comportamentais acima têm a ver com a capacidade de deixar ir. Nós não podemos deixar ir a nossa tristeza, deixar ir as fontes materiais de conforto quando exigem as finanças, ou até deixar ir o resíduo de nossos corpos. Se nós não podemos liberar o que nos detém, nós não podemos avançar. As dificuldades com o nosso nervo ciático e problemas com nossas pernas e pés mostram essa dinâmica. Problemas da próstata podem surgir da energia sexual frustrada ou da energia criativa.

chacras 1CHAKRAS DA TERRA: Tal como o primeiro chakra representa nosso corpo físico, o primeiro chakra da Terra representa o corpo físico dela. O primeiro chakra planetário está localizado no Monte Sinai no Oriente Médio. Lady Gaia está permitindo Sua Kundalini subir para encontrar seu Parceiro Divino. Agora é a HORA em que ouvimos Seu chamado. Assim, essa área do planeta é o centro de grandes distúrbios.

DIMENSÕES: O primeiro chakra rege nossos eus de primeira e segunda dimensão. Nosso eu de primeira dimensão representa a codificação genética, células e minerais dos nossos corpos. Ele também representa o nosso “eu animal” mais primitivo, que é representado pela reação lutar/fugir que serve para garantir a sobrevivência da espécie.

O chakra raiz também rege as glândulas sexuais masculinas e a testosterona que elas segregam. Essa testosterona conduz o sexo masculino em nossa sociedade e a polaridade masculina de nossa psique para perpetuar e proteger a humanidade.

RESUMO: O corpo da Mãe Terra e Sua consciência, Lady Gaia, é o planeta tridimensional que sustenta nosso corpo físico. Tal como nosso corpo físico se comunica com a nossa consciência pelo estado de saúde, doença, conforto e desconforto, Lady Gaia se comunica conosco através da saúde de Seu planeta, e ela por sua vez está conectada ao Universo da mesma forma.

Nossa sociedade ocidental viajou tão longe em nossa individualidade tridimensional que nós perdemos de vista o fato de que somos membros de um todo maior. Nós esquecemos que somos membros de um planeta que todos nós devemos compartilhar. Esse esquecimento nos permitiu ignorar o fato de que nossos destinos individuais estão intrinsecamente atados ao destino da Mãe Terra que nos aloja e alimenta nosso eu físico.

Nossos corpos físicos e o corpo da Terra nos enviam mensagens através da primeira e da segunda dimensão. Se há perturbações ou doenças em nível genético e celular, se os elementos da terra que estão ao redor e dentro de nossos corpos estão perturbados, se os vegetais e animais estão começando a se extinguir numa taxa diária, há uma mensagem sendo enviada. Nós podemos dizer que ouvimos essas mensagens, mas se nosso comportamento não foi alterado, então nós não OUVIMOS.

Nós podemos negar ou ignorar nossos corpos e o corpo da Terra no qual nós vivemos, mas é difícil negar ou ignorar nosso comportamento. Nossas ações interagem com nosso ambiente e com outros para criar um espelho que nos força a olhar para nós mesmos. Nós podemos manter uma mentalidade de vítima, que nos permite permanecer na negação e mentira para conosco, mas nossas ações não mentem.

No mundo de hoje, muitas de nossas necessidades de sobrevivência se resume apenas em “conseguir o que queremos”. Nós precisamos aprender a reconhecer que nossas ações nos ditam o que nós verdadeiramente queremos, pois é o que nós encontramos tempo para “fazer”. Somente quando nós conseguirmos reconhecer as mensagens de nosso inconsciente, pois elas são mostradas pelo nosso comportamento, nós poderemos assumir total responsabilidade pelas nossas ações.

Entretanto, quanto tempo nós temos para aprender a ouvir as necessidades do nosso planeta e Suas gerações futuras? Nossa individualidade, que nós valorizamos tanto no Ocidente, nos custa a nossa capacidade de ver o quadro maior?

Quando nosso primeiro chakra está fechado, é difícil para o Prana infundir em nosso corpo físico. Então nós perdemos o contato com nosso próprio poder de ouvir e responder às necessidades do nosso corpo e da casa de nosso corpo, a Terra.

Nossas ações então se tornam reações, e nossa capacidade de assumir a responsabilidade pelo nosso poder pessoal é diluída em uma luta deprimente pela sobrevivência. Entretanto, quando o primeiro chakra está desperto, o espírito vive na matéria e todo o nosso comportamento é dirigido pelo espírito, o espírito dentro de nossos corpos físicos e o espírito dentro da nossa Terra.

O chacra seguinte – Chacra básico carrega nossos sentimentos mais básicos de sobrevivência e nos iguala a todos os animais.

Muitos destes sentimentos são pessoais e egoísticos e estão ligados a nossa sobrevivência individual. Outro sentimento – o Sexo está ligado a nossa sobrevivência como espécie e traz com ele o lado do relacionamento em busca de um par para acasalamento. A abertura completa deste chacra só acontece após a superação completa destes conceitos. Precisamos superá-los, sem negá-los. Qualquer tentativa de negação leva a conflitos internos que desgastam nossa energia e desviam nosso foco, impedindo outros desenvolvimentos.

Vivendo mais de dois mil anos sob a repressão da era de Peixes, nossa sociedade ocidental cristã, deturpou os conhecimentos Crísticos e demonizou o sexo. Exatamente porque o correto entendimento dele é a porta para a abertura dos outros chacras, que levam a nossa ascensão espiritual. Nossa porta de entrada foi fechada, demonizada. Muitos dos que tentaram ou conseguiram ultrapassá-la foram queimados(as) em fogueiras, encarcerados e/ou difamados.

Assim, vivemos séculos obtusos e cegados pelas forças trevosas que procuram impedir o desenvolvimento e ascensão espiritual de todos.

vampirismo-energetico

As distorções e a lavagem cerebral que sofremos torna difícil qualquer discussão sobre este assunto. Sexo foi associado com libertinagem, violência, drogas, pornografia, ao prazer e orgasmo genital, obrigação e compromisso. Enfim, a tudo que possa dificultá-lo. Junto a isto, todos os meios que levassem a estados alterados de consciência e possibilitassem um pequeno deslumbre do que pode ser a iluminação, foram igualmente condenados. Qualquer gatilho mental à ascensão foi proibido e fomos acorrentados à matéria, ao chão, ao nível mais baixo possível, ligando-nos às dimensões e frequências mais baixas e tornando-nos suscetíveis a qualquer ataque de baixa frequência. Fazendo-nos vulneráveis a todas as influências trevosas.

Toda abordagem sexual mais aberta é mal interpretada, assim todo estudo sério sobre esta questão acaba sendo levado quase em segredo. Poucos são os que tomam conhecimento e participam de grupos devotados ao real crescimento espiritual.

Qualquer divulgação neste sentido atrai primeiramente os aproveitadores instigados pelas forças trevosas, com o intuito de desvirtuar, difamar e destruir o grupo e seus participantes.

Para transmutar qualquer conceito, precisamos vivenciá-lo, entende-lo, e absorver sua essência, para depois nos libertarmos. Precisamos conhecer plenamente a energia sexual sagrada, identificá-la e aprender a sintetizá-la internamente. Após esta fase teremos ultrapassado esta esfera animal, poderemos nos libertar deste plano, praticar o celibato e iniciar a transmutação da esfera seguinte – a mental.

E principalmente se não fizermos isto, continuaremos como a grande massa mal resolvida que continua mendigando a porta do Paraíso sem ter mérito.

Tantra é o corpo físico, mental, astral e espiritual conversando e integrando-se com o Eu Superior em plenitude.

O verdadeiro Tantra não é técnica, mas amor. Não é técnica, mas oração. Não é orientado pela mente, mas um relaxamento é pelo coração. Por favor lembre-se disso!

Muitos livros foram escritos sobre o Tantra, todos eles falam sobre técnicas, mas o verdadeiro Tantra não tem nada a ver com técnica.

chacrasA DANÇA DA ENERGIA…

A energia flui, o Todo é um constante fluxo de energia. O Universo é apenas energia em movimento. Nosso corpo também é um constante fluxo de energia, a energia deve circular livremente.
Quando não circula, quando a energia é bloqueada, surge a Treva, tanto encima como embaixo.
No nosso corpo o bloqueio energético cria condensações de energias deletérias que nos assolam e causam doenças.
Nossa energia mais densa é o magmaísmo, que recebemos de nossa mãe Gaia. Esta energia pela sua densidade possui a propriedade de poder destruir todas as condensações de energia de nosso corpo. Promover a circulação adequada desta energia na sua forma Kundalini é a chave de nossa saúde física e emocional.
A Kundalini pode nos purificar, eliminando doenças, e nos elevar, ativando nossos centros de energia. Ela é a matéria básica que nossos chacras necessitam para cumprir seu trabalho de transdução.  É o combustível que utilizamos para alimentar as outras dimensões, do nosso corpo e também daqueles que estão à nossa volta.

Somos um posto de abastecimento dimensional em uma verdadeira simbiose energética. Temos o livre arbítrio para escolhermos nosso padrão vibratório.

almasCriação das Chamas Gêmeas…

Na Sagrada Respiração, a Centelha Divina é criada por Deus/Pai/Mãe como o Ser de Fogo Branco, contendo os aspectos ou polaridades, positivo e negativo (masculino e feminino), Yang e Ying, que estão ali encerrados na Unidade.

Fica Ela livre para fazer Sua escolha, evoluindo e trabalhando como unidade no Serviço Cósmico, ou depois de certo tempo, esta Chama Única decide individualizar-se e, no momento da Sagrada Exalação, “O Sopro Divino”, bifurca-se Ela na Presença Eu Sou. Então acontece o que todos vos sabeis: os Raios Gêmeos projetam-se em formas físicas individualizadas começando uma longa peregrinação pela Roda das Encarnações.

Cada experiência, vivenciada por estas individualidades, leva-as a um grande afastamento e, consequentemente, muitos sofrimentos são causados pela ânsia que o homem tem em viver e procurar a felicidade de forma errada.

Estas Chamas, em raras ocasiões, encontram-se em uma ou outra encarnação. Mas, como pessoas comuns, dificilmente se aperceberão da íntima união que existe entre elas, e raramente conseguirão viver uma união perfeita. Nestes raríssimos casos, o grande causador destes encontros frustrados é o desnível de consciências, desvio do caminho dos verdadeiros propósitos, além do fato dos homens não estarem atentos a Voz interior, nem conscientes da sua verdadeira essência de ser.
Entendemos que, para que haja o entrosamento e união harmonioso na vida dos casais, é necessário que as consciências estejam em estágios semelhantes que são, a Nosso ver, os níveis espiritual, educacional e intelectual. É preciso que, em termos de pessoas comuns, pelo menos, duas destas características se façam presentes, para propiciar a essas emanações de vida uma união satisfatória, onde haja dialogo e interesses comuns. Quanto as Almas Gêmeas, logicamente, deverão possuir as três qualidades para uma harmoniosa vivência a dois.

As Chamas Gêmeas, estas como individualidades criadas por Deus/Pai/Mãe depois de viverem ao longo dos tempos todas as experiências que lhes aprazem e também aquelas que a Lei de Causa e Efeito lhes impõe viver, começam a voltar Suas Consciências para a vida espiritual que logicamente nada mais é do que a chamada do Ser Interno para o trabalho de retorno à sua origem. Começam, então, um trabalho gradativo de purificação, elevação da consciência, e provavelmente uma aproximação mútua, se ambas estiverem fazendo o mesmo esforço para seguir seu processo evolutivo. Então, quando estas individualidades complementares tem a rara oportunidade de encontrarem-se no plano físico, com níveis de consciências equiparados, elas conseguirão realizar a união perfeita. Isto por que seus ideais são semelhantes, e a nota que cada uma emite, forma um acorde perfeito com as energias do Universo.

Aqueles poucos que foram abençoados com este encontro no plano físico puderam, com razão, afirmar que vivenciaram o céu na Terra e conseguiram viver o verdadeiro objetivo do casamento espiritual qual seja, o desempenho do seu Plano Divino ou Razão de Ser.

Atentai ainda para esta verdade: só tereis a resposta afirmativa do reconhecimento do vosso complemento divino através do Mestre Interno. Procurai ouvir o vosso coração, para não cometerdes os mesmos enganos que são os causadores de tantos sofrimentos, desvios e conflitos para todos, nesta Roda Cósmica Universal.

Nada tem sido mais manipulado e distorcido na sociedade do que o SEXO ao longo dos milênios!!! Tudo para nos desviar dos nossos reais propósitos e ancorar Energia positiva favorecendo nossa saúde e do Planeta.

ancoragem

torus-2-people-500

Na sua expressão mais elevada, o sexo é a experiência espiritual mais importante entre duas pessoas no mundo físico denso.   É um meio através do qual nós podemos conectar com os níveis mais altos, transcender a matéria e unir a potente força da Criação, cumprindo o que foi e é determinado para as partes Yin e Yang como tudo é no universo, contribuído e acessando nosso fantástico poder co-criativo. Fugir ou negar esta verdade é sabotar nossa própria paz, felicidade e evolução.

O sopro divino é único e em cada grupo de almas gêmeas ELE criou grupo de mônadas.

monodaunidade monodaDeus criou filhos e filhas no estado espiritual.
Ele criou o que chamamos de “centelhas” ou “células” espirituais individualizadas do criador.
Ele na verdade criou o que esotericamente chamamos de mônadas.
A mônada também é chamada de “presença do eu sou”.
Essa foi a nossa primeira inteligência e a nossa primeira identidade individualizada.
Na verdade são concebidas como átomos espirituais dotados de atividade, substâncias forças.
Deus criou números infinitos de mônadas. Mas, cada uma dessas bolhas de Luz se subdividiu em mais onze, totalizando doze que também se subdividiram em duas cada uma: macho e fêmea. Esta bolha maior é a Mônada.

mônoda

Assim, cada uma tem 24 subdivisões: 12 machos e 12 fêmeas. Cada casal que se separou forma almas gêmeas e os correlatos são as chamas gêmeas. Raríssimas são as almas gêmeas que encarnam no planeta ao mesmo tempo ou que estejam no mesmo grau evolutivo.

Quando isto ocorre é porque elas têm uma missão especial de ancorar energia para uma Nova Era. O Homem acresce o masculino na mulher e a mulher o feminino no homem, num equilíbrio perfeito (Yin/Yang).

Quando é necessário que uma missão cósmica se realize, a fonte libera bolhas de Luz. São almas completas: 50% femininas ou Alfa e 50% masculinas ou Ômega. Houve uma época em que essas essências resolveram experienciar a tridimensionalidade, então as bolhas de Luz foram enviadas para a Terra e o véu do esquecimento desceu sobre elas, que se esqueceram de quem realmente eram… Ao chegarem à Terra esses seres de Luz eram andróginos até a queda do homem que bipolarizou estas consciências

Neste estágio eles se tornam UM a Serviço do Todo, Fonte Geradora Alfa e Ômega. O caminho para esses seres parecerá mais solitário, mas, portadores de uma ativação Consciencial maior, saberão optar, encontrando seus pares pela vibração, afinal, só os iguais se reconhecem… Cada célula de seus corpos possui seu Sol Central que é a energia de Cristo. Seu grande desafio é transmutar seus corpos carnais em matéria de Luz: a Presença EU SOU. Ela é representada em seus corpos físicos e astrais como uma pirâmide de luz dourada no seu 9° chakra que fica acima de vossas cabeças. Sintonizem esta energia pois ela fará a ancoragem da vinda do Messias Coletivo. Contamos com vocês.

Quanto mais nos afastarmos de nossos reais propósitos divinos, mas comprometemos nossa evolução, a saúde e equilíbrios das forças da Mãe Gaia e o Universo.

Mais explicações, para aqueles que ainda não entendeu muito bem sobre o assunto, ascensão de kundalini ativa os poderes paranormais, além de fundir ao cosmos – proporcionando catalepsias projetivas e kundalínicas, viagens fora do corpo em plano mental, expansões daconsciência (samadhi, nirvana, satori, etc), mediunidade, e muito mais.

Nádis são dutos energéticos sutis, que temos ao longo do corpo. É uma espécie de sistema nervoso, ou circulatório, do duplo etérico. Há inúmeros nádis, mas os principais, especialmente para fins de kundalini, são o IDA e o PINGALA (que transportam o prana – energia até o chakra básico – muladhara), e o SUSHUMNA (que transporta a shakti-kundalini ativada, quando ativada, do chacra básico até o chacra coronário, no raro processo que se chama de ascensão da kundalini, e que provoca SAMADHIS – o objetivo máximo do Yoga, e que promove a reintegração com a divindade e plenitude).

Para ilustrar a correlação dos nomes dos chacras em portugus e sânscrito, eu, Dalton, postei a tabela a seguir:

Nome emSânscrito Nome emPortuguês Bijamantraou MantraSemente CorPadrão Nº dePétalas ou Raios Glândula Desenho
Sahashara Coronário  ou Coronochacra Não possui, mas usa-se o “OM” Branco 960 + 12 Pineal(epífise) Chacra coronário
Ajnã Frontal, Cerebral ou Frontochacra OM Índigo 96 Hipófise;pituitária Chacra Frontal
Vishudda Laríngeo ou Laringochacra HAMSom: RR Azul 16 Tireoide eparatireoides Chacra Laríngeo
Anahata Cardíaco ou Cardiochacra YAM Verde 12 Coração etimo Chacra cardiaco
Manipura Umbilical, Solar,Umbilicochacra RAMSom: R Amarelo 10 Pâncreas esuprarrenais Chacra Umbilical
Svadhisthana Sexual, Sacro, Baixo ventre, Gênito-urinário, Genésico ou Sexochacra VAM Laranja 6 Gônadas Chacra sexual
Muladhara Básico, Perineal, Radical ou Fundamental LAM Vermelho 4 Suprarrenais Chacra básico

1) Quando os nádis Ida, Pingala e Sushumna emergem formando o agrupamento entrançado de energias eles se encontram na região entre as sobrancelhas, correto?

Não é bem que os 3 emerjam.

ida-pingala-sushunaO sistema de energias da kundalini COMEÇA com o Ida e Pingala. Nesta altura, o sushumna está fora do circuito. O IDA (canal feminino, lua, chandra, esquerdo, yin, frio) e o PINGALA (canal masculino, sol, surya, direito, yang, quente) descem da altura da sobrancelha até o final da coluna. Alegoricamente, são representados de forma enroscada ao longo da coluna. Mas pela clarividência, são notados como paralelos, até o chakra básico.

Estes dois dutos são SUTIS. Levam parte do prana (energia que vem do sol, e que tem partículas divinas, sendo gerada por OUTRAS ativações kundalinicas) para ir, aos poucos, ativando uma energia TERRA, forte, que fica adormecida, enroscada três vezes e meia no chakra básico.

Esta energia, telúrica, enroscada, kundalini, possui uma característica antes de ser acesa e outra depois. No ser humano normal, é força telúrica e vital, curadora, e pouco usada. Após ativada, passa a ser partícula divina mesmo, muda de cor, passa a ser quente, ativa o terceiro nadi (sushumna), e é chamada de Shakti – um nome de Deusa, pois é uma energia INTELIGENTE, INTEGRADA.

O fato é que a função do IDA e PINGALA é transportar este prana, levinho. Este prana é a chama piloto, o chakra básico é a boca do fogão, e a kundalini adormecida é o combustível. Aos pouquinhos, com espiritualidade, prana, equilíbrio e controle do FRONTAL (por enquanto), a mesma vai “aquecendo” aos poucos a fornalha embaixo…

Até um dia ocorrer a combustão, que fará ACENDER e ASCENDER a Shakti (kundalini já ativada, em brasa, divina).

Pois bem, como transportadores de prana, começam entre as sobrancelhas. Entre o nariz (captador de ar) e o Ajña (chakra frontal). E para controlar estes dois dutos, e também o sushumna, há uma espécie de VÁLVULA: Os sub-chakras lalana, em número de 3 (embora sejam tratados como um só), cuja raiz vem do alto do céu da boca (na verdade, lá pelos lados da pineal). Este ponto de onde os dois nádis partem é chamado de KUTASTHA (que significa: o ponto mais alto). Referência a ser o ponto mais alto, fisicamente, da circulação de prana primário.

2) Esta conexão é feita na região do Ajna ou no Kutashta?

O Kutashta não é um órgão ou para-órgão. É apenas um “ponto”, representando o local de união de onde partem os dois nádis laterais que vão fazer o prana descer, como chama piloto, até o fogão do chakra básico (muladhara). Já o Ajña vem a ser o chakra frontal, em si, este mais acima, no meio da testa, e alguns centímetros para fora. O Kutashta é um ponto interno; o ajña é real, “para-sólido”, um “para-órgão” (órgão astral), mais acima e exteriorizado para o duplo etérico. É diferente.

  • ATENÇÃO: O ponto esotérico chamado de TERCEIRO OLHO, olho espiritual, olho de Shiva, tem mais a ver com o kutashta, do que com o frontal.
    Pegadinha proposital para enganar curiosos, que faz com que certas práticas não funcionem da mesma forma, se feitas no lugar errado.
  • ATENÇÃO 2: PRÁTICAS SECRETAS DE KRYIA YOGA DEVEM SER FEITAS NO KUTASHTA, E NÃO NO FRONTAL. Experimentem visualizar a Estrela Prânica (segredinho da Kryia Yoga) no kutashta, em vez de fazer no frontal, e descubram a diferença. Isto é uma prática secreta de KRISHNA, revelada apenas para iniciados em Kryia.
  • ATENÇÃO 3: Visualizar aquela mandala de Kryia Yoga no kutashta ajuda a ativar a kundalini. Há referências esotéricas àquele desenho, feitas por Krishna, nos livros sagrados hindus. O que é bem diferente de
    visualizá-la no frontal, onde teria efeito apenas de lucidez, clarividência e purificação associada ao mental. Ajña é o chakra frontal.

chacras-da-cabeça

3) Os nadis Ida e Pingala se unem na testa, e o Sushuma passa, certo?

O Ida e o Pingala PARTEM da testa, na verdade. E a energia DESCE por eles. Já o Sushumna só entra em ação de fato após a ativação daquela BOMBA energética lá de baixo. Por isso, é preparado para energias pesadas – o que não ocorre com os ida e pingala.

O único perigo de mexer com kundalini é forçar a barra, fazer sem sentimento ou espiritualidade – ou seja, sem prana, sem calma. Neste caso, o ida e pingala podem não estar sendo usados para descer o
prana, adequadamente. E aí, a shakti, despertada na marra, poderia subir pelos ida e pingala, sutis, que não são preparados para isso. O melhor é buscar consciência e espiritualidade, captar prana, se purificar um pouco (sem radicalismos), até sentir algum sintoma kundalínico. Isto indicaria que a chama embaixo está acendendo. Ou seja, o ida e pingala FORAM usados, e portanto, a shakti vai subir pelo canal livre e apropriado, o sushumna, que tem “bitola” (potencial) para isto. Aí dá para começar práticas mais diretas, mesmo. E nesta hora, temperar com sentimento. É o caminho natural. E não oferece risco algum.

O Sushumna, duto “grosso”, central, vem do muladhara (básico) e sobe ao longo da coluna, até o chakra coronário (sahashara).

4) É ele que transporta a kundalini fazendo-a passar pelo Sahasrara?

Sim, em termos. Na verdade, quando ela passa por ele, já não é mais kundalini (ou seja, enroscada, inativa), e sim SHAKTI, a energia após a “combustão”, ardente e divina. Quando este troço subir pela sua
coluna você vai entender porquê eles dizem que é divina – não é metáfora.

Mas primeiro ela sobe até o cardíaco. O sushumna prossegue, para levar a shakti bruta. Mas do coração em diante, o caminho de subida é um pouco mais complexo. Eu ainda não o dominei nesta vida, e a maioria do pessoal que conheço também teve subida até o anahata (cardíaco), o que já provoca um samadhi – mas não o maha-samadhi, um êxtase de verdade, associado à vida e à morte.
Bem feito, quem mandou a gente não trabalhar melhor sentimentos e emoções, né?

O fato é que o chacra anahata (cardíaco) possui 12 pétalas. E o sahashara (coronário) é na verdade quase que como dois chakras.
Ele possui 12 pétalas internas, e 960 externas. Este “chakra” interno do sahashara, aquele miolinho do coronário, é chamado de brahmaranda (o portão de Brahaman, o portal para a divindade absoluta e não personificada). É por ele que se faz a saída, seja na morte, seja no samadhi. A saída do labirinto está ali, é por lá que seremos paridos de volta ao lar.

 

Pergaminho-Luminoso-1024x574Acontece que cada uma das 12 pétalas do anahata (cardíaco) possui uma ligação direta com cada pétala do brahmaranda (parte interior do sahashara, coronário).

Por ironia e verdade, quando falávamos que espiritualidade passava pelo sentimento elevado amoroso impessoal, não estava fazendo metáfora alguma. Enquanto não aprendermos isso, estamos presos, que ironia de Deus, – a mente comandando o chacra ajña (frontal) era apenas o começo do processo, só o piloto – e tem gente que acha que vai chegar só por ali, como se conhecimento, intelectualidade, teoria fosse sabedoria…

Estou sorrindo e rindo de tal ironia evolutiva inteligente, eu adoro este Deus porquê ele é irônico e bem humorado, exatamente como eu imaginaria “alguém” que é Deus.
Enquanto achar que espiritualidade é religião, e não agregar sentimento, não tem jeito, Deus entrelaçou tudo, e começa com a mente, precisa de equilíbrio, mas vai ter que descer aos infernos e fogo dos chakras mais sexuais e primários, domar a fera, fazê-la subir sem esquecer de NADA, sexo, poder, sentimento, sem transcender e sim controlar, domar, usar sem ser usado, jogar fora preconceitos, e quando se achar o bom o processo energético evolutivo (consciencial) vai parar justo no coração, gargalhadas. O Criador é muito divertido e detalhista mesmo, eu o adoro, literal e figuradamente!!!
Quero ver o que o pesquisador intelectualizado ou apenas parapsíquico sem sentimento elevado vai fazer nesta hora!!!!

Não tenho pressa, sei que a vida vai levá-los a isso, quer queiram, quer não, com arrogância ou não. E aí só com sentimento elevado de amor genuíno é que vão chegar ao espiritual, unindo tudo, e enfim descobrindo que a mente e conhecimento era apenas o palito de fósforo iniciador do processo, só o comecinho da reação e que não é nem a chama em si, quanto mais o comburente ou o alimento a ser cozido!!!

Sem cortar a cabeça do ego, não vai ter jeito… Até fundir sentimento e espírito, e ativar as doze pétalas do chacra anahata (coronário) e brahmaranda. E aí, vai com Deus. Ou melhor, vai, deus!

Mais um co-criador despachado de volta ao TODO, mesmo enquanto aqui na Terra. O duro é saber que mesmo colocando todo este conhecimento iniciático que antigamente levavam VIDAS para ser passado em apenas um texto no site http://www.consciencial.org de meu amigo Dalton, mastigado para vocês, poucos vão entender e menos ainda dar a devida importância, mas a semente está plantada. Alguns vão achar místico, outros vão aproveitar a parte técnica para ter assunto sofisticado e exotérico e se esquecer do SENTIMENTO e do RESPONSÁVEL, do DIVINO que há no processo, que era o mais importante.

5) Porque os nádis Ida e o Pingala não se unem também no Sahasrara, mas ficam mais abaixo?

Espero que a explicação já tenha servido de resposta. Os dois PARTEM do kutashta até o básico, no primeiro passo do processo. E só transportam PRANA, e não KUNDALINI. Já o sushumna, entra na segunda parte do processo, levando SHAKTI (kundalini em combustão, ativada) do muladhara (básico) até o sahashara (coronário).

Sendo que do anahata (cardíaco) para cima serão 13 canais de ligação: 12 ligando cada pétala do anahata a cada uma do miolo do sahashara (cornonário) ou brahmaranda. E o sushumna subindo, continuando seu percurso até ligar o muladhara ao sahashara, o básico ao coronário, o êxtase mundano ao êxtase do santo, o orgasmo ao samadhi, o profano ao sagrado, o físico ao espiritual – e tudo isto, é claro, com muito sentimento. E o fato do coração – anahata estar NO MEIO do percurso também NÃO É uma metáfora.

Anúncios

Uma ideia sobre “Energia Kundalini…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s